Review: Pokémon XY038

 
Ei, ei, galera da PBN!
Hoje trago mais uma review analisando outro episódios de Pokémon XY, o último antes do arco do Acampamento de Verão que tem dado o que falar e eu mal posso esperar pra começar a falar a respeito!
Eu prometi quatro textos para a semana e este é o terceiro! Então fiquem ligados que eu faço mais uma postagem amanhã =D
Este texto foi originalmente publicado dia 25 de agosto no meu blog. Os comentários do post anterior foram respondidos lá mesmo e você vê-lo outra vez (e outros vários textos meus clicando aqui).

XY038/ Episódio 842 – O Trevenant da Floresta Serpeante!

Sudowoodo, o Pokémon Imitação, é uma criatura tipo Pedra que engana muita gente usando sua forte semelhança com uma árvore para se disfarçar. Logo, é no mínimo apropriado que ele esteja presente num episódio tão rodeado de enganações como este aqui. A prévia mostrada ao final de “Caverna dos Reflexos! Ash e o Ash do Outro Lado do Espelho?!”, sem BGMs, sem a típica voz do Ash, acompanhada apenas de uma narração de Clemont no melhor estilo radionovela de suspense que os japas tanto adoram, dava a impressão de que este seria um episódio sombrio, como aquele excelente estrelado por Espurr. Afinal de contas, a prévia para aquele capítulo também havia sido apresentada com todas essas características. Some a isso o fato de que se Espurr dá arrepios só no olhar, Trevenant não fica muito atrás e as Pokédexes de Pokémon X & Y o descrevem como um ser capaz de controlar as árvores conforme sua vontade e de prender para sempre aqueles que prejudicam a floresta. Além disso, a tela de título do episódio é apresentada com o rosto de Clemont, dando a ideia de que nosso inventor favorito ganharia destaque – algo que não acontece há quase dez episódios e a prévia até ajudava a reforçar isso com a narração do menino.
Entretanto, nenhuma das possíveis promessas se concretizam de fato. Este não é um episódio sobre Clemont – embora ele nos lembre o quão competente Líder de Ginásio o garoto é – tampouco macabro. Tudo Sudowoodo! Trata-se de mais um episódio focado em Ash Ketchum e seus Pokémon. E, bom, se temos tido um bocado de episódios assim ultimamente, ao menos nada aqui é em vão: trata-se de um mais-que-bem-vindo treinamento para o vindouro Ginásio de Shalour. Shoji Yonemura (o mesmo roteirista do anterior – dobradinha curiosa para dois episódios que tem absolutamente nada a ver um com o outro) novamente nos coloca para ver Ash treinando Froakie – foi ele também quem escreveu o treinamento com o Sanpei, que resultou no Multiplicar (Double Team) –, mas desta vez acompanhado do novato Hawlucha. A ausência de Fletchinder nesses treinamentos é, no mínimo, questionável já que ele ao menos tem vantagem de tipo contra Lucario, ao contrário do sapinho.
Na cartilha de Pocket Monsters XY, deve estar escrito em algum lugar que nenhum lugar em Kalos combina melhor com treinamento do que as margens de um córrego, especialmente se acompanhado de uma cachoeira! Então não estranhe se alguns momentos parecerem familiares logo na cena que abre o episódio e nos revela que Froakie aprendeu Cortar (Cut) – com direito a tronco e flashback do XY001 para nos lembrar o quão heroico o sapinho é. A presença de Hawlucha aqui é o que realmente causa uma mudança no cenário, especialmente porque se Takegami havia optado por um Hawlucha mais tímido que apenas quer fazer seu pequeno show em paz, Yonemura traz toda a pompa do bicho para fora, conferindo-lhe muito mais carisma. O luchador agora está muito mais cheio de gestos, atitudes e uma vontade ainda maior de se exibir.
O que o roteirista faz, aparentemente, é se utilizar do fato de que o de estilo de luta Froakie baseia-se no dos ninjas à la Naruto, enquanto o de Hawlucha inspira-se nas luchas libres, com máscara e tudo, para criar esse contraste. Desta forma, vemos os Pokémon enfrentando as diferenças em seus diferentes modos de batalhar: se Froakie procura a descrição e objetividade comumente atribuídos aos ninjas, Hawlucha já gosta de fazer sua pequena exibição de estilo como geralmente fazem os luchadores mais técnicos. E que forma melhor de ressaltar essas divergências entre personagens do que uma batalha em dupla? O anime já aplicou tal método tanto entre Pokémon (Pikachu e Charizard em “Pokémon Encrenca em Dobro”) quanto entre diferentes Treinadores (Ash e Paul em “Batalha em Dupla! Aqui Vamos Nós!”), sempre obtendo resultados bastante positivos. E aqui não poderia ser diferente.
Se a beleza do episódio anterior, foi o trato com a personalidade do grupo do mundo do espelho, aqui ela consiste em observar como Yonemura novamente se utiliza de pequenos momentos cheios de detalhe, para enfatizar o contraste entre os Pokémon e ao mesmo tempo nos mostrar o quanto eles na verdade tem em comum. E se o roteirista faz questão de nos lembrar logo no começo o quão heroico Froakie foi em sua estreia, não dói lembrar também o quão reservado e orgulhoso o sapinho pode ser também (afinal ele não foi rejeitado por tantos Treinadores à toa né). E isso pode ser percebido no sapinho ter preferido recorrer a Ash antes de cumprimentar Hawlucha antes da batalha. Seu olhar de indiferença para o luchador tem um pouquinho de superioridade contida ali e demonstra o quão problemático o sapinho pode ser para aceitar outros como iguais. Eu também chutaria que o fato de que ele não conseguiu derrotar Hawlucha na vez em que ele batalharam dificulta a formação da amizade, de forma semelhante ao que ocorreu quando ele perdeu para o Sylveon de Penélope (Premier).
Além do mais, a cena que ele fica todo coradinho ao receber um elogio - como já vimos acontecer outras vezes - também nos lembra que ele também gosta de ser o centro das atenções. Logo, não me surpreende totalmente quando Froakie começa a se ficar chateado quando Hawlucha fica se exibindo durante a batalha em dupla e recebe elogios de todos - ainda que ele esteja levando danos do Tapa Duplo de Bunnelby. Falando na exibição do luchador, Yonemura pega aquilo que Takegami já havia usado na introdução no luchador e expande de forma formidável, indo além de uma Pressão Aérea (Flying Press) bem elaborada. Assim como o Machamp com quem rivalizara, ele também gosta de determinar o espírito de seu oponente deixando-se apanhar e ainda gosta de fazer comemoraçõezinhas ao efetuar bem um ataque. E se Froakie parecia um pouco orgulhoso e ciumento, o roteirista faz questão de equilibrar a balança, nos expondo ao orgulho do próprio Hawlucha, que se enfurece quando Froakie interfere em sua luta pessoal contra Bunnelby. É engraçado porque as ordens vieram de Ash, mas os Pokémon se voltam um contra o outro e desta vez é o luchador quem passa a ser implicante. A contenda estoura com ambos os lados agindo igualmente culpados e infantis – e sobra pra Bunnelby, que é nocauteado com um Míssil de Espinhos de Chespin saído pela culatra :'(
