Review: Pokémon XY062

Olá, como vão todos?
Hoje trago mais um review de Pokémon XY, um pouco mais atrasado esta semana, mas prometo fazer ainda mais uma postagem este fim de semana
Abraços e boa leitura

Pokémon XY062/ Episódio 866 - Proteja o Futuro da Ciência! O Labirinto de Eletricidade!! 

Ao final do episódio "Clemont Tem um Segredo!", Ash e Clemont firmaram um pacto: a de que se enfrentariam no Ginásio de Lumiose depois que o Palletiano coletasse as quatro primeiras Insígnias de Kalos. O desafiante fez sua parte e o grande momento do confronto entre os amigos chegou, mas se a abertura dá a entender que estamos a bordo do que pode ser o maior evento do ano dentro do anime, não dá pra dizer que os roteiristas prepararam o terreno para este grande momento adequadamente. Pelo contrário, ao longo dos 40 capítulos que sucederam ao pacto, os roteiristas parecem ter se esquecido completamente da batalha que haviam de desenvolver. Se o time de Ash ficava cada vez mais recheado com Pokémon com desvantagens contra o tipo Elétrico, o de Clemont sofreu desenvolvimento quase equivalente à zero, sendo que o maior destaque foi dado ao Pokémon alívio cômico que sequer será relevante no Ginásio.
Se a quantidade baixíssima de batalhas para Ash entre Ginásios incomoda muitos fãs - como apontado numa das enquetes realizadas aqui no blog -, para o jovem inventor a situação é ainda pior! Todas as batalhas solo do irmão limão até aqui foram contra Ash ou a Equipe Rocket, salvo uma exceção excepcional no episódio "Fome de Batalha!", com Chespin enfrentando um Delphox numa batalha que nem mesmo era do Clemont em si, e a rapidinha contra Trevor no começo do Acampamento de Verão, também com Chespin. Fora isso, só as batalhas de equipe, no mesmo acampamento.
Ao longo desses episódios, o anime não desviou dos problemas do rapaz. Vimos sua dificuldade em compreender sua irmã, seu orgulho e promessas não cumpridas do passado voltando para assombrá-lo, mas praticamente nada foi feito em relação às suas habilidades de batalha. Chega a ser engraçado como os roteiristas parecem ter percebido o problema que tinham em mãos com a batalha vindoura mais ou menos na mesma época em que aparentemente se tocaram de o quanto a estagnação de Serena era prejudicial para o anime. A Performer pegou um Pancham e o inventor um Luxio. Ambos pegos em episódios fantásticos que enalteciam os laços selados entre os bichinhos e seus Treinadores. E enquanto ambos os Pokémon certamente servem para impulsionar os personagens para o seus respectivos caminhos na série, o tratamento que ambos receberam foi incrivelmente diferenciado.
O pandinha teve todo o merecido destaque em múltiplos episódios, fortalecendo não apenas sua personalidade, mas estando presente em todos os grandes momentos de sua Treinadora. Luxio, por outro lado, tornou-se um esquecido. Sua personalidade e seu forte elo com seu Treinador nunca foram tocados novamente e ele só servia para fazer figuração de luxo em cenas com os demais Pokémon. Luxio era só um rosto inexpressivo na multidão. É por isso que é tão estranho vê-lo do nada sendo o único Pokémon de Clemont fora da Pokébola no começo deste episódio, como se, de repente, sua importância viesse, convenientemente, à tona outra vez.
 
"Proteja o Futuro da Ciência! O Labirinto da Eletricidade!!" parece querer fazer pelo jovem inventor o que "Serena Fica Séria! A Selvagem Corrida Skiddo!!" fez por Serena: colocar o coprotagonista de volta nos eixos para a grande importância que terá. Só que pra isso, o foco ironicamente se volta para Ash. Pokémon XY tem sido uma saga estranhamente focada em Ash. Ok, todas as sagas são focadas no Palletiano, mas nunca o personagem serviu como essa fonte de inspiração para outros jovens da sua idade como agora. Em todas as suas jornadas anteriores, o garoto era apresentado como alguém que ainda tinha muito que aprender apesar de seus progressos. Mesmo Diamond & Pearl, que marcou seu ápice como Treinador, era permeado de diálogos e momentos em que o garoto era confrontado por suas próprias limitações.
 
