Desa-Bafo do Dragão #5: A Alarmante Estagnação dos Jogos Pokémon!?


A Alarmante Estagnação dos Jogos Pokémon!?

Rentável nostalgia

A Nintendo sempre foi uma empresa apegada às suas propriedades intelectuais. Nenhum videogame seu é completo sem um MarioPokémon ou Zelda da vida e isso não é à toa. Além de serem extremamente populares e reconhecidos ao redor do mundo, as franquias da Nintendo são também as mais vendidas para seus consoles e portáteis desde o lançamento do primeiro aparelho da empresa. O problema é que os últimos anos não têm sido gentis com a Big N. Depois de serem levados a alturas antes nunca alçadas com o Wii e o Nintendo DS e seus impressionantes mais de 101 milhões e 154 milhões unidades  de hardware vendidas, respectivamente, a empresa tem amargado uma triste realidade com o Wii U e o Nintendo 3DS. Se as altíssimas vendas dos consoles anteriores permitiam que a empresa trilhasse um caminho próprio, com as demais desenvolvedoras de jogos interessadas em lançar games para os aparelhos que possuíam uma base de consumidor tão grande, os mais recentes têm encontrado dificuldade para encontrar suporte de third-parties, forçando a casa do Mario a quase que trabalhar sozinha. E 2015 foi um ano particularmente difícil.
Recentemente, o site Nintendo Life publicou um artigo se defendendo dos ataques que vem sofrendo dos leitores devido ao número relativamente grande de críticas negativas que seus redatores têm redigido sobre os jogos lançados para consoles da Nintendo este ano. O site se defendeu dizendo que, infelizmente, temos que admitir que este ano, por mais que gostemos da empresa e suas franquias, houve pouca coisa para se alegrar. De fato, este foi o primeiro ano desde que eu comprei meu 3DS que eu não fiquei desesperado querendo comprar cinco, seis jogos novos no ano. O Wii U não viu uma vida muito melhor. Splatoon é um imenso sucesso, mais do que qualquer um esperava talvez, enquanto Super Mario Maker chegou reinando como se esperava, porém nenhum dos dois vai fazer milagre pelo Wii U e suas 10 milhões de unidades vendidas em seu terceiro ano de vida e mesmo com Xenoblade Chronicles X saindo agora no fim do ano, é provável que ele não vá conseguir ir além do seu nicho de jogadores, por mais grandioso e elogiado pela crítica que ele seja. Além disso, 2015 também viu o The Legend of Zelda para Wii U ser adiado mais uma vez.
E não é que faltaram jogos de franquias conhecidas. Praticamente todas os IPs importantes da Nintendo tiveram jogos novos lançados este ano no ocidente. Além de Super Mario Maker, o universo do encanador também teve Yoshi's Woolly WorldMario Party 10 e o mais recente Mario Tennis: Ultra Smash, entre vários outros. Do lado hyruleano da Triforça tivemos The Legend of Zelda: Majora's Mask 3D e The Legend of Zelda: Tri Force Heroes. Kirby atacou com Kirby and the Rainbow Curse e os bichinhos de Animal Crossing vieram com Animal Crossing: Amiibo Festival e Animal Crossing: Happy Home Designer.
E, claro, tivemos Pokémon. Muitos até: Pokémon ShufflePokémon Rumble WorldPokémon Super Mystery Dungeon e agora Pokémon Picross. Porém, desses, pouquíssimos chamam atenção e pior: muitos deles são meros repetecos de fórmulas que deram certo no passado, com pouca novidade para apresentar. É alarmante quando os jogos de Nintendo 3DS que você mais quer jogar são na verdade versões portadas de títulos lançados originalmente para outros consoles, como Majora's Mask 3D e Xenoblade Chronicles 3DComo o foco deste blog são os monstros de bolso, foquemos nos lançamentos da franquia para este ano.

