Cosplay



Os cosplays de Pokémon estão sempre presentes nos eventos de anime! Mas você sabe o que é cosplay? E que eles já apareceram nos jogos, no anime e até no TCG? Saiba mais sobre cosplay de Pokémon nessa matéria especial!




O cosplay se refere à caracterização e interpretação de algum personagem, seja ele real ou fictício. O termo vem do inglês, costume play, costume como traje, fantasia; e play de interpretação, representação teatral, diversão. O cosplay difere da fantasia por se focar na representação de um personagem, tendo ser o mais fiel possível; ao contrário da fantasia, que representa um conceito e só precisa de poucos elementos para ser reconhecida como tal.

Por exemplo, uma fantasia de vampiro terá uma capa, um conjunto de presas, calça preta, blusa branca e talvez algo vermelho, não muito além disso. Já um cosplay de Dracula (Castlevania) terá que usar botas, capa preta com forro vermelho, colete preto com detalhes dourados, sobretudo negro com forro e detalhes em vermelho, plastrom branco, cabelo/peruca longa, ondulada e grisalha, e muito mais. O cosplay sempre terá um personagem como referência, seja ele de livro, filme, desenho, anime, jogo, mangá, ou até mesmo uma personalidade do mundo real.


O cosplay costuma marcar presença em eventos "nerd", como convenções de animes e jogos. A prática do cosplay surgiu em 1939, na primeira Worldcon, convenção de ficção científica realizada em Nova York, onde Forrest Ackermane e sua amiga Myrtle Douglas foram ao evento usando trajes inspirados no filme "Things Come to". Com o passar do tempo, o hobby foi abrangendo outras temáticas além da ficção científica, como anime e mangá. Em 1984 o repórter japonês Nobuyuki Takahashi visitou a Worldcon e acabou levando a ideia ao Japão. Takahashi foi quem designou o termo "cosplay" para denominar essa atividade, e quem a pratica acabou sendo chamado de cosplayer.

No Brasil, o cosplay seguiu junto com as convenções de animes e mangás, sendo que a primeira delas, a Mangacon, ocorreu em 1996 na cidade de São Paulo. Diversos eventos se espalharam pelo país desde então, e a PBN já fez a cobertura de vários deles, como o Sana Fest 2017, A Tenda Aberta, Workshop Pokémon na Leitura e Anime Friends 2017.

O cosplay integra diversas manifestações artísticas. Para elaborar o traje, os acessórios e se assemelhar a determinado personagem, podem ser necessárias algumas habilidades no ramo da costura, escultura ou modelagem em papel, madeira, fibra de vidro, látex, resina e outros, pintura, estilização de peruca/cabelo e maquiagem. A interpretação do personagem, no que tange aos gestos, maneirismos, tom de voz e expressões verbal e facial; acaba se aproximando das artes cênicas.


Variantes

Há algumas variantes na prática do cosplay, que consistem em caminhos alternativos para a caracterização do personagem. Uma das mais conhecidas é o crossplay, onde o cosplayer interpreta um personagem com gênero diferente do seu. Tal prática é mais comum para personagens masculinos e de traços andróginos ou mais delicados, que são passíveis de serem interpretados por mulheres. O contrário, com homens interpretando personagens femininos, é incomum e geralmente se foca na sátira.

O kigurumi é um traje parecido com um pijama, numa peça única incluindo capuz, normalmente usada para a caracterização de personagens tipo mascote. Já as gijinka são uma interpretação antropomórfica de determinado personagem.

Cosplayers no Geek Prime 2015 e no Kodama 2012 (foto pela Otaku Unit)

Cosplay em Pokémon

Os cosplayers estão presentes por toda a franquia, sendo referenciados de várias maneiras. Já nos primeiros jogos, em Red & Blue, há um Poké Maníaco que comenta sobre cosplay para puxar conversa (e uma batalha) com o jogador. A própria classe de Poké Maníaco sofreu uma alteração em seu design para refletir isso, deixando de lado o casacão/jaleco usados na primeira e segunda geração para usarem um cosplay parcial de Charizard/Tyranitar da terceira geração em diante. A classe Fã Pokémon, apresentada na terceira geração, traz crianças usando kigurumi de Pikachu ou Pancham. A quarta geração inclusive criou uma classe própria para essas crianças, sempre vestidas de Pikachu.



Além dos treinadores cosplayers, as versões Omega Ruby & Alpha Sapphire incluíram uma Pokémon cosplayer: Cosplay Pikachu, cujos trajes refletem os diversos atributos exigidos num Concurso Pokémon (Pikachu Rock Star - carisma, Pikachu Belle - beleza, Pikachu Pop Star - fofura, Pikachu, Ph. D - esperteza, Pikachu Libre - força) e também possibilitam a execução de um golpe que Pikachu não aprende normalmente (respectivamente: Meteor Mash, Icicle Crash, Draining Kiss, Electric Terrain, Flying Press).

