Crônicas de Bolso: Histórias Especiais - Eevee (Final)

Olá, galerinha!

É com muita alegria e emoção que trago hoje aqui o último capítulo desta história que nós acompanhamos todo esse tempo! E aí, estão animados? ^^

Pois bem, hoje é dia de Crônicas de Bolso e teremos o desfecho da saga do Eevee! Chegamos ao fim de uma história que começou lá atrás. Então, vamos descobrir os mistérios da evolução? Boa leitura! =)

No topo da Torre da Evolução, Eevee encontra as borboletas de luz...

Eu não disse que tudo valeria a pena no final? O que fica é o que importa, as dificuldades são levadas pelas areias do tempo e uma grande pedra se firma sobre os problemas. Desta pedra, surgem a grama e as flores de um novo amanhã. Com o perfume das flores, vêm as borboletas de luz. Borboletas de luz... O que há no final do arco-íris? Um pote de ouro, é claro. E o que há dentro do pote de ouro? Com certeza, algo muito mais valioso do que ouro...os...


Histórias Especiais: Eevee (Final)



   Quando Eevee pisou sobre a ponte do arco-íris, as borboletas de luz começaram a se separar, voando pelo céu e deixando uma trilha brilhante para trás, um brilho luminoso que caía do céu como uma chuva ou uma bênção enquanto caminhava pelo arco-íris.
   O filhote tocava a ponte com suas patas e andava firmemente sobre ela, mas não era a mesma sensação de se estar andando sobre a terra. Também não era como flutuar ou voar, era completamente diferente de tudo o que já havia feito antes.
   À medida que Eevee caminhava, um grande jardim podia ser visto ao redor da cúpula de diamante. No entanto, tudo lá era diferente do que se costuma ver. A grama era azul como o mar e as flores mudavam de cor constantemente, cada uma em seu próprio ritmo. O tronco das árvores era púrpura, mas suas folhas pareciam ouro.
   Pelo jardim, voavam dentes-de-leão que nunca se separavam no ar. O vento era doce e gentil, perfumava o mundo e acalantava o coração. As rosas eram só pétalas, sem espinhos. As maçãs eram mais vermelhas do que em quaisquer pomares terrenos. Tudo era belo e harmonioso.
   Quando o filhote chegou finalmente ao jardim, a ponte do arco-íris começou a se desfazer, tal qual fizera a plataforma de borboletas de luz, deixando também um rastro brilhante enquanto desaparecia. Eevee encontrou o final do arco-íris.


   — Seja bem-vindo, irmãozinho. Tu não sabes o quão feliz eu fico por te ver aqui. Esta também é tua casa, Eevee.

   De corpo puro e branco, Sylveon surgia com suas fitas azuis e cor-de-rosa prontas para abraçar o filhote. Sem poder sequer dar uma volta pelo jardim, o filhote logo foi ao encontro de sua irmã, a caçula dentre todos os outros que conhecera.
   De repente, os grandes olhos de Sylveon tomaram-se em lágrimas, como o encontro do céu com o mar. Os azuis-celestes mais belos pertenciam aos olhos daquela fada, que parecia enxergar a alma e sentir com o coração do próprio Eevee. Sem palavras, Sylveon traduzia o que seu irmão carregava no peito em sentimentos e emoções e as vivenciou como se fossem suas.

   — Eu sempre soube que fadas existiam e hoje eu sou uma, Eevee. Eu sempre soube que fadas existiam, assim como suas asas. Todas as batalhas cessaram, tu já venceste o mundo, irmãozinho. O que resta é o amor.


   A doçura das palavras de Sylveon era tão envolvente quanto o entrelaçar de suas fitas. Depois de um longo e fraternal abraço, a fada convidou o filhote a conhecer seu jardim de perto, pois há muito não recebia visitas em sua casa. Eevee ficou maravilhado com a exuberância de uma natureza tão exótica, parecia coisa de outros mundos.
   Sylveon tomou uma maçã de seu pomar e a partiu em duas, oferecendo uma metade ao filhote. Eevee provou o sabor do paraíso ao comê-la com vontade. Além de bem vermelha, a casca parecia cristalizada e deslumbrante, como se as maçãs nascessem banhadas em mel.

   — Sylveon, este lugar é incrível! Eu não consigo descrever o quão bem eu me sinto estando aqui. Foste tu quem criou este lugar? Ainda estamos na Torre da Evolução?

