O que é um Deck Rogue? - Pokémon Blast News

Novidades

Ad superior

26/06/2021

O que é um Deck Rogue?

Chansey Confusa

Por:
João Alcim Neves (@joaoalcim | DragoNews Podcast)

Em meu primeiro texto aqui na Pokémon Blast News, comentei um pouco a respeito de cada um dos arquétipos de baralhos que existiam dentro do Pokémon TCG, dentre eles o baralho aggro, midrange, spread, entre outros. Uma dúvida, porém, pode ter aparecido em quem teve contato com aquele texto: onde estão os baralhos rogues?

Antes de citar alguns exemplos de baralhos rogues, gostaria de discutir com vocês o que exatamente são esses baralhos. Vamos lá!

Rogue e os Arquétipos de Decks


Como eu já disse no outro texto, um arquétipo de deck deve ser entendido como o modelo básico que o baralho adota em sua construção, de modo que possamos reconhecer características comuns entre os diversos baralhos de um mesmo arquétipo, especialmente quanto ao modo de jogo. Justamente por isso, decks rogues não podem ser considerados um arquétipo em si: eles não adotam uma estratégia única, havendo decks rogues com características aggro, spread, controle e até mesmo combo.

Se os decks rogues não se classificam como um arquétipo, por que há tantas pessoas que utilizam dessa nomenclatura para definir alguns tipos de baralhos?

Vale destacar que, de forma equivocada, muitos acreditam que um deck rogue é um baralho menos consistente, que dá umas “travadas” ou que é afetado pelo azar mais frequentemente que os decks considerados “meta”. Contudo, a compreensão de baralho rogue tem a ver com a sua representatividade em um torneio.

Sim, representatividade. Analisando as decklists entregues pelo universo de jogadores de um torneio, sempre poderemos definir o “meta” daquela competição em específico. Ou seja, conseguimos concluir quais eram os baralhos menos utilizados ou com baixíssima representação: esses quase sempre são os baralhos rogues do formato.

Vamos demonstrar um exemplo na plataforma de torneios do site Limitlesstcg.com:

Pokémon TCG torneio Saturday Night at LegendaryTrio #1

Essa imagem se refere ao torneio Saturday Night at LegendaryTrio #1, o qual ajudei a organizar pela plataforma do Limitless. Veja que, dentre os 40 inscritos na competição, metade deles se dividiu entre os decks mais utilizados: Ethernatus VMAX, Victini VMAX, Urshifu Golpe Fluido VMAX, e Zacian-V / Lucario e Melmetal-GX.

Perceba também que, na parte inferior da tabela, se encontram vários decks com apenas um representante dentre todos os inscritos: Corviknight VMAX, Coalossal VMAX, Dragapult VMAX, Tyranitar V, dentre outros. Analisando esse torneio específico, esses poderiam ser considerados como os baralhos rogues na competição.

Então, outra questão aparece: todo deck com pouca representação será necessariamente um deck rogue?

Representação e Consistência

Para responder à pergunta anterior, precisamos partir para um novo ponto: o quanto a representação de um deck em um torneio é suficiente para determiná-lo como um rogue?

É claro que a representação é um dos pontos mais importantes para a caracterização de um deck. Todavia, a consistência e o universo de jogadores em um torneio também devem ser considerados, para evitar que um baralho em específico seja classificado ora como meta ora como rogue.

Voltando ao exemplo anterior do torneio Saturday Night at LegendaryTrio #1, podemos ver que a combinação de Urshifu Golpe Fluido-VMAX com Cinccino possuiu apenas um representante nesse torneio. Isso, contudo, não é capaz de decretá-lo como deck rogue porque há outros torneios em que ele aparece com muito mais representantes.

Aqui é o preciso ponto em que entra a questão da consistência. Há muitos baralhos que, por questão de consistência, são preteridos pelos jogadores mais competitivos na hora de escolher o deck para jogar um torneio. Esses baralhos, ao se analisar uma grande sequência de torneios, quase sempre se encontrarão nas últimas colocações quanto à representatividade, apesar de poderem surpreender com seus resultados.

O Caráter Combo dos Decks Rogue

A surpresa causada pelos resultados dos decks rogues muitas vezes tem a ver por sua aproximação do arquétipo combo. Não é regra, mas alguns dos decks instantaneamente reconhecidos como rogues possuem elementos que o aproximam desse arquétipo que buscam a realização de uma linha bem definida de acontecimentos que, se ocorrer, darão ao jogador uma grande vantagem.

Vejamos um exemplo de deck rogue com características do arquétipo combo:

Deck Rogue Combo

O deck de Salazzle com Weepinbell se utiliza da habilidade Mucosa Perigosa de Weepinbell para causar condições especiais no Pokémon ativo do oponente. Assim, com apenas uma Energia Gêmea (ou a utilização da Energia Tripla de Aceleração), Salazzle causa 90 vezes a quantidade de condições especiais, afetando o Pokémon ativo do oponente.

Muitas vezes, esse dano fica ainda mais poderoso com a utilização de Corneta da Equipe Yell (que deixa ambos os Pokémon ativos confusos) e de Armadilha do Koga (que proporciona as condições especiais Envenenado e Confuso). Neste artigo aqui, do Joh Marques, ele comenta sobre outra sugestão bem detalhada deste baralho!

Perceba como o potencial de dano elevado do baralho é diretamente proporcional à complexidade de causá-lo: exigindo a evolução para Weepinbell, garantia de ter outro Bellsprout para conseguir causar o dano pesado no turno seguinte, a energia e, às vezes, a utilização de Apoiadores que não garantem a compra de cartas.

Essa dificuldade é recompensada quando o combo dá certo e você consegue ver um deck considerado rogue vencendo outros baralhos considerados metas e mais fortes.

Sabendo agora o que são os decks rogues, espero que você encontre muita diversão em sua jornada competitiva de Pokémon TCG, seja na plataforma online, seja no jogo presencial quando pudermos voltar a nos encontrar!

Para ficar por dentro das novidades do Pokémon TCG competitivo, acompanhe o DragoNews Podcast! Para conferir outros artigos de Pokémon TCG Competitivo, confira nosso menu.

Post Top Ad