Ash e Paul: Uma história memorável




Eu sou daquelas pessoas que ama Pokémon Diamante e Pérola por inúmeras razões. Lembro muito bem daquele dia, onde eu estava assistindo o final da Batalha da Fronteira e cada um seguiu seu caminho, com Ash partindo para Sinnoh. Depois do intervalo comercial começaria uma nova fase no anime e eu não sabia o que esperar. E aquela nova fase era ótima. Entre batalhas cheias de estratégias, torneios, e tudo mais, havia um detalhe que chamava mais a minha atenção: Paul.





Quando Ash perdeu a Liga Hoenn eu comecei a perder o pouco interesse que ainda tinha nele e passei a acompanhar a anime mais pela May e suas apresentações. Quando Dawn chegou e mostrou que iria participar dos mesmos torneios eu decidi acompanhar Dawn e deixar o Ash de lado, mas Paul me fez querer dar mais uma chance ao palletiano.


Se os roteiristas querem que eu goste do Ash de novo, eles vão ter que
dar muito duro pra isso

Paul era o típico personagem com complexo de superioridade e super bom no que faz, como muitos que já apareceram ao longo dos inúmeros animes que passaram pela TV brasileira. Quando Ash não venceu a primeira batalha eu fiquei esperando pela aparição seguinte do Paul para ver a revanche e a vitória de Ash, pois era o que sempre acontecia. Mas isso não aconteceu. O que aconteceu foi que ficamos sabendo como Paul treina seus Pokémon, sua forma de pensar/agira e que ele não hesitava em abandonar um Pokémon caso não atendesse suas expectativas, como ele fez com Stantler, Starly e Azumarill. E nas diversas vezes que Ash e Paul batalhavam, Paul acabava vencendo. Mas como era possível Ash perder sempre para o Paul? Será que Ash estava errado na forma como criava seus Pokémon e Paul estava com a razão?


Mas não precisavam apelar também, né?

Por 4 anos eu acompanhei Ash e toda sua conversa sobre amizade e respeito com os Pokémon e achava maravilhoso, mas ele sempre acabava perdendo. Do nada chega um treinador que joga todo esse papo de amizade no lixo e vence todas. Ash, você mentiu pra gente esse tempo todo? Mas o melhor veio depois. O efeito que Paul causou em Ash.

Até o momento, as batalhas de Ash não envolviam lá muita estratégia. Eram basicamente comandos de ataque ou evasiva. Raramente tínhamos uma batalha que envolvesse um grau maior de estratégia. Depois de ver Paul vencer no ginásio de Oreburgh, Ash estava decidido a vencer o mesmo ginásio usando seu estilo, mas acabou perdendo. Foi então que tivemos a revanche contra Roark e uma das minhas batalhas de ginásio preferidas entre todos os ginásios, que (pra mim) só foi superada pela batalha contra Olympia, em Kalos. Ash adotou um estilo de batalha mais estratégico, mas sem abandonar sua crença. Se Ash sempre encontrava uma desculpa para não treinar em Kanto, em Sinnoh ele treina como se não houvesse amanhã. E não um treino ou outro uma vez perdida ou com um único Pokémon específico o tempo todo esquecendo que possui mais 4 outros precisando de treino também cof, Greninja, cof.

Se com Bulbasaur e Chikorita/Bayleef Ash apenas mandava usarem seus Chicote de Vinha e Folha Navalha, e eles quase nunca aprendiam um novo ataque (e quando aprendiam era do nada), com Turtwig, Ash treinou para ensiná-lo a Esfera de Energia que o próprio Ash pediu que Kenny ensinasse ao Pokémon. Era Ash decidindo ensinar um ataque novo para seu Pokémon, pois isso iria ajuda-lo nos ginásios e com Paul.

Se Ash se arrependeu de trocar sua Butterfree por um Raticate, em Sinnoh vemos um Ash que trocou seu Aipom por um Buizel, que era melhor em batalhas que o macaquinho normal. Mesmo que a ideia da troca não tenha vindo do Ash, o palletiano a aceitou e não voltou atrás na decisão.

Se em Hoenn vimos Ash mandar um Pokémon voador e um elétrico contra dois Pokémon de pedra mesmo possuindo dois Pokémon com vantagens contra eles, em Sinnoh vemos Ash não usar Staravia contra Roark já que seus outros Pokémon se sairiam melhor contra os Pokémon do líder de ginásio por possuírem golpes efetivos contra eles.

Se Ash decidia que não evoluiria seus Pokémon se eles não quisessem isso, em Sinnoh vemos Ash decidindo não evoluir o Gligar que estava desesperado pela evolução, enquanto o mesmo não superasse seus medos primeiro.

Para derrotar o Paul, Ash formou um dos melhores times já vistos.


Ao longo da fase DP vimos Ash adquirindo algumas características do Paul e vice-versa. Vimos um Ash mais estrategista e um Paul mais respeitoso. A “convivência” entre os dois foi refletindo no modo como cada um agia. E no fim tivemos uma das melhores batalhas de Liga Pokémon, com Ash e Paul colocando suas crenças e ideais em confronto. Foi duro ver Ash perdendo seus Pokémon para os Espinhos Tóxicos do Drapion. Mas foi ótimo ver aquela longa batalha do Infernape contra o Electivire, com direito até à torcida da Equipe Rocket. A reviravolta de Ash vencendo o último Pokémon que Paul ainda tinha. Além da cena final com a despedida dos dois.


Se há um jeito certo de se treinar um Pokémon, nunca saberemos. Se era o Ash ou o Paul que estava certo, também não saberemos. O que sabemos é que o encontro entre os dois foi uma das melhores coisas que aconteceu no anime. A rivalidade entre Ash e Paul pode ter passado, mas ela sempre ficará na memória dos fãs.

5 comentários:

  1. Obs: na imagem mostra o gible, mas ash usou staraptor contra o paul...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem Staraptor na imagem tb

      Excluir
    2. a intenção era mostrar o time completo do ash em sinnoh, por isso o gibe tá lá

      Excluir
  2. vc colocou uma coisa errada quem ajuda o ash e o gligar é o gary que dá aquela garra para o gligar evoluir

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!