   — Estas maçãs são mesmo deliciosas, são um prêmio mais do que merecido para ti, irmãozinho. Eu vi cada dúvida, cada alegria, cada tristeza dentro de ti. Estamos no topo da torre, o coração de nossa mãe. É daqui que cuido de todos para o bem comum. Sou eu a responsável por administrar a evolução dos que estão entre nós e trazer novos irmãos até aqui.


   Eevee não conseguiu exprimir qualquer tipo de reação, apenas observava Sylveon com os olhos arregalados, estava completamente impressionado. Sylveon era delicada, sorria como uma menina e tinha um ar de ingenuidade que se assemelhava ao dele mesmo. Sylveon era pouca coisa mais velha do que Eevee, mas tinha aura de criança, seu jeito era mais infantil que o do próprio Eevee. Talvez a experiência de passar por todos os andares da torre tenha feito do filhote alguém maduro, uma criança madura, na harmonia de duas coisas opostas.

   — Por que estás me olhando assim? Estás fazendo cara de bobo, irmãozinho! Vamos para dentro, quero que conheças o coração de nossa mãe, onde eu moro.

   Sylveon usou suas fitas para indicar o caminho a Eevee, convidando-o a acompanhá-la. Os dois caminharam tranquilamente pelo jardim e retornaram à porta principal que dava passagem ao interior da cúpula de diamante cor-de-rosa. Pelas palavras da fada, o filhote teve um estalo e percebeu que aquilo não era apenas uma cúpula, mas realmente tinha a forma de um coração.
   Passando por dois grandes pilares que sustentavam a fachada, Eevee e Sylveon subiram os últimos e poucos degraus da torre, chegando ao coração da mãe.


   As paredes de diamante permitiam que a luz solar entrasse no local e fosse refletida, iluminando o coração. Diferente de tudo o que Eevee esperava, a cúpula era um lugar simplesmente comum, livre de elementos suntuosos, porém muito aconchegante. O interior do coração era basicamente um quarto de criança, com diversas bonecas espalhadas pelo chão e espelhos de cristal que se iluminavam com a incidência da luz.
   Havia uma cama, alguns tapetes, um par de estantes, uma mesa e uma cadeira. Bonecas de pano tomavam conta do chão de madeira, bem como os móveis também o eram. Lápis de cor, giz de cera e muitas folhas rabiscadas e em branco. Também havia vasos, livros e um porta-retratos para dar um toque final à decoração.

   — Irmã, seria ruim se eu te perguntasse como vieste parar aqui na torre?

   Sylveon soltou uma bela gargalhada, parecia se divertir com o receio de Eevee, já que aquela pergunta era mais do que natural para ambos. O filhote estava apenas sendo curioso e ela já conhecia seu costume de perguntar coisas.


   — Assim como todos, eu também sofri uma grande decepção e perdi o rumo. Eu fui um presente de aniversário para minha dona, uma menina, filha única. Se eu fechasse os olhos, certamente me lembraria de todos os bons momentos que passamos juntas... e dos maus também. Crianças crescem e mudam seus interesses. Hoje ela deve ser uma jovem bonita e esperta, mas do tipo rebelde. Costumávamos brincar de cantar, talvez ela esteja em alguma banda. Bem, eu cresci e ela cresceu também, mas minha aparência deixou de agradá-la com o passar do tempo, ainda não sei o porquê... Talvez ela goste mais de um Umbreon hoje, mas isso é normal. Mudar é normal...

   — Então, este quarto... é o quarto da sua amiga? Tu criaste um quarto semelhante ao que ela tinha no passado, Sylveon? Eu gostei, é bem bonito!

   — Que incrível, Eevee. És tão pequeno e já sabes de todos os mistérios da torre! Talvez eu te veja em meu lugar no futuro, cuidando da torre e de nossos irmãos. Acho que tomei este posto por acaso, o antigo administrador da torre me escolheu para ocupar seu lugar. Talvez tenha sido assim por eu ter descoberto o segredo da evolução muito jovem e tu estás indo por um caminho quase como este!

   Antes que Eevee pudesse inundar Sylveon com suas perguntas, ela o chamou até o centro do quarto, onde havia uma espécie de globo terrestre cuja base era um tronco dourado de árvore. Quando ambos se aproximaram do globo, telas circulares começaram a se abrir ao redor deles, com imagens de todos os andares da torre.


   — Aqui eu posso acompanhar a evolução de todos, mas as imagens só aparecem quando alguém precisa de mim. Leafeon está sempre visível, não sei o que fazer por ele... Como tu podes ver também, a tela de Jolteon está vazia, mas a torre não sofre mais. Tu encontraste o caminho até o coração de nossa mãe e ela foi capaz de superar a dor da perda.

