Review: Pokémon XY058

Fala, galera!
Depois do review do XY057 e das primeiras impressões da dublagem de Pokémon XY, trago hoje minha avaliação da batalha de Ash contra Ramos!
Boa leitura e um grande abraço =DD

XY058/ Episódio 862 – Luta no Ginásio de Coumarine! Frogadier VS Gogoat!! 

Quando Ash e cia chegaram à Cidade de Coumarine no episódio passado, nem parecia que havia uma batalha de Ginásio chegando. Parte disso se deve ao fato de que, diferente com o que ocorrera com Grant e Korrina, não houve nenhuma grande antecipação para essa batalha, com treinamentos e estratégias sendo bolados especificamente para este desafio. O próprio Ash nem parecia tão empolgado no episódio passado - nos anteriores, havia aquela correria e pressa pra batalhar logo. Coumarine acabou se tornando um local mais promissor pela vindoura Exibição Pokémon de Serena do que pela batalha de Ginásio em si. Além disso, Takegami fez um trabalho muito pobre na caracterização de Ramos em seu episódio de estreia, tornando-o só mais um personagem do dia.
Portanto, é simplesmente louvável que Shoji Yonemura (O Dragão Mais Fraco de Todos!? Goomy Aparece!!) tenha conseguido reparar o dano feito anteriormente e tornar Ramos não apenas alguém carismático, mas aquele que eu considero o melhor Líder de Ginásio ao qual já fomos apresentados neste anime! Digo isto porque ser Líder de Ginásio implica saber perder. Diferente de ser um membro da Elite dos Quatro ou o Campeão, que devem proteger suas posições, os Líderes devem preparar os Treinadores para a Liga Pokémon, propondo os mais diversos desafios para capacitá-los para o evento - e se seu trabalho for bem feito, você vai perder. Porém, em anos de Pokémon, acho que é a primeira vez que algum Líder realmente faz esse trabalho de preparação do desafiante.