Além de servir para trabalhar a personalidade dos dois Pokémon, o fato de que o treinamento não tem um propósito específico – como superar a estratégia da Enterrada de Pedra do Grant –, mas para simplesmente testar as habilidades de Froakie ainda mais, só torna o momento mais apreciável porque nos mostra que Ash está realmente determinado a deixar seu time mais forte para desafiar o Korrina e o fato de que essa atenção se estende a outros Pokémon, além de Pikachu, é realmente ótima. Eu também gosto de como essa é uma ideia que parte de Clemont. Embora o anime foque muito em suas invenções, ele é um Líder de Ginásio afinal e em teoria deveria entender de batalhas e treinamento, portanto é ótimo ver esse tipo de sugestão partindo dele. Além de fortalecer os Pokémon, a prática por si só ainda prepara tanto Pokémon quanto Treinador para qualquer situação que possa aparecer no futuro – e é uma ÓTIMA desculpa para vermos Bunnelby fofucho em ação outra vez!
A contenda entre os Pokémon também serve como um novo desafio para o Treinador da Cidade de Pallet, que precisa agir com maturidade quando seus Pokémon estão sendo mais infantis do que nunca. E Ash não falha nesse sentido! É ótimo ver como o garota tenta forçar ambos a se acertarem de forma engenhosa, colocando-os para trabalhar em uma técnica nova que envolve cooperação de ambos: o Super Corte Aéreo (Super Flying Cut), uma fusão da Pressão Aérea com o Cortar. Em Pokémon XY, os roteiristas têm se empenhado em dar estratégias inusitadas e eficientes para Ash, algo que me muito me agrada. Em menos de 40 episódios, já vimos Froakie desenvolver cópias falsas usando as suas espumas especiais, a Escalada da Enterrada de Pedra (Rock Tomb Climb, conforme a versão americana) e da Pressão Aérea estilosa, agora temos mais uma técnica exclusiva criada pelo garoto de Pallet: o Super Corte Aéreo (Super Flying Cut) – e desta vez ele nem tem a Dawn, que costumava lhe inspirar com essas ideias para os Torneios em Diamond & Pearl!
É claro que não funciona até que o Treinador de Pallet seja raptado pelo Trevenant do título e os Pokémon decidam colocar suas diferenças de lado para salvá-lo, mas sinceramente é aqui que o episódio perde um pouco sua força. Embora o tal momento nos renda até Hawlucha botando o bonezinho de Ash para delírio da galera, a chegada da árvore fantasmagórica para mim é uma grande quebra de clímax, considerando o quão bem o episódio estava se desenvolvendo até aqui. O grande problema é que embora o roteirista ainda tenha o bom senso de continuar usando essa subtrama para amadurecer a interação dos personagens, a história toda do Trevenant soa pouco convincente. A história do Trevenant até poderia ter sido interessante se eles tivessem seguido a parte da lenda em que a árvore do mal poderia COMER Ash. Aí sim eu teria gostado. Mas no fim o problema aqui é um já antigo no mundo Pokémon: a falta de um curso de relação interpessoais para os monstros de bolso.
Certamente mais 15 anos de anime nos provaram que essa política do “vou atacar e arrastar pessoas com meus cipós/vinhas/raízes de forma ameaçadora primeiro e pedir ajuda depois” até funciona, mas é tããããão errada. E convenhamos, enquanto eu adoro o fato de que Trevenant, Sudowoodo e Bonsly parecem formar uma família moderna – e uma que provavelmente não seria amparada pelo estatuto da família por causa de uma certa bancada evangélica superconservadora que defende os valores da família –, eu realmente acho difícil de digerir que o Pokémon Árvore Anciã não teria sido capaz de tirá-los de lá sozinho. Pelo amor de deus, o bicho sabia Fogo Fátuo (Will-o-Wisp)! E se fosse o caso de ele não querer ferir seus companheiros, Sudowoodo e Bonsly estavam presos numa rede, que estava presa ao tronco de uma árvore. Não teria sido mais fácil usar os cipós para arrebentar a rede?
Como se toda a situação já não fosse absurda por si só, Yonemura ainda coloca Ash para ordenar o Super Corte Aéreo (Super Flying Cut) em Trevenant LOGO DEPOIS DE HAWLUCHA TENTAR USAR A PRESSÃO ÁREA POR CONTA PRÓPRIA E FALHAR! O Treinador de Pallet diz com todas as letras que golpes do tipo Lutador não fazem efeito contra Pokémon Fantasmas, mas no momento seguinte pede que seus Pokémon usam uma combinação formada por Cortar - um ataque do tipo Normal, também ineficaz contra Pokémon Fantasmas - e a Pressão Aérea. Praticamente jogou toda a maturidade e inteligência de Ash demonstradas nos primeiros minutos no lixo aqui. E considerando que Froakie e Hawlucha são ambos fracos contra Trevenant - nenhum dos dois possuíam ataques realmente eficazes contra ele - não teria sido este o momento ideal para Ash chamar um certo Pokémon que tinha real vantagem contra a árvore assombrada? Mas quem? Sei lá alguém como Fletchinder, talvez?
Eu entendo perfeitamente que tudo aqui tenha sido em teoria pensado para trabalhar Hawlucha e Froakie especificamente, mas definitivamente a cena é bastante infame por justamente quebrar o ótimo desenvolvimento que vinha sendo realizado até aqui. Além disso, mesmo com o foco no treinamento, Yonemura havia até mesmo nos dado um momento MARAVILHOSO envolvendo os outros personagens, especialmente Chespin e Serena e a eterna gulodice do pequeno. É ótimo ver que o Inicial de Grama continua tão dissimulado quanto em seus primeiros dias, mas melhor ainda foi ver a reação que ele foi tendo ao ouvir a explicação da especialista em PokéPuffs sobre como havia um especialmente picante para Fennekin ali. Resultado: SERENA NOCAUTEOU UM POKÉMON COM O PODER DA CULINÁRIA! Toma essa, ateus! Quem precisa de Fennekin quando se tem panela? Eu teria apreciado mais uns momentos assim - talvez um com Clemont para fazer jus ao seu rostinho nerd aparecendo antes da tela de título.
Felizmente, esses pontos menores acabam realmente reduzidos pelos excelentes primeiros momentos e pela ótima interação entre Froakie e Hawlucha. O confronto com a Equipe Rocket consegue ser bem legal, especialmente pela parte em que os Pokémon finalmente dominam a sua técnica especial. Ver como Ash utiliza a falha da Pressão Aérea em sua vantagem própria - esse lance de usar ataque do oponente em vantagem própria me lembra tanto os Torneios de DP também - para disfarçar o ataque sorrateiro de Froakie é ótimo e ajuda a recuperar da gafe anterior. Do mesmo modo, é ótimo ver o sapinho e o luchador amigos, com direito a Froakie instruindo o voo de Hawlucha. A animação também esteve excelente aqui, com batalhas muito bem encenadas e a trilha sonora ficou igualmente boa, com a música tema de Hawlucha dando aquele excelente tom como de costume. Foi quase um episódio perfeito, mas totalmente valeu a pena.