   — Mas e tu, Sylveon? Quem acompanha a tua evolução? Se nem tu podes ajudar Leafeon, isso não pode ser tua responsabilidade. Eu vi que ele deve ajudar a si mesmo e aceitar a nossa ajuda, mas isso leva um tempo. O que tu podes fazer estando tão longe de todos?

   — É um pouco doloroso ouvir de ti as mesmas perguntas que me faço. Mesmo estando longe, sei que alguma coisa eu posso fazer. Eu sinto o coração da torre e oriento as ações de Espeon e Umbreon. Nós os acalmamos com as ilusões felizes de Espeon, geramos medo e dúvida com Umbreon e finalmente damos um motivo pelo qual lutar através dos sonhos e desejos que eu represento. Sou eu quem simboliza na torre o teu desejo de voar, Eevee. Foi por mim que tu venceste a ilusão e as sombras! Se Leafeon não evolui, eu sou a responsável, pois não há um desejo forte o suficiente nele para vencer Espeon e Umbreon, que fazem suas partes perfeitamente bem.

   Era como se toda a leveza de Sylveon se desfizesse naquele instante. A fada carregava o peso de uma torre inteira e incontáveis destinos em suas próprias costas e não havia sequer quem olhasse por ela. A função de administrar a torre era concedida apenas a quem estivesse suficientemente capacitado para suportar tamanho fardo e pudesse alcançar a evolução por si só. Talvez esta não fosse a realidade de Sylveon naquele momento, mas poderia ser em um futuro próximo.




   Em uma tentativa de disfarçar o visível cansaço devido a sua posição, Sylveon caminhou até uma janela e colheu uma fruta brilhante de uma árvore com suas fitas. Retornando ao centro da cúpula, ela a ofereceu para Eevee.

   — Tu venceste, irmãozinho. Então, eu tenho permissão de te dar esta fruta dos desejos. O segredo da evolução é o amor. A grande pergunta e a grande resposta são a mesma coisa. O amor por teus irmãos e o amor por teu sonho fizeram-te vencer os obstáculos da vida e evoluir. Com meu poder, eu te concedo a realização do teu desejo, Eevee!

   Eevee chegava a tremer de tanta emoção. O filhote aceitou prontamente o fruto que parecia uma esfera de luz, mas ficou receoso por alguns instantes. Eevee fechou os olhos e se concentrou em seu desejo firmemente para então morder o fruto de luz.
   Uma grande explosão de aura começou a se formar a partir do fruto, cuja luz crescia mais e mais. Os olhos de Eevee ficaram brancos e brilhantes. As fitas de Sylveon tremulavam como se ela estivesse em meio a uma forte ventania. Pouco a pouco, Eevee foi voltando ao normal e o fruto começava a sumir em pleno ar. Sylveon se aproximou cautelosamente do filhote e não notou qualquer mudança física em seu corpo.



   — E então, Eevee? Podes voar agora? Estás feliz por ter conseguido realizar o teu desejo?

   — Estou feliz, Sylveon, mas não por poder voar, pois não posso ainda. Eu não pedi para me tornar capaz de voar...

   Uma mistura de surpresa, receio e curiosidade tomaram conta da fada a ponto de seus olhos se abrirem e ficarem maiores do que já costumavam ser. Eevee continuava calmo e tranquilo, parecia ter completa noção do que estava fazendo ou estar completamente alheio à importância daquele momento.

   — Eu pedi que tu tivesses alguém para olhar por ti, Sylveon. Pedi que todos nós vivêssemos como irmãos de verdade para que todos nós pudéssemos olhar por cada membro de nossa família. Pedi que Vaporeon se perdoasse. Pedi que o mundo fosse gentil com Glaceon. Pedi a evolução de Leafeon. Pedi pela vida de Jolteon. Pedi a felicidade de Flareon. Pedi que Espeon e Umbreon deixassem as mágoas para trás e... pedi que alguém cuidasse de ti, Sylveon.

   Não havia nada que pudesse conter o choro de alívio que vinha do fundo da alma de Sylveon. Em um grito de alívio desesperado, a fada sentiu todo o peso de suas costas desaparecer. Ela não estava mais sozinha com suas responsabilidades. Sylveon era o mais puro amor, amor que ela dedicava até hoje à sua antiga dona que a rejeitou pela sua aparência. Foi naquele momento que a vida retribuiu todo o amor que Sylveon emanava.