Muito título, pouca novidade

Com as vendas fracas do Wii U e do Nintendo 3DS - cujas mais de 54 milhões de unidades vendidas empalidecem perto das quase 155 milhões do antecessor -, a empresa tem buscado outras formas de otimizar lucros em cima do que já está dando certo: DLCs cheias de conteúdo especial exclusivo (Link no Mario Kart 8, quem diria!), os amiibos (aceito amiibo do Charizard de presente de natal), promessa de jogos para dispositivos como smartphones, além de jogos gratuitos que encorajam microtransações. O primeiro a funcionar dessa forma foi Pokémon Shuffle, seguido de Pokémon Rumble World.
A ideia de você poder jogar gratuitamente certamente é ótima e ambos os jogos se tornaram bastante populares, especialmente Pokémon Shuffle após ter sua versão para dispositivos móveis lançada. Todavia, tanto Pokémon Shuffle quanto Pokémon Rumble World são variações de jogos que receberam lançamentos para o Nintendo 3DS não tem muito tempo. O primeiro é basicamente um Pokémon Battle Trozei, lançado ano passado para o portátil, com gráficos diferentes, mega evoluções e uma dinâmica de jogo adaptada para comportar as microtransações. Já o Pokémon Rumble World é o segundo da série Rumble a ser lançado em 3D. O primeiro, Pokémon Rumble Blast, foi lançado há alguns anos atrás, em 2011/2012.
Nem mesmo Pokémon Super Mystery Dungeon escapa do problema de reciclagem de ideia. Primeiro porque infelizmente Pokémon Mystery Dungeon - Gates to Infinity existe e enquanto as primeiras reações dos jogadores têm sido muitíssimo positivas - o título conta com uma nota 9.0, baseada em 98 avaliações no Metacritic -, com um grande número de pessoas afirmando ser o melhor da franquia, muitas dessas também notam que o jogo parece apenas fazer um trabalho de melhorar tudo o que foi feito anteriormente, sem contudo trazer grandes inovações.
Nesse sentido, Pokémon Picrossterceiro jogo no esquema de microtransações, parece ser o único que parece realmente uma novidade. Enquanto jogos picross - um subgênero de puzzle que mescla palavras cruzadas com imagens, também conhecido como nanograma - não são novidade, pelo menos não tivemos um título estrelando os monstros de bolso este ano. Todavia, a ideia parece ser um resgate de um outro Pokémon Picross, que fora anunciado em revistas japonesas para o Game Boy Color lá nos idos de 1999, contudo nunca sendo lançado no fim das contas. E as novidades já anunciadas para ano que vem são Pokkén Tornament Pokémon Go. Enquanto o primeiro é basicamente um jogo de luta no estilo clássico com Pokémon (uma novidade na franquia, mas nada realmente inovador), Pokémon Go vai permitir que os jogadores usem seus smartphones para pegarem, batalharem e trocarem Pokémon.
Todavia, Pokémon Go promete inovar ao fundir os mecanismos dos jogos clássicos com realidade aumentada. Não é de fato a primeira vez que Pokémon insere tal tecnologia em seus jogos. Pokémon Dream Radar e Pokémon Mystery Dungeon - Gates to Infinity já fizeram isso. Porém, o diferencial é que o aplicativo para smartphone promete usar o GPS dos aparelhos para inserir diferentes Pokémon no mundo real, conforme o ambiente em que eles se encontram, o que é muitíssimo interessante. A ideia de várias pessoas indo fisicamente pegar seus Pokémon é ótima, assim como a forma como isso promete investir ainda mais em interações entre jogadores. Sem contar o forte apelo que a ideia teve com os fãs antigos ao exibir um trailer com um mundo habitado por monstros da primeira geração. Apesar disso, a ideia ainda é norteada pelos mesmos princípios de captura, batalha e troca.
Nos últimos anos, os jogos Pokémon parecem ter entrado num triste retrocesso. Enquanto Pokémon X & Y foram sim esteticamente lindos e os tipo Fada uma adição legal, a existência e função de muitas Mega Evoluções parecem não ter sido pensadas com o devido cuidado e a narrativa desses jogos foi simplesmente uma das piores já feitas para a franquia, uma queda imensa considerando as discussões que Black & White provocavam. E os tão aguardados Pokémon Omega Ruby & Alpha Saphhire são uma vergonha comparados aos remakes perfeitos que Pokémon HeartGold & SoulSilver Versions foram.
No campo dos spin-offs, é triste ver que não há nenhuma grande novidade, como nos anos anteriores e só reciclagens. Cadê uma nova série de jogos tão poderosa quanto (ou mais) Pokémon Mystery Dungeon ou Pokémon Ranger? Ou então por que os produtores se recusam a fazer um novo Pokémon Snap, quando ambos os consoles atuais da Nintendo são perfeitos para um game do gênero? Com ambos o Nintendo 3DS e Wii U sendo capazes de gráficos decentes (tantos jogos Nintendo ficam absolutamente lindos no Wii U!) para criar um mundo tridimensional dinâmico, vivo e bonito de se ver, a capacidade de compartilhamento de fotos nas redes sociais - e a Nintendo tendo sua própria rede social, o Miiverse -, e a possibilidade de interação online (imagine só desafios de fotografia sendo lançados online ou até mesmo eventinhos especiais destrancados com amiibo), por que a Game Freak tem deixado essa oportunidade passar? O que aconteceu com o ousado jogo do detetive Pikachu que estava em desenvolvimento e nunca mais se ouviu falar? É triste quando o último grande anúncio é simplesmente a chegada de Pokémon RedBlue & Yellow à eshop do Nintendo 3DS.
Há meses os fãs vêm esperando edições mensais da Coro Coro para descobrir o que virá a seguir e encontrado apenas decepção em suas páginas. Se 2015 foi um ano triste para os fãs da Nintendo em geral - morte de Satoru Iwata, péssima apresentação na E3, Zelda e Star Fox adiados -, isso tem se refletido também em Pokémon. Enquanto eu realmente não queria um jogo novo este ano depois dos três anos seguidos que tivemos de lançamentos e da decepção de ORAS, eu de verdade já queria saber o que a Nintendo tem em mente para 2016. Com o anime já se adiantando e entrando numa "fase Z", será que ainda podemos contar com a existência de Pokémon Z? - eu sinceramente já não acredito que esse nome será utilizado. Afinal de contas, ano que vem Pokémon comemora 20 anos de existência e o mínimo que eu espero é uma forma digna de celebrar duas décadas da criação de Satoshi Tajiri. Que a Game Freak não nos decepcione!