Considerações finais: 
Este episódio teve um bocado de cenas de Ash se machucando. Seja queimado pelo Fogo Fátuo ou eletrocutado pela rede da Equipe Rocket, Kalos é realmente uma região bem perigosa;
Chespin está bem fortinho, né? Parece que Clemont tem treinado seu pequenino inicial também e agora ele não só é capaz de usar seu Chicote de Vinha de forma defensiva como também controlar a direção dos seus Mísseis de Espinho;
Falando em ataques, Yonemura e os animadores realmente erraram a mão com o Trevenant. Que diacho foi esse Raio Confusão (Confuse Ray) que mais parece Esporos e ainda bota os atacados pra dormir??? Não fez o menor sentido =P Sem contar que o Fogo Fátuo foi usado como um ataque ofensivo e não como um especial; 
Eu acho tão maduro também o fato de que Ash agora tem Frutas Oran para seus Pokémon. O que a ausência de Brock não faz! 
O narrador encerra o episódio dizendo que eles estão quase em Shalour, aí o próximo capítulo é o primeiro de um arco de 4 episódios. Nem tão quase assim, narrador querido; 
Eu já falei o quão fofo eu acho esse encerramento atual? Eu sei que já, mas eu sempre acho coisas fofas nele pra admirar. Inclusive eu adoro quando Pikachu fala "Pika~ Pika~" junto da(s) cantora(s?) :3
A Equipe Rocket tem feito aparições pequenas, mas eu tenho achado uma graça boa em cada uma delas (embora eu não SUPORTE MAIS AQUELA PORRA DAQUELA SEQUÊNCIA DO LEMA REPETINDO TODO EPISÓDIO). Eu gostei mto de Meowth pensando que eles deviam sair de fininho enquanto ainda estavam com Pikachu; 
Este episódio conseguiu 5,7% de audiência, um pouco acima da média de XY, ficando em 8º lugar. Parece que os japoneses ficaram muito em frente à tevê nessa semana; 
Pergunta: será que Trevenant está ciente da verdadeira natureza de seu parceiro Sudowoodo? Hmm