   Sylveon uniu suas fitas e tocou o próprio coração, fechando os olhos e emitindo um som angelical com sua voz doce. A melodia tranquila de sua voz gerou uma onda de energia que se expandiu para além da cúpula de diamante, ganhando um brilho cor-de-rosa e caindo do topo da torre até o chão.
   Com o poder de Sylveon, as borboletas de luz novamente se formaram e voaram por todo o interior do coração da torre. Eevee olhou para Sylveon e viu que os laços em sua testa e em suas fitas se transformavam nas tais borboletas. Era a fada que se multiplicava em um milagre na forma de panapaná.
   Dez mil borboletas de luz desceram do topo da Torre da Evolução, que assumia uma nova forma. Conforme elas voavam até a base da torre, os blocos de granito eram adornados com bordas douradas e grandes sinos apareciam nas laterais de cada andar da torre.
   Os sinos badalavam com o voo das borboletas e pareciam anunciar um novo começo para todos. O desejo de Eevee tornou-se algo maior do que ele mesmo havia imaginado. O segredo da evolução sempre foi e será o amor, seja por si mesmo, pelos outros ou por uma causa. Eevee queria o bem de todos e os colocou acima de seu desejo de voar. A própria torre evoluiu, até mesmo a grande mãe evoluía com seus filhos.
   Sylveon tornou-se a administradora da torre porque conhecia o amor irrestrito em todas as suas virtudes, era a portadora do segredo da evolução. O desejo de Eevee garantiu a oportunidade para que todos os irmãos de sua espécie ao redor do mundo encontrassem o amor.


   Sem dizer uma só palavra, Sylveon estendeu uma de suas fitas em direção a Eevee e ambos começaram a descer as escadas da torre pela primeira vez. Saindo do coração de diamante, os dois caminharam tranquilamente até o jardim e um grupo de borboletas os envolveu.
   Eevee sentiu seu corpo ficar leve e logo depois notou um pequeno solavanco. Quando o filhote abriu os olhos, ele reconheceu novamente o rio, a floresta, a clareira e as flores. Ele estava de volta ao seu ponto de partida. Sylveon ainda não conhecia a floresta como Eevee, mas só conseguia prestar atenção aos que se aproximavam.
   Do portão externo da torre, Espeon e Umbreon surgiram e se reuniram a eles. Eevee estava tão radiante que logo começou a brincar com seus irmãos, pois queria reencontrá-los. Rapidamente, o filhote notou algo diferente, Umbreon olhava para Espeon com carinho e compreensão e seu olhar era retribuído pela irmã. A semente que Eevee plantou ao encontrar os dois pela primeira vez floresceu graças ao poder de Sylveon. A reconciliação é um processo que exige trabalho de ambas as partes, mas Espeon e Umbreon tinham o mais importante: disposição para recuperar seus laços fraternos.

   — Que tal me devolver isto, Eevee? Ela fica bonita em tua testa, mas eu sinto falta dela. Garanto que ela lhe foi útil em muitos momentos.

   No início, Eevee não entendeu o que Espeon dizia, mas logo percebeu do que se tratava. Até aquele momento, o filhote ainda estava com a joia de Espeon em sua testa e só se deu conta disso quando a cauda dupla de sua irmã a tocou.
   Logo depois, Vaporeon surgiu da torre com sua imponente cauda de peixe. Ao se aproximar dos irmãos, Espeon, Umbreon e Sylveon se curvaram diante de Vaporeon, demonstrando humildade perante o mais velho dos irmãos. Eevee ficou um pouco encabulado e surpreso e travou na hora de imitar seus irmãos. Sylveon olhou para Eevee e sorriu com sua doçura característica.

   — Há quanto tempo não nos vemos, Vaporeon! Até hoje eu sinto que não estou à altura de substituí-lo no topo da torre. Espero que eu consiga cuidar de todos tão bem como você.

   — Espera, Sylveon! O Vaporeon era o administrador da torre?! Ele vive no primeiro andar, foi o primeiro irmão que eu conheci!

   — É verdade, pequeno. Porém, meu tempo agora é outro, é a Sylveon quem deve cuidar da torre agora. No passado, eu conheci o segredo da evolução e compreendi a linguagem de nossa mãe. No entanto, eu não quero estar acima de ninguém, me pus abaixo de todas as casas e recebo os novos irmãos que precisam de um lar. Minha vida é ensinar e cuidar neste momento, por isso eu prefiro viver próximo de quem realmente necessita de mim.