Para mais conteúdo de Sir Charizard, acesse o Vale Charicífico clicando aqui.

15 comentários:

  1. Como exatamente ORAS é tão inferior ao HG/SS?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hm... acho que essa resposta merece um texto

      Excluir
    2. Também não entendo a crítica em relação a ORAS... Aguardarei a resposta, mas espero que vc deixe fatores pessoais de fora.

      Excluir
    3. Mas isso é possível. Qualquer crítica leva em conta sensações pessoais experimentadas pelo autor do texto.

      Excluir
    4. OR AS foi horrível e eu prefiro POKÉMON EMERALD.

      Excluir
  2. Isso que você está falando é apenas um lado da história.
    Ok, em termos de números de vendas XeY e ORAS perdem para DP ou HGSS. Contudo, você não está considerando um cenário global, principalmente em termos econômicos.
    A nintendo se viu obrigada a abandonar vários mercados, inclusive o Brasil, perdendo também o seu lugar na lista das 100 mais lucrativas do mundo pela Forbes.
    Eu concordo que está estagnada a franquia de Pokémon, mas acredito que a crise mundial tenha um impacto bem maior que a falta de criatividade em desenvolver jogos...

    ResponderExcluir
  3. Eu discordo plenamente que ORAS foi uma decepção, na verdade tá mais pra uma evolução dos gráficos tridimensionais na franquia principal. Logo na primeira vez que joguei, do começo ao fim, percebi como as jogadas de câmera e as cutscenes melhoraram em relação a XY, sem contar que os personagens principais, quando jogáveis, tem expressões faciais próprias quando enfrentamos a team aqua/magma. Também achei meio redundante você falar q não inovaram muito em Pokémon Super Mystery Dungeon e depois pedir por mais Mystery Dungeon, mas concordo que sinto falta da série Ranger e que poderia haver a franquia de spin offs de Snap.
    Outra coisa, é que a cada geração tínhamos cada vez mais spin offs, mas na quinta geração o número caiu e na sexta... bom, tenho que concordar que os últimos spin offs não me agradaram muito, com exceção do novo Mystery Dungeon (jogos que eu adoro), do Shuffle (é de graça XD) e do Pokémon GO.