Antes da batalha em seu Ginásio - uma bela construção numa árvore imensa que os Treinadores devem escalar (como nos jogos, mas sem as plataformas e os cipós para o desafiante se balançar) -, Ramos pede que Ash se sente, tome um chá e lhe ajude com jardinagem. A lição aqui é aprender a não focar sua visão apenas àquilo que está à sua frente para não deixar de perceber detalhes importantes. E essa é também a chave da vitória para derrotar a estratégia principal de Ramos com seu Gogoat. Ou seja, antes da batalha, o experiente Treinador forneceu ao seu jovem desafiante o segredo para a vitória, de uma forma nada enigmática. Ele quer que Ash vença, ele quer que o rapaz supere suas estratégias.
E não faltam estratégias a Ramos! Se no episódio anterior, ele já havia demonstrado sua preferência por "desvios", aqui vemos como isso rege sua postura no campo de batalha completamente. Dia Ensolarado ativando a Clorofila em dois Pokémon, Defesa de Algodão, Pó Venenoso, Chifre Sanguessuga, Semente Sanguessuga, Folha Navalha e Nó de Grama são apenas alguns dos golpes que são empregados pelo Líder de forma excepcional em sua batalha e nos dão uma batalha excelente. Já fazia tempo que não víamos uma batalha tão estratégica e Ash tem que responder à altura. O problema é que, quando se fala de anime, não basta só estratégia, também é preciso coerência. E é aqui que o calcanhar de Aquiles de Yonemura é atingido em, pelo menos, dois momentos.
A batalha que abre o episódio, Fletchinder VS Jumpluff, é bastante coerente, como tem que ser. As formas como Ramos diminui a fraqueza de seu Pokémon aumentando sua defesa e velocidade são bons exemplos de como sua mente trabalha bem. Ash responde à altura investindo na Carga de Chamas de seu Pokémon para tentar alcançar a agilidade de seu oponente. Ramos fica tão encurralado  que seu Pokémon mal tem chance a uma ofensiva e cai.
Fletchinder foi o único a ter lutado nos quatro Ginásios até aqui - mesmo quando sua participação era completamente dispensável (estou olhando pra você, Ginásio de Cyllage). O problema é que em nenhum deles sua participação foi muito memorável e, ao longo da jornada, ele tem sido o Pokémon mais negligenciado do Treinador de Pallet (mesmo quando ele deve ser a estrela do episódio, os roteiristas escolhem um segundo Pokémon com o qual ele deve dividir o foco). Uma velha maldição da aves regionais que nem mesmo seu tipo Fogo consegue quebrar. Sua grande vantagem aqui, porém, dava traços de algo promissor, mas o título do episódio já destacava o foco no recém-evoluído Frogadier no combate final.
Não deixa de parecer precoce, forçado e até problemático, porém, quando o Pokémon Brasa cai para apenas um ataque do Weepinbell superforte de Ramos. Primeiro porque, mais uma vez, o Líder utiliza a habilidade Clorofila para aumentar a velocidade de seu Pokémon Planta, porém, ao menos pelas regras dos jogos da franquia, Fletchinder deveria manter a rapidez aumentada obtida com a Carga de Chamas da batalha anterior. Ainda que este não fosse o caso, Ash ainda investe no mesmo ataque para obter o mesmo resultado e, misteriosamente, falha em acertar o alvo - embora eu reconheça que a forma como Weepinbell utiliza sua evasiva difere consideravelmente daquela empregada por Jumpluff, por não envolver correr do oponente, mas aguardar o golpe e se esquivar na hora certa.
Pode-se até argumentar que Fletchinder também estava envenenado, logo isso também consumia seus pontos de vida, porém isso é pouco demais. Fletchinder não havia levado um dano sequer na batalha contra Jumpluff, o veneno dificilmente causaria tanto estrago em tão pouco tempo, o ataque Folha Navalha é fraquíssimo contra um Pokémon que além de tipo Fogo também é Voador, restando somente ao Pancada ser o golpe suficientemente fatal para levá-lo à derrota - talvez fora um dano crítico, mas nada é dito a respeito no episódio. Fazer Fletchinder perder aqui também parece mais uma forma de punir Ash por sua confiança começa a inflar demais depois da primeira vitória com louvor (um antigo pecado do Treinador), e trazê-lo à realidade. Além de criar um clima maior de tensão sobre a vitória do Palletiano. Embora ela tenha um propósito narrativo, não deixa de parecer mal escrita.
Felizmente, o confronto entre Hawlucha e Weepinbell é bem mais equilibrado - talvez porque também seja um vício do Papa-Mosca mais uma vez prova sua força incrível numa luta muitíssimo bem escrita. Apesar de ser um Pokémon Lutador e Voador, o luchador não possui nenhum ataque Voador e mesmo sua Pressão Aérea falha em causar dano superefetivo em seu oponente com sua tipagem dupla, por Weepinbell, além de Planta, também é Venenos - ainda que o anime tente passar essa impressão com uma fala de Clemont que alega que Hawlucha possua ataques que seriam superefetivos, isso não provou ser verdadeiro. Além disso, o fato de ser alvo do dano autoinfligido pela falha da Super Voadora, cair para o Nó de Grama, ficar envenenado e ainda levar dano da Pancada de Weepinbell fazem desta não apenas a luta mais dura para o orgulhoso Pokémon, mas também uma vitória completamente digna e bem justificada para o Pokémon Papa-Moscas.
Aliás, uma das coisas mais bacanas sobre as batalhas de Kalos em geral é como o baixo número de novos Pokémon serve para expor algumas daquelas criaturas que já estão há anos por aí, mas nunca conseguiram uma atenção digna, como Surskit ou o próprio Weepinbell, cujo histórico de participações envolve basicamente ser objeto do afeto de James. É claro que não contamos quando eles decidem usar Onix pela miliobilésima vez (estou olhando pra você, Ginásio Cyllage).
O problema do desequilíbrio continua quando Frogadier entra em casa e consegue derrotar Weepinbell e, depois de muita treta, Gogoat. Sinceramente teria sido muito melhor se Yonemura tivesse feito Ash trocar Fletchinder por Hawlucha, fazer o luchador perder do jeitinho que aconteceu e então lançar Fletchinder outra vez para vencer Weepinbell e perder para Gogoat. O lance é que Ash superando as adversidades lutando com um Pokémon em desvantagem contra alguém notavelmente superior é um antigo vício do qual eu estou feliz de não ver sendo repetido mais com tanta frequência como no passado, especialmente porque enquanto ela prova a superioridade de Ash, tem o exato oposto efeito nos Líderes de Ginásio (estou olhando pra você, Liga Hoenn). Ao menos para mim, é muito melhor quando apesar das desvantagens, os Líderes conseguem se provar um desafio real para seus adversários - como em Weepinbell VS Hawlucha.
O que me incomoda demais sobre a luta final é como Ramos continua sendo uma mente brilhante e fascinante que usa de diversas estratégias diferentes para rebater os golpes de Frogadier e ainda assim o sapão de Ash vence apenas fazendo o feijão com arroz de todo dia. É engraçado porque Gogoat usa de tantas artimanhas - inclusive uma técnica com as Folhas Navalhas que lembra muito a técnica ninja de ocultação das folhas usada por Sanpei e seu mestre - que até mesmo parece que quem tem a desvantagem na luta é ele! E a dificuldade do Palletiano em vencer parece mais resultado da desvantagem do tipo do que da genialidade de Ramos.
Ainda que, do ponto de vista do roteiro o episódio decepcione, quando o episódio acaba e o To be continued aparece, é impossível ter qualquer sentimento negativo. A animação é soberba do começo ao fim - aquele lindo nascer do sol! A iluminação está linda, os cenários belíssimos, há movimentos de câmera extremamente bem feitos (a apresentação da arena) e que enchem cada cena com empolgação. Há também uma criatividade incrível na forma como os golpes são animados. Vemos Nó de Grama, Folha Navalha e Semente Sanguessuga sendo usados de forma incrivelmente diferente e foda! A própria animação de Weepinbell é algo fantástica por si só. Seus saltos frequentes, que ganham impulso com seu Pó Venenoso, e o movimento nos cipós para aplicar a Pancada rendem uma combinação de cenas sensacionais! A única coisa que parece incrivelmente parece deslocada é o Golpe Aéreo de Frogadier. A animação é bizarra demais e parece muito só um Cortar fortalecido.
No encalço da boa animação, há também uma trilha sonora muito bem escolhida por Shinji Miyazaki, repleta com BGMs que trazem emoção e empolgação para cada cena! Battle! (Team Flare) é tão emocionante que tem rapidamente escalado para um dos meus temas de batalha favoritos. O único momento que realmente broxa é quando começa a tocar V (Volt) - ou seria Mega Volt? Eu realmente não sei mais a diferença e não ligo. Ao lado das cenas de personagens se jogando na frente de ataques de Pokémon e à animação do lema da Equipe Rocket, a antiga canção de abertura se torna o novo vício de Pokémon XY que pode realmente irritar e estragar momentos se você enjoar fácil desses repetecos, como eu. Entre pontos positivos e negativos, sobressaem-se os pontos positivos de "Luta no Ginásio de Coumarine! Frogadier VS Gogoat!!" e fazem deste quarto Ginásio não apenas mais uma Insígnia para Ash, mas também mais uma batalha de qualidade os Pokénerds.