   Eevee estava tão feliz por ver tantos irmãos reunidos que virava sua cabeça constantemente para ver se alguém mais apareceria pelo portão da torre, mas ninguém mais se apresentou. O filhote ficou confuso e questionou o motivo de os outros estarem demorando tanto para aparecer.
   Naquele meio-tempo, uma das borboletas retornou e se aproximou de Sylveon. A fada fechou os olhos e parecia conversar com a borboleta. Uma brisa morna e reconfortante passou por todos e a borboleta de luz desapareceu. Sylveon abriu os olhos e caminhou até Eevee, parecendo estar prestes a revelar alguma coisa.

   — Nossos irmãos evoluíram, Eevee. Eu não poderia estar mais feliz e... surpresa. Glaceon, Leafeon, Jolteon e Flareon encontraram seus destinos. A torre os preparou para uma nova vida graças ao poder do seu desejo! Sei que eles não estão aqui agora, mas talvez nos reencontremos... Nós sempre nos reencontramos.

   — Mas o que aconteceu com eles? Qual era o problema de Leafeon no fim das contas? E Jolteon? Onde está Jolteon? O que houve com todo mundo?!

   — Fica calmo, irmãozinho. Flareon se tornou feliz como tu desejaste. O que ele mais queria era ficar perto de sua sacerdotisa, mesmo que ela não esteja mais viva. Ele encontrou o espírito dela e agora ambos orientam os que se tornaram fantasmas. Flareon surge como uma chama e mostra o caminho da torre aos que estão perdidos. Ele é a luz no final do túnel para todos os que estão perdidos na escuridão.


   Eevee e os demais irmãos sentaram-se sobre a grama e continuaram a ouvir as palavras de Sylveon, que parecia ouvir a voz do destino.

   — Jolteon, Jolteon... Este sempre foi um erro. Ele nunca se perdeu, mas se puniu tão severamente. Para começar, Jolteon não quis uma casa, pois se sentenciou a ficar correndo pela torre por todos os dias, sem descansar. O mensageiro poderia criar uma casa, um refúgio, mas preferiu a tortura de algo que não fez. Foi necessário morrer para que ele descobrisse a verdade. Quando Jolteon eletrocutou seu treinador, ele caiu desacordado e a equipe médica o socorreu, mas ele não reagia. Todos olharam com pavor para Jolteon, ele não suportou essa dor e fugiu sem saber o final da história. O mensageiro acreditava que seu treinador havia morrido, mas nunca teve provas disso, ele simplesmente acreditava. O rapaz passou muito tempo em coma, mas conseguiu se recuperar e hoje sofre com o abandono de Jolteon, pois sabe que é do feitio dele absorver toda a culpa do mundo. Em morte, Jolteon não conseguiu encontrar seu treinador e só assim se deu conta do grande engano que sua vida se transformou. Graças ao teu desejo, Jolteon ganhou a vida novamente e terá a chance de se redimir dos erros que ele cometeu consigo mesmo.


   Nenhum dos quatro irmãos que ouviam aquilo poderia imaginar tal situação. Até mesmo Vaporeon e Espeon não poderiam prever aquilo. O grande sofrimento de Jolteon era só um mal entendido. Agora, a estrela do mensageiro poderia voltar a brilhar sem culpa no céu e na terra. Restava apenas Sylveon decifrar o paradeiro de Glaceon e Leafeon.

   — Bem, eu não sei exatamente como dizer isto de forma menos chocante, mas eu vou tentar. O que Leafeon nunca revelou é que ele questionava o mundo até em suas coisas mais simples. Há coisas que são tão naturais para todos que, se alguém as questiona, este é rejeitado. Leafeon sofreu disso. Ele questionava coisas que todos consideravam normais simplesmente porque todos as faziam. Leafeon nasceu em uma família de sua própria espécie e todos batalhavam. Leafeon não era violento e se recusava a usar a lâmina da folha de sua cauda para machucar o mundo e sofreu muito por isso. Ele gostava de festa, felicidade e detestava competir. Foi o único a ser rejeitado não por humanos, mas pelos seus iguais. Leafeon não queria evoluir, pois não queria outra chance no mundo, a torre era boa o bastante para ele. Só que ele conheceu Glaceon e...

— Não me digas que... A Glaceon é tão diferente dele! Ela mesma gosta de batalhar, ela me disse o quanto sofreu na vida.


