Pokémon Crystal e a Primeira Vez





Era um dia normal pra mim. Era domingo e eu estava na casa das minhas tias. Eu peguei o jornal para ver a parte que falava sobre televisão e teatro como eu fazia toda semana. Sem nada de interessante pare ver nos resumos de novela(eu assistia Os Mutantes sim, problema?) eu decidi ver aquele caderno inteiro. Lá num cantinho da página estava uma notícia que mudaria meu mundo. Pokémon estrearia na Rede TV no dia seguinte, às 18:00h desde o começo com dois episódios diários. Passei a acompanhar o anime dali em diante todos os dias. Eu era da época da Rede Globo finalmente saberia como tudo começou. Virei fã na hora (confesso que não era muito fã na época da Globo porque eu não conseguia chegar em casa sempre a tempo de ver). Como curioso que sou, fui pesquisar sobre o anime e acabei descobrindo que ela havia começado como uma franquia de videogame. Depois de uma tentativa falha de jogar Pokémon Yellow e Pokémon Gold num emulador em flash, eu consegui baixar um emulador e Pokémon Crystal e lá começou uma das maiores aventuras da minha vida.


Apesar dos videogames serem bem populares na minha cidade, eu não jogava muito. Em parte, porque meus pais não comprariam um videogame e jogos pra mim e para meus irmãos, em parte porque os as locadoras da cidade não tinham muitos jogos do meu interesse, em parte porque eu gostava mais de ler e desenhar. Mas quando “descobri” Pokémon Crystal, passei a gostar ainda mais de jogar.

O sentimento de escolher o primeiro Pokémon

De cara, eu fui ao laboratório do Professor Elm e ele me deu um Pokémon. As opções eram bem conhecidas por mim: Chikorita, Cyndaquil e Totodile. Eu não hesitei em escolher aquele pequeno Chikorita (era macho) e parti rota 29 a fora. Meu inglês não era muito bom então eu não entendia direito as falas dos NPCs mas entendia o suficiente para treinar. Então vieram as capturas de Pidgey e Rattata, a descoberta dos BOXs e como funcionavam (demorou muito um pouquinho), e tudo mais.

Sabe aquela sensação de você estar jogando e não querer parar porque tá muito bom? Quando você para pra dormir mas ainda fica pensando no jogo? Eu me senti assim naquela vez. Confesso que poucos jogos me fizeram (ou fazem) sentir isso. Entre os poucos casos posso citar Fire Emblem: Shadow Dragon, Professor Layton and The Curious Village, Mario Party DS e The Legend of Zelda: Minish Cap. Mas voltemos ao que interessa.

Se escolher o Pokémon de planta nos jogos de Kanto diminuía a dificuldade inicial, a coisa era diferente em Johto. Os primeiros Pokémon eram quase sempre resistentes aos ataques de planta sem falar no primeiro ginásio, que era do tipo voador. Se o anime tivesse ensinado direito sobre o sistema de vantagens eu teria me virado melhor, mas ele não ajudou nem um pouco. Foi com grande sacrifício que consegui a primeira insígnia. Aí veio o ataque da Equipe Rocket no Poço dos Slowpoke e o segundo ginásio que também me deixou numa saia justa. Mas naquela hora eu já tinha Flaffy, Geodude e Pidgey comigo. Quando derrotei aquele bendito Scyther vi meu Chikorita evoluir em Bayleef e logo em seguida meu ovo de Togepi rachou. Eu trenei muito aquele Togepi e ele evoluiu para Togetic no nível 16 (uma daquelas coisas que você só consegue fazer uma vez na vida, nunca mais consegui evoluir um Togepi tão cedo assim). Mas se eu achava que Scyther era um problema eu não estava preparado para o que vinha a seguir. Vocês sabem muito bem de quem eu estou falando.

Antes de enfrentar Whitney pela primeira vez eu dei uma boa olhada em Goldenrod, já que havia mais coisas para se ver nela que nas outras cidades anteriores. Entre shopping, cassino, torre de rádio e bicicleta, eu achava que estava pronto para enfrentar Whitney e seu demônio. Depois de perder praquela vaca duas vezes eu saí pra treinar e tive uma surpresa. O ovo que o cara do Daycare me deu chocou e nasceu um pequeno Tyrogue, que evolui em um Hitmontop depois de um pouco de treino e muita sorte. E como a terceira vez dá sorte, lá estava eu com a terceira insígnia. Os outros ginásios foram mais fáceis e rapidamente consegui as minhas oito insígnias.



Wild Entei appeared
Ai meu Deus, me segura que eu vou infartar"
Antes de desafiar a Elite dos 4 pela primeira vez eu continuei a brincadeira de capturar os Pokémon que eu ainda não tinha e aproveitar para ganhar experiência. Eu estava na Rota 34 descompromissadamente e encontrei um Drowzee roxo. Na hora eu não notei que era um Shiny e fiz a idiotice de derrotar o Pokémon. Eu achava que o caso do Drowzee era o mesmo do Machoke, onde a cor dele no anime é diferente do jogo. Nunca mais achei um Drowzee Shiny. Mas logo depois encontrei uma coisa melhor. O lendário Entei apareceu no meio do treino e eu não hesitei em usar aquela que diziam ser a melhor das Pokébolas: a Masterball. Depois de treinar mais em outros lugares e capturar Pokémon que ainda não tinha eu fui para a Elite dos 4 com meu time composto por Meganium, Pidgeot, Gyarados vermelho, Ampharos, Graveler e Entei. Eu achei que o jogo tinha acabado ali, mas então veio Kanto e Red.

Eventualmente o jogo acabou. Não havia mais nada para fazer. Era hora de dizer adeus. Aquela cena de Toy Story 2 com a história da Jessie e a antiga dona dela veio na minha mente.

O fim de uma era

Com o tempo eu fui jogando os outros jogos da franquia. Desde Red até SoulSilver. Tive alguns problemas enquanto jogava Pokémon Black e não quis jogar Pokémon Black2 sem terminar o jogo anterior. Mas nenhum dos jogos conseguiu me cativar como Crystal consegui daquela vez. Os jogos que eu citei acima foram os únicos que conseguiram tal proeza. Eu voltei a jogar Crystal algumas vezes, mas aquele sentimento não voltava. Há uma diferença enorme entre jogar não sabendo quase nada e jogar sabendo exatamente o que esperar. Aquilo foi a magia da primeira vez. Algo que nunca vai voltar. Algo que... bem, só acontece na primeira vez.

2 comentários:

  1. Vc me fez lembrar bem do primeiro jogo de Pokémon que eu experimentei, ruby, mesmo não sendo o mais desafiador ou mais emocionante pra mim foi único, por mais que eu tente recuperar essa emoção, é impossível...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. eu não posso falar, já que quando eu joguei ruby eu já sabia muita coisa pelos outros jogos;
      mas ruby não parece mesmo difícil

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!