O Ash de Pokémon XY, porém, é acima de tudo um herói! Ele é o garoto que sarou o dodói da Serena, o rapaz que subiu a Torre Prisma para salvar um Pokémon que nem conhecia e se jogou da mesma torre para salvar seu Pikachu da morte. Todas essas cenas, repetidas à exaustão - que já me encheram a paciência e, claro, também retornam aqui -, de o garoto se colocando diante de um ataque para proteger alguém servem apenas para ressaltar essa ideia que Pokémon XY quer transmitir: Ash é um herói. Foi esse o lado do garoto que atraiu Clemont e Bonnie para junto dele e foi também esse lado do garoto que atraiu Serena. E se foi esse lado que inspirou o jovem Líder a enfrentar o monstro que ele mesmo havia criado no Ginásio de Lumiose. Desse modo, é novamente através de Ash que Clemont exerga o quanto ficou desleixado com suas responsabilidades como Líder e precisa se preparar para o confronto contra seu amigo.
 
Só que apesar da premissa até bacana (de Clemont perceber o quanto ele não desenvolveu), o roteirista transforma o que poderia ser um grande episódio de desenvolvimento de personagem num apanhado de clichês de coisas que vimos nos últimos 15 episódios! Novamente, testemunhamos a Equipe Rocket sabotar uma edificação especializada em energia na qual Clemont trabalhou (O Campus de Lembranças de Clemont! Uma Reunião Eletrizante!!), Pokémon sendo manipulados para o mal e se voltando contra seus próprios Treinadores (Malamar VS Inkay! Uma União Que Salva o Mundo!!), Treinadores levando ataques de seus próprios Pokémon, tentando recuperá-los (O Dragão Mais Fraco de Todos!? Goomy Aparece!!), uma evolução de um Pokémon que nem merecia evoluir, e aprendendo um golpe de bônus no processo, (Nas Terra Baldias! Lute, Goomy!!) e o clímax ao som de Volt (V) (YXY051, XY052, XY056, XY058, XY061) - entre outras coisas que me escaparam. A sensação de dèja vu é imensa e extremamente desgostosa!
Acompanhando o roteiro absurdamente nada criativo, está um trabalho de animação igualmente pobre e sem originalidade e que parece tão perdido quanto o próprio roteiro. Não sei se com esse propósito ou se apenas por uma falha do texto/da direção, chega a ser hilário como Luxio é feito figurante de sua própria evolução! Ao começar a brilhar, a câmera corta para mostrar a Equipe Rocket super nem se importando com nada enquanto reativa sua máquina com absolutamente NENHUMA consequência relevante (mostrar o Terreno Elétrico sendo usado?), para só então retomar a sequência de transformação do Pokémon em Luxray.
É também um pouco problemático como Junki Takegami faz mais do que tornar Ash alguém admirável, mas como um menino modelo. Justamente por apresentá-lo como um personagem falho, nas séries anteriores, o anime raramente mostrava os companheiros de jornada do Palletiano imitando seus gestos ou enxergando-o como um exemplo a ser seguido. Ele era admirável ao seu próprio jeito e era isso. Você nunca veria Brock ou Misty ou mesmo May e Dawn procurando ser iguais ao Ash em alguma coisa. Porém, aqui, Clemont não precisa apenas encarar sua falta de determinação como Treinador: ele também precisa encarar o fato de que ele não é determinado como o Ash (ele até tem um flashback lembrando todas as vezes em que seu amigo foi o herói) e isso, de alguma forma, acaba se tornando um problema. Especialmente porque Clemont já provou seu valor diversas vezes, inclusive em diversos momentos neste mesmo episódio, só que nunca parece o bastante - e fica difícil dizer que é um problema do personagem e não do roteirista porque o personagem ainda não parece ter percebido isso. Todavia, ele ainda não tinha feito uma única coisa: apanhar de seu próprio Pokémon enquanto tenta acalmá-lo no melhor estilo Ash Ketchum.
A cena em si é toda completamente mal construída! Primeiro porque, diferente do Pikachu, Luxio e Dedenne podem ser chamado de volta para suas Pokébolas e encerrar o assunto e mesmo que isso não fosse possível por alguma razão, é simplesmente ridículo como a Equipe Rocket manipula todo um exército de Pokémon Elétricos e faça só Pikachu e Luxio atacarem. E por mais que eu ame que Jessie tenha medo que Ash se aproxime de seu Pokémon porque "isso não pode acabar nada bem!", referindo-se a todas as vezes em que o Treinador conseguiu acalmar seu Pokémon, foram os próprios vilões quem comandaram o ataque! E, sim, eu tenho coração fraco para cenas dos Treinadores em situações como essas (e o grito do jovem inventor, quando mordido pela segunda vez, é cortante), o problema é que Luxio tem sido, durante todos esses meses, uma presença tão inexistente na vida de Clemont, que é difícil sentir a mesma cumplicidade e drama aqui - e, sinceramente, tivemos James e Inkay num drama muito parecido tem nem três meses, gente!
Porém, nem tudo fica perdido. Ambas as sequências inicial e final são muitíssimo bem feitas. A premissa do episódio é, afinal, colocar Clemont para perceber o quanto ele próprio precisa ficar mais determinado e se preparar para seu desafio contra Ash, portanto enviá-lo para Lumiose para consertar isso certamente é uma decisão ótima da equipe de roteiristas - e talvez por isso tenha dado tão certo, por ser mais instrução de Tomioka do que uma decisão individual - e que realmente eu jamais esperaria ver. Além disso, a despedida dos personagens, ainda que temporária, é muito emocionante! A decisão de Clemont é extremamente madura e uma que pode gerar desdobramentos muito interessantes tanto para o Líder quanto para seu desafiante, além de potencialmente compensar pela falta de desenvolvimento do personagem até aqui.
 