   — Irmãozinho, deixa-me contar! Glaceon vivia abaixo da casa de Leafeon e ouvia seus risos e seu divertimento na floresta. Leafeon possuía uma leveza que encantou Glaceon, mesmo que ela nunca o tivesse visto. Ela pensava até mesmo que ele era capaz de voar! Tu pediste que a vida fosse mais gentil com ela e que ele evoluísse. Agora, tu sabes que a chave da evolução é o amor e não há nada que torne a vida mais gentil e valiosa do que amar e ser amado. Leafeon encontrou em Glaceon o carinho e a atenção, ela respeita as dores dele e admira como ele só usa sua força para o bem do mundo. Já Glaceon viu em Leafeon a oportunidade de se libertar da solidão e ter alguém que, por saber como é ser julgado e condenado, jamais lhe seria hostil, possuindo a sensibilidade que ela tanto necessita. Sendo assim, o caminho dos dois agora é o mesmo e eles foram capazes de evoluir para uma nova e merecida vida.

   Era impossível não notar como todos os irmãos estavam tão unidos que até mesmo compartilhavam dos mesmos sentimentos. Eevee, Vaporeon, Espeon, Umbreon e até Sylveon, que contava a história, estavam chorando tranquilamente, felizes por seus outros irmãos.
   Os cinco se entreolharam e sorriram uns para os outros, abraçando-se com carinho. Agora era a vez de eles continuarem suas vidas. Os irmãos ainda precisavam passar algum tempo na torre e cuidar da mãe que os recebera. Talvez eles não precisassem tanto dela, mas ela precisava que eles continuassem a mantê-la em paz. Era preciso que alguém ficasse para receber os novos irmãos que estavam por vir e instruí-los. Os cinco irmãos conheciam melhor do que ninguém os mistérios da torre e decidiram dar continuidade ao seu legado.




   Lentamente, eles foram retornando para o interior da torre. Provavelmente muita coisa havia mudado, como a posição das casas e suas acomodações. Porém, quando Sylveon estava caminhando, ela foi surpreendida por duas borboletas de luz, que pareciam ser as últimas remanescentes. Sem pestanejar, ela chamou por Eevee.

   — Irmãozinho, espera! Bem, eu sei que isto não foi parte do teu desejo, mas é parte do meu. Quando eu cheguei ao topo da torre, também pude realizar um desejo e... agora tu fazes parte dele.

   Sylveon ordenou que as duas borboletas voassem até o filhote e elas ficaram voando ao redor dele. Confuso, Eevee ficou boquiaberto e tentou acompanhar o voo ágil das borboletas, mas elas eram rápidas demais para que seus olhos pudessem acompanhá-las.
   Quando ele menos esperava, as borboletas pousaram sobre suas costas e uma grande luz fez Eevee brilhar. Seu corpo parecia se transformar como em uma evolução, mas havia algo de diferente. Depois que o intenso brilho diminuiu, todos puderam ver que as borboletas de luz, aquelas que tornavam sonhos em realidade, tomaram a forma de duas pequenas asas nas costas de Eevee.
   O filhote começou a bater suas asas e viu que elas eram exatamente como ele, pequenas, mas muito fortes e resistentes. A alegria de Eevee foi sentida por todos os irmãos que ali estavam e finalmente o pequeno foi capaz de realizar aquilo que seu coração, sua mente e seu espírito já faziam há muito tempo: voar além do infinito.



E assim termina a história de hoje...


- - - - - - -


    E assim realmente termina a história dessas sete semanas que se passaram. Espero que tenha sido uma ótima viagem para todos vocês! =D

   Vou ficar atento aos comentários e respondê-los o quanto antes. Fico muito agradecido e feliz com todo o carinho de vocês, pessoal. Chegamos ao fim de mais uma etapa e... recomeçamos? xD

   Bom, quero avisar que não vamos ter Crônicas na semana que vem, mas é só na semana que vem, ouviram? Podem ficar tranquilos! A gente se vê nos comentários. Uma ótima semana para todos! ^^






15 comentários:

  1. João eu tou um tempo sem comentar mais eu tenho uma ideia para as cronicas de bolso faz um aegislash e seu samurai que foram enganados. por um ninja e seu greninja e agora precisa recuperar sua honra e seria bom botar ela nas historias da mawile que como sabe é a minha preferida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Paulo! Que bom te ver de novo! Sim, temos que concluir a história da Mawile, eu me lembro disso! ^^

      João? Bem, tem um João aqui na nossa equipe da PBN também, mas é outra pessoa. Ele é news editor e eu sou o Gabriel, um dos redatores. Acho que foi isso, né? xD

      Eu já havia anotado uma ideia para o Greninja, já me pediram uma vez, eu gostei! Adorei a ideia do Aegislash, não me lembro se já pediram por ele, mas vai para a lista mesmo assim. Muito obrigado pelas sugestões. ^^