18 comentários:

  1. A Bonnie tem maiô de Slowbro agora! FOFUUURA

    ResponderExcluir
  2. O Ash parece que gosta de usar ataques do tipo lutador em tipos fantasmas. Até hoje eu não me esqueço do Seismic Toss que ele mandou o Charizard dar no Dusclops de Brandon. E se eu não me engano, a respeito do Will o Wisp, foi usado como ataque nessa luta também, até causando dano no Charizard.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa, verdade! Tinha me esquecido disso! =O

      Excluir
  3. Pra falar a verdade, não é a primeira vez que usam o Will-O-Wisp como um Move Special, em vez de usar como Status. Desde quando foi colocado W-O-W no anime eles cometem esse erro. Acho que eles confundem com o Ember, não é possível...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deve ser pq a primeira vez que a condição burn foi usada no anime foi em DP. Antes dela, nenhum Pokémon havia ficado em chamas. E como o WOW só tem efeito, eles devem ter preferido adaptá-lo para parecer um ataque mesmo.

      Excluir
  4. Alguém mais se deu conta do real motivo por trás do novo ataque de Froakie??? Finalmente eles voltaram a fazer aqueles links entre as formas pré-evoluídas dos Pokémon dos protagonistas e suas formas evoluídas... Tinha perdido as esperanças disso acontecer de novo desde o momento que Sewaddle evoluiu e aprendeu Energy Ball no lugar de BUG BITE (CARA EU ADORAVA AQUELA MORDIDINHA >:333)... A coisa só volta a melhorar quando Swadloon evolui para Leavanny e só depois de uns 50 episódios aprende X-Scissor.
    Agora Froakie e Fletchinder precisam reverter esse quadro... Tenho quase certeza que os roteiristas dessa vez estão tentando fazer esse Cut evoluir num futuro Nigh Slash quando ele virar Greninja (espero ver um Extrasensory ou Water Shuriken como bônus aí também *-*) e quanto a Fletchinder, só acho que futuramente ele possa vir a aprender Acrobatics ou Aerial Ace como evolução do Peck e, quando virar Talonflame nos mostre aquele Brave Bird que só os melhores pássaros de Ash sabem usar! (seria muito legal também se decidissem variar e colocar um Swords Dance ou Roost no lugar daquele Razor Wind ou Double Team talvez - falando em Double Team, só eu que sinto saudades do Bunnely de Clemont utilizando? Mais parece é que Froakie já fez do movimento sua marca assinada, logo só acho que Fletchinder teve que desocupar o movimento dos clones pra aprender Flame Charge...)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa! Eu não tinha me tocado nisso, mas eu tbm adoro quando eles "evoluem" os ataques *--*