    ResponderExcluir
  4. Pra mim, Shuffle não precisava ter sido lançado no 3DS, só pra Mobile. Picross eu adorei, pra mim Pokémon + Picross é uma combinação perfeita, só precisa de mais estágios. Rumble World não precisava existir, assim como Rumble U (esse último porque foi bem mal feito). Super Mystery Dungeon parece muito bom pra quem gosta de Mystery Dungeon, o que não é meu caso (na verdade o Gates to Infinity é que parece ter sido bem mal feito, nem tendo todos os pokémon da época). E eu também sempre quis um jogo de luta de Pokémon, então fico bem feliz com Pokkén (a quantidade minúscula de lutadores já era esperada). Sobre GO, não estou animado, mas pretendo dar uma chance quando for lançado.

    Já sobre a série principal, realmente XY não é tão bom quanto BW, mas eu já esperava algo do tipo, uma vez que foi o primeiro jogo totalmente 3D e o hardware do 3DS não ajuda. Já ORAS, também concordo que HGSS foi muito melhor. ORAS destruiu a linha do tempo e ainda inventou universos paralelos como desculpa, faltaram coisas básicas como location previews, Juan, Battle Frontier e ainda não me conformo com Mega Rayquaza (por que não Primal?). Sobre RBY no VC, saudades Green.

    Por último, tenho esperança de que o NX seja um híbrido, o que provavelmente faria a 7ª geração ficar bem melhor que a 6ª. E com isso, GameFreak/Creatures/Nintendo estejam apenas esperando a 7ª gen com modelos em HD de todos os pokémon para lançarem um novo Snap reutilizando esses modelos (porque criar modelos e animações em HD de vários pokémon pra serem usados só uma vez em um jogo de nicho é desperdício de dinheiro). Se isso estiver correto, pode ser o mesmo motivo de não ter saído PokéPark no WiiU.

    Desculpa se ficou muito grande...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Imagina, li teu comentário com o maior prazer =D

      Excluir
  5. Olha, voce tem toda razão, eu tive wii, tive 3ds e joguei ds apenas no emulador, não achei para comprar na época que lançou e acabei deixando quieto...
    O que faltou nessa geração foram jogos que ligassem o 3ds e o wiiu, no wii teve alguns, no caso do pokémon teve pokémon battle revolution, eu tive o jogo assim que comprei o wii em 2008 e ele me fez fortemente ter vontade de comprar um ds com pokémon diamond e pearl, para poder envia-los ao wii e jogar com mais opções de escolha...
    Quando comprei o 3ds e joguei o pokemon xy eu terminei ele sem muita emoção, nada comparado ao diamond pearl ou heart gold soul silver ou mesmo black and white 1 e 2, eu senti que faltava algo, parece que em 3d não foi tão bom quanto o simples 2d do ds, acabei vendendo o 3ds porque já não via muita esperança nele, além do fato de eu só poder jogar sozinho por não conhecer ninguém perto que tem 3ds, o que se eu tivesse ds em sua época não aconteceria pois tinha pessoas por aqui com um ds...
    Acabei comprando o wiiu, estou agora jogando os games que esse teve, realmente o wiiu tem muitos jogos bons, porém faz falta as thirdy que viamos no wii, fora jogos que são prometidos e abandonados como é o caso de um game de corrida que ia sair apenas no wiiu, os donos de wiiu bancaram o projeto com doação e depois os desenvolvedores deram para trás só lançando no ps4 o game...
    Agora mesmo com o wiiu em mãos, ainda jogo games de wii nele, teve tanta coisa boa que em 4 anos que tive o wii não joguei nem metade dos games que tive vontade...