      Só de lembrar da Princesa Mawile, eu lembro do Lord Bisharp, do Pancho... Ê, saudades! xD

      Excluir
  2. Que incrível Gabs!!!!!!!!!
    Que final lindo, estou até sem palavras para descrevê-lo
    Foi tão bom que todos conseguiram evoluir e realizar seus sonhos.
    E Leafeon S2 Glaceon, que demais!!!!!!
    Vou parar por aqui, não consigo por em ordem meus pensamentos e sentimentos por esses 7 incríveis capítulos.
    Então só fica um imenso e confortável, Obrigado
    Obrigado por essa história de superação e aceitação
    Obrigado Gabs!!!!
    Clap, clap, clap, clap, clap

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LoKu-kun, é tão bom saber que você acompanhou a saga do Eevee toda, desde os primeiros passos. Muito obrigado por tudo, cara! =)

      Eu fico muito contente por você ter gostado do final. Eu queria algo que fosse muito especial e emocionante, eu pensei com muito carinho no final da história. Eu queria dar um presente a quem estivesse lendo, para que todo mundo que chegasse até o final da saga ficasse feliz também! =D

      O amor de Leafeon e Glaceon também foi uma surpresa para mim. É muito legal saber que você aprovou essa união. xD

      Um imenso e confortável obrigado para ti também, LoKu-kun. Muito obrigado por ter acompanhado cada pedacinho da história do Eevee e de todas as outras! Amor, superação e aceitação, sempre! Muito obrigado! ^^

      Excluir
  3. Acabou?
    Foi muito legal Gabriel acompanhar a historia desse pequeno grande guerreiro, gostei de ver vc explorando esse lado fada de sylveon que eu não tinha notado ate hj. Foi um final emocionante que bom que jolteon ganhou outra chance, a conclusão dos traumas dos outros foi fantástica também. Eevee mostrou ser mais nobre do que nunca para ajudar seus irmãos (que fofo) foi bom também ver ele finalmente realizar seus sonhos (foi muito emocionante).
    Obs: Muito obrigado por nos oferecer essa viajem por essa terra tão mística quanto realista.
    Obs 2: Eu geralmente me enquadro nos que lêem em silencio mas hj resolvi falar umas palavras e mais uma vez parabéns vc merece.
    Obs 3: No caso eevee cuidaria do sylveon agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, acabou a história do Eevee! ^^

      Geralmente, as crônicas são "capítulo único", aí eu dei uma variada com as Histórias Especiais. Tem também a saga da Mawile, que o Paulo comentou lá em cima, que é um conjunto de "capítulos únicos" que se ligam. =D

      É uma alegria enorme poder saber que você gostou de acompanhar toda essa saga do Eevee, todas as coisas que ele passou para poder realizar os sonhos de todo mundo! Superar um trauma é como um milagre na vida de alguém. ^^

      Também achei que o Eevee ganhou altos pontos no quesito fofura! Sério, ele é fofo até dizer chega. kkkkkkkkkkk

      Foi como uma troca, sabe? O Eevee ajudou seus irmãos e a torre, a Sylveon realizou o desejo do pequeno, Vaporeon quer ajudar os novos irmãos. É como uma grande teia de amor e generosidade! Muito obrigado por ter embarcado nesse mundo realmente místico (ou misticamente real, vai saber!) com a gente. =)

      Ah, os leitores tímidos! Poxa vida, se vocês soubessem o quanto eu queria ler e responder vocês... Vamos interagir, pessoal! Ler em silêncio é legal, mas vocês sempre comentam coisas ótimas, até mesmo que eu nem me liguei na hora em que escrevi! xD

      Mas eu fico muito, muito feliz que você tenha resolvido falar hoje. Isso é uma festa, uma alegria sem tamanho para mim! Muito obrigado pelo carinho. =)

      Sim, sim! Eevee vai cuidar da Sylveon e de todos os outros, assim como os irmãos vão cuidar dele. Agora eles estão unidos, eles se comunicam entre os andares da torre com mais facilidade. Quem sabe eles não passam a se visitar mais vezes? ^^

      Excluir
  4. (Admito, não comentei o ultimo capítulo por preguiça e quase não comento esse, desculpa mano :c)

    Era uma vez uma coraçãozinho de manteiga . Ele tinha um dono que acompanhava uma série de crônicas. O capitulo final dessas crônicas se transformou em uma faca e partiu o coraçãozinho ao meio sem o menor esforço. Fim (Eu ia fazer uma história maluca, mas deixa pra lá.)