      Excluir
  5. Um review maravilhosa como sempre! =D
    Primeiro, sobre sua resposta ao comentario no ultimo review: 10 anos sem a Misty é muito triste T.T E o pior é que todos nos sabemos que os personagens do animes realmente não seram bem usados! =/ isso é tenso de mais paras os fãs da velha guarda pokemon!
    Sobre o Review, eu gostei bastante do episodio, como eu não joguei os jogos, estava curioso para sabre mais sobre o Trevenant que fez tanta fama quando foi anunciado, lembro bem!
    Eu não sei... mas o fato do Ash estar treinando o Froakie assim, me fez suspeitar que ele possa evoluir durante a luta do ginasio, seria otimo! Bem, eu não gosto do Froakie pra ser sincero, eu fico olhando o Chespin com o Clemont, tão fofo, tão feliz e expontaneo, ele seria tão... otimo na equipe do Ash no lugar do Froakie :D
    Ps. Acho que terei de criar uma conta pra responder seus Reviews kkkkk

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que vai precisar criar uma conta? Algum problema? =O
      Olha, nós ainda nem sabemos se Froakie vai lutar no Ginásio... e até o momento, infelizmente, tudo tem indicado que não, mas quem sabe eles não estejam guardando algo grandioso para o sapinho para breve?

      Excluir
    2. Nenhum problema não kkkkk
      Eééé... talvez ele não lute no ginasio, mas creio eu que ele logo podera evoluir, alem do treino, outro fato é que o Ash não tem capturado varios pokemon, isso pode fazer com que foquem bastante da equipe atual dele, em fortalecer e evoluir os pokemon!

      Excluir
    3. Isso seria ótimo de se ver!

      Excluir
  6. Eu sei que minhas reclamações quanto as aparições exageradas da Equipe Rocket podem tá um tanto repetitivas, mas eu repito de novo, esse seria um episódio perfeito pra eles não aparecerem outra vez, pra mim foi mais uma aparição desnecessária, começo a achar que eles insistem nessas aparições desnecessárias só pra garantir uns trocados a mais no bolso dos dubladores de Jessie, James e Meowth, só pode.

    Bem, o que me decepcionou nesse episódio não foi a aparição da ER nem a forma como eles apareceram, mas sim que esse era pra ser um episódio onde o Trevenant seria o vilão principal, como vc disse, ele poderia ter pego o Ash pra comer ele, e a floresta teria um ambiente bem sombrio tipo de historias de terror, mas essa ideia de muito tempo que todos os pokemon são bonzinhos ferrou o episódio, o Trevenant raptar o Ash pra pedir ajuda contra (outra vez) a ER foi uma das coisas mais repetitivas e bestas que aconteceram em XY.

    Não digo que o episódio foi ruim, o episódio até que foi bom, principalmente a parte antes do Trevenant aparecer, e até depois que ele apareceu mas ainda era um mistério o motivo dele ter raptado o Ash, mas esse episódio poderia ter sido muito, mas muito melhor se eles não insistissem nessas ideias tão repetitivas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade, a parte do Trevenant poderia ter sido melhor trabalhada se não fosse pelos Rockets, mas eu achei Pumpkaboo tão fofinho neste episódio que nem dá coragem de reclamar.

      Excluir
  7. cara Diamonte e Pérola e a melhor temporada de todas , e Unova a pior mas essa ta boa mas to sentindo falta de uns pokemon fodas ,nao que os dele n sejam bons

    ResponderExcluir
  8. Cada texto que publica me apaixona gradativamente mais por você, Sir Charizard! Quer namorar comigo? HeHe ^^ kkkk Suas singelas observações são as mesmas que observo. Seus gostos também....

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha fico lisonjeado pela proposta, mas já sou comprometido =D
      Mas fica aí um grande abraço o/

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!