    Acredito que a nintendo deveria ter esperado mais antes de ter entrado nessa geração, ter ficado mais um ano com wii e ds, se tivesse anunciado o 3ds em 2012 e lançado em 2013 já com pokémon xy, no caso do wiiu também lançando em 2013 com um mario galaxy 3 ou um game pokémon que interage entre wiiu e 3ds seria incrivel, assim a nintendo teria tempo de analisar o mercado, ver como é o hardware do ps4 e xone e desenvolver um game em um ano...Acredito que isso teria feito ela decolar nessa geração...

    Sem contar o fato que os videogames mais vendidos de todos os tempos já vieram praticamente destravados depois do lançamento, isso aumenta e muito as vendas do console...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poooxa não precisava vender o 3DS =OO tanto jogo massa!

      Excluir
    2. Então, eu tive o 3ds até meados desse ano, o ultimo game que adquiri foi de 2014, e eu nunca fico com 2 videogames de uma vez, sempre vendo um para comprar outro, porque de qualquer forma, o anterior ia ficar apenas guardado mesmo, seguindo essa linha, vendi o wii em 2012 para comprar o 3ds, e vendi ele esse ano para comprar o wiiu...
      Joguei todos os games de 3ds que eu gostaria ter jogado, praticamente todos os grandes lançamentos da nintendo até 2014 eu joguei, menos omega ruby e alfa saphire e mario party do 3ds, mas como eu não me empolguei com o xy eu já nem via esperança nesse remake e mario party pra jogar sozinho não tem graça, pra mim o melhor game de 3ds que joguei foi o link between worlds, que me lembrou muito a época do a link to the past, só por esse game valeria ter o 3ds, porém o 3ds foi meu primeiro portátil, eu comprei ele cedo e esperava que fosse popular como foi o ds, estava enganado, aqui não tinha ninguem com 3ds, não tinha com quem jogar, a não ser online, então não me arrependi de ter vendido o 3ds, na verdade me arrependi mais é de ter vendido o wii para comprar o 3ds, deveria ter ficado com o wii até o wiiu ter mais jogos bons, e olha, vai ser dificil eu comprar portatil de novo, porque tem esse problema de voce precisar ter algum amigo que também tenha o mesmo portatil para poder jogar em dupla, eu preferia que desenvolvessem algum aparelho que pudesse ligar ele na tv e usar controles de wii como segundo jogador, algo assim, mas ai ja seria hibrido de portatil com console de mesa...to viajando aqui...kkk
      No wiiu como eu ja disse, estou jogando os games de wii que não joguei em 4 anos que tive o wii, de 2008 a 2012, tem tanta coisa que em 4 anos eu não joguei, e olha que eu tive muitos games no meu wii.
      E ao menos pra mim, valeu bem mais a pena, o wiiu ta cheio de jogo que quero jogar, até agora só tenho new mario bros no wiiu, ainda tem muito game maravilhoso pra passar horas, o proximo que eu pegar provavelmente vai ser mario kart 8, mas ainda tem o zelda wind waker, donkey kong, yoshi, mario party, o pokémon que vem ai, e o melhor, posso jogar em dupla com quem eu quiser, sem eles precisarem comprar videogames iguais sabe...
      Por enquanto pra mim, portatil é o celular agora, mas quem gosta de portatil, do 3ds especificamente, tem que comprar mesmo e ser feliz, tem muitos games bons. ^^

      E novamente, não me conformo que nessa geração faltou a interação de portatil e console de mesa, cara, como eu queria que tivesse um game pokémon no wiiu do tipo battle revolution com a possibilidade de transferir pokémon do 3ds para o wiiu, seria incrivel jogar com os pokémon do xy em um game do wiiu, se isso tivesse sido feito ja no lançamento, teria deslanchado em vendas tanto 3ds quanto wiiu...

      Excluir
  6. Na melhor das hipóteses no pokémon xyz misture o mapa de kalos com o mapa de kanto em comemoração dos 20 anos, igual ao que fizeram com hg/ss

    ResponderExcluir
  7. Concordo plenamente com o que o autor disse! Sinto a mesma coisa!

    ResponderExcluir
  8. Discordo completamente que ORAS foi uma decepção, muito pelo contrário foi um dos melhores jogos desde a Platinum (minha opinião)

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!