    Deixando minha idiotice crônica em estado terminal critico de lado, eu adorei essa saga, meu deus do céu <3 Gostei do padrão de escrita, gostei do enredo, gostei dos personagens (Menos do Flareon, aquele arrombado.) Ah, e juro, quando eu vi essa ultima imagem eu ouvi ''As definições de fofura foram atualizadas.''

    Fique com esse comentário curto por falta de criatividade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Relaxa, Luis! Você venceu a preguiça, isso que é importante. xD

      Era uma vez o coração de manteiga... kkkkkkk
      Adorei a analogia! Sinto muito pelas fortes emoções. xD

      Ah, eu queria ver a história maluca! Mas bem, adorei sua review da saga do Eevee, muito obrigado, Luis! Foi uma grata surpresa saber que essa mudança no padrão de escrita agradou. ^^

      Quando eu voltar às crônicas das subséries principais, vou ver se eu faço algumas nesse estilo e outras com uma linguagem mais coloquial, nos dias atuais. Assim a gente varia! =)

      Tadinho do Flareon. kkkkkkkkkkkkkkkkkk
      Ele fez o trabalho "sujo" para ensinar o Eevee a lutar, preparando-o para a luta contra o Umbreon, e foi bem cruel quando o Jolteon partiu, mas o Eevee não venceria a escuridão sem ele. A gente torce o nariz para ele, mas aceita. xD

      Minhas definições de fofura também foram atualizadas! xD

      Comentário curto? Onde?! Você foi super criativo e original! Que falta de criatividade boa essa. kkkkkkkkkkk

      Excluir
  5. Então, pessoal, estou passando aqui para fazer um agradecimento especial pelos comentários e curtidas no Facebook!

    Foi muito bom acompanhá-los por essas semanas da saga do Eevee e ver seus palpites sobre o final, se ele evoluiria ou não e até a ordem de aparição das Eeveelutions. Fico muito feliz em saber que teve gente que se emocionou (ou foram cebolas?) e que até leu as Crônicas pela primeira vez. Um muito obrigado do tamanho do Wailord! =D

    Bom, já que eu vim aqui, vou deixar uma daquelas pistas para ver se vocês acertam o Pokémon da semana que vem, hehe. O que eu posso dizer é que (o que há para o futuro) é um Pokémon cujo Tipo está mais para Normal. ;)

    ResponderExcluir
  6. Primeiramente... desculpa Gabriel

    eu to num momento da vida q eu nao sei mais oq achar de nada

    eu nao sei oq fazer, nem oq sentir, nem nada, parece q eu to dividido, isso nao é problema seu nem de ngm q tenha q ver isso, mas parece q eu n consigo mais fazer nada, parece que o q eu mais quero fazer agora é chorar com a cara num travesseiro e nunca mais sair...

    eu nao to tendo tempo pra nada, meu cerebro nao se decide, ... entao eu nao to podendo ler s cronicas, nem fazer nada....

    espero que vc entenda

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fael, não precisa pedir desculpas. Afinal de contas, você não fez nada de errado. =)

      Não se preocupe com as Crônicas. Quando as coisas se resolverem (e sim, vão se resolver, até porque nenhum problema é eterno), você vai poder ler tudo. As histórias vão ficar aqui te esperando para serem lidas. ^^

      Tenta procurar alguém com quem você possa conversar, pedir ajuda também é importante. Sabe o Eevee? Então, seja como ele, não desista! Continue a subir os degraus da torre que tudo se ajeita! =)

      Fica bem, Fael. Até a próxima! ^^

      Excluir
    2. Obg gabriel ^^

      vou subir a torre <3

      Excluir
  7. GABRIEL
    EU TE AMO
    EU VOLTEI
    EU AMEI ESSA HISTORIA
    ME FALA Q VC AINDA TA AQUI
    POR FAVOR
    MDS
    GABRIEL
    EEVEE VOOU
    ESPEON E UMBREON >W<
    SYLVEON >u<
    VAPOREON ^-^
    OS DESTINOS DOS IRMAOS >U<

    GABRIEL ME FALA QUE VOCÊ AINDA TÁ AQUI PELO AMOR DE TUDO QUE É BOM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas é claro que eu estou aqui, Fael! xD
      Aliás, acabei de publicar a história do Noctowl, corre lá para ver. kkkkkkkkk

      É muito bom te ver por aqui de volta, guri! =D

      Excluir
    2. Obg, é bom te ver tb <3

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!