Considerações finais:
  • O começo do episódio me enganou direitinho! Eu parei o episódio e chequei pra ver se não estava começando a ver a estreia da Serena por acidente! Mas é bom ver que ela está com o nervosismo da primeira vez;
  • Eu gosto muito de como Ash está tão ansioso pela batalha que ele acorda de madrugada e vai correr com Pikachu;
  • No começo do episódio, ao ver o sol se levantar, Ash diz que "o tempo vai ser ótimo". Ramos garantiu que fosse mesmo um Dia Ensolarado;
  • Eu gosto de como Weepinbell consegue detectar os movimentos dos pés do Frogadier no chão. Ainda que nunca dito explicitamente, isso parece refletir um detalhe utilizado há muuuuuitos anos no anime sobre como os Pokémon de Planta tem uma conexão forte com o solo;
  • Por favor, um encontro de Ramos com Mabel PLIS Ia ser lindo os idosos floristas cheios de sabedoria juntos ♥
  • É tão legal ver como Gogoat vai regularmente até Ramos para ter seus chifres tocados não só pra sentir os sentimentos de seu Treinador, como também para transmitir seus próprios sentimentos;
  • Ash pede que Goomy assista à batalha. Adoro a carinha dele assustada diante das dificuldades que Hawlucha enfrenta diante de Weepinbell;

2 comentários:

  1. Também não suporto quando começa a tocar V Volt numa cena importante T.T

    ResponderExcluir
  2. Ótima Review.
    Uma coisa que anda me incomodando bastante é o fato de tudo resultar em explosão, quando o Vine Whip foi usado no Water Pulse, seria muito melhor cair gotas de água doq uma explosão, o efeito seria bem melhor. Ou quando o Razor Leaf acerta, nem tudo precisa explodir.
    Por mais que seja difícil ver o Frogadier levando tantos golpes Grass e ficando bem, eu adorei a batalha, achei maravilhoso todos os ataques, principalmente as estratégias de Ramos, o Leech Seed, Razor Leaf, tudo diferente e amei isso, assim como vc só ñ gostei mto do Aerial Ace.
    Weepinbell foi simplesmente perfeito, enquanto Jumpluff foi totalmente mal aproveitado, poderia ter usado ao menos um golpe ofensivo, mas foi compreensível.
    É impressão minha ou o Hawlucha anda perdendo bastante ultimamente? x.x

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!