No anime é comum que Jessie, James e Meowth interpretem personagens para enganar os demais. Bill aparece tendo alguns problemas com seu cosplay de Kabuto no episódio 013 (Mistério no Farol) e Nicolai, um cosplayer dedicado, é apresentando na saga em Hoenn nos episódios 279 (No Limite do Tempo) e 322 (O Ziguezague de Zangoose!). Nicolai usa diversos cosplay para se fazer entender melhor com Pokémon.

Em Sinnoh, o episódio 499 (Vestido para a Vitória!) se foca numa competição de cosplay Pokémon cujo prêmio era um Ovo Pokémon. O Piplup de Dawn foi logo eliminado por não agir como um Weedle, e embora o Pikachu de Ash e o Meowth da Equipe Rocket tivessem interpretado vários outros Pokémon, o vencedor foi o Croagunk de Brock com o cosplay de Politoed.

Já na saga de Unova, temos uma breve aparição de um cosplayer de Watchog no episódio 696 (Concentração de Batalhas em Nimbasa!). Mas a maior aparição de cosplayers nessa temporada foi no episódio 726 (Escalando a Torre do Triunfo!), onde houve uma pequena competição de cosplay para reduzir o número de candidatos para tocar o sino da Torre de Mistralton. Ash e Pikachu interpretaram Alder e Bouffalant, Iris e Axew ficaram a cargo de se caracterizar da Professora Juniper e Darumaka; Stephan e Sawn atuaram com Enfermeira Joy e Audino. O participante Ricky e seu Elgyem usaram poderes psíquicos ao invés do cosplay; e Cilan, embora tenha se caracterizado bem como Elesa, não interpretou bem a líder de ginásio e foi eliminado.


Na saga em Kalos, Pikachu Cosplay apareceram no episódio 887 (Luzes! Câmera! Pikachu! / Como Fazer um Filme de Pikachu: Prontos... Ação! / Rápido e Rasteiro! Bravo e Forte! Super-Pikachu! / Os Mais Divertidos Micos de Gravação de Super-Pikachu!), como personagens de filme. O próprio Pikachu do Ash ganhou um papel e uma fantasia especial nesse filme, enquanto Ash, Clemont, Serena e Bonnie ajudaram na produção do filme. No episódio anterior (A Pequena Cuidadora!), o pijama kigurumi de Bonnie a auxiliou a treinar e cuidar de um Tyrunt, de forma similar ao feito por Nicolai.

No TCG temos alguns cards promocionais com Pikachu de cosplayer, além da própria Cosplay Pikachu. No entanto, esses cards foram lançados apenas no Japão, tal como as pelúcias na mesma linha.



Cosplay de Pokémon

Pokémon é uma franquia de alcance mundial, e igualmente querida, tornando seus cosplays sempre presentes nos eventos. Na maioria das vezes você encontrará ao menos um Ash numa convenção de anime ou jogos, sem falar nas diversas touquinhas, bonés e pelúcias de Pokémon vendidas nas lojinhas desses eventos.

Algumas mercadorias vendidas no Festival do Japão 2017

Os trajes de Pokémon costumam ser mais simples do que a maioria, mas também implicam num número maior de acessórios, como bolsas, Pokébolas, e é claro, Pokémon. Como qualquer cosplay, os itens que o compõe podem ser comprados, encomendados ou feitos pessoalmente. A própria escolha do personagem de Pokémon exige mais atenção, pois a franquia é multimídia. Diversas versões de um mesmo personagem estão presentes no anime, no mangá e nos jogos, e elas possuem diferenças entre si.

Por exemplo, o “Gary" na primeira geração possui pingentes diferentes no anime, no mangá e na artwork do jogos. O traje do "Gary" nos remakes também varia, o formato e posição da bolsa muda de acordo com a mídia, assim como o corte e material da camisa e a quantidade bolsos da calça (fora a jaqueta verde e a ausência das munhequeiras no anime Origens).


Fora as variações cromáticas de cada versão, as nuances na interpretação também variam. Ambas as versões são marcadas pela arrogância e por uma rivalidade com o protagonista, mas no anime e nos jogos ela é mais fútil, o personagem se acha mais importante por ser neto do Professor Carvalho e por ter mais insígnias e Pokémon na Pokédex. No mangá, além do parentesco com o Professor Carvalho, Green possui um vasto conhecimento sobre Pokémon e realizou um treinamento pesado quando mais jovem, o que justifica um pouco do sentimento inicial de superioridade que tinha sobre Red.

Há todo um cuidado na hora de escolher o personagem, coletar referências, comprar ou customizar peças de roupa até ficaram iguais a do personagem, arrumar uma bolsa similar, arranjar Pokébolas e um Pokémon para compor o cosplay, além de interpretar o personagem devidamente, com seus trejeitos e motivações. Cosplay é um hobby, uma manifestação artística, uma forma de descontração, mas também é uma expressão do quanto você gosta do personagem a ponto de escolhê-lo para se caracterizar.

Nos vemos nos nossos próximos destinos!



*Imagens: Google Imagens, Otacon Unit, screenshots dos jogos, anime e TCG, acervo pessoal.

0 Comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!