Pokémon é um anime que sempre teve dificuldade em manter um ritmo consistente e trabalhar todas as coisas de forma devida, apesar do grande número de episódios. O caminho até o Ginásio começa a deixar exposta outras carências da série: as pouquíssimas batalhas de Clemont, a terrível negligência a Luxio, a captura e evolução apressada de Sliggoo… O problema se agrava ainda mais se considerar que os roteiristas sempre souberam que essa batalha aconteceria. Seja como for, minha única esperança fica sendo a de que os fins veiam justificar os meios e que Clemont e Ash nos deem uma batalha de fortes emoções! Em Tomioka eu acredito. 
Considerações finais 
  • O blecaute é uma grande parte dos jogos Pokémon X & Y porque impede que você passeie livremente pela cidade e eu ficava imaginando quando este evento seria retratado no anime. Certamente eu tinha grandes expectativas pra ele: um ataque da Equipe Flare à cidade, o caos tomando conta, Mega Blaziken e Blaziken Mask agindo com as crianças para acertar as coisas, Clemont lutando para salvar o dia… O blecaute foi finalmente usado e eu não poderia estar mais decepcionado;
  • A exibição de Pokémon no Cartoon Network do Brasil confirmou que realmente teremos que esperar até a próxima temporada para vermos o episódio de Skrelp. O problema é que, por alguma razão, a emissora também não exibiu o episódio do Magikarp dourado. Pode ter sido simplesmente uma desorganização - a emissora comete esse erro de pular episódios com frequência espantosa -, mas o fato de esse episódio ser tão ligado ao do Skrelp me faz até cogitar que talvez eles estejam guardando para exibi-los juntos (um cenário pouco provável, reconheço). A emissora também não exibiu o especial da Mega Evolução quando devia. Como nenhum dos especiais da série veio para o Brasil desde "Pokémon - Mundo Misterioso: A Equipe Força Resgate em Ação" fica a dúvida se também ficaremos sem episódios aparentemente tão cruciais para o desenrolar da trama principal;
  • Eu adoro como Clemont reage nas costas de Luxio durante a evolução;
  • Clemont decidindo ir embora, Serena decidindo cortar o cabelo, Dedenne sem situações de sério risco… essas crianças mais velhas e suas decisões drásticas e esse pequenino vão acabar com o coração da Bonnie desse jeito, gente =O Aliás, lindo o abraço que ela dá no hamsterzinho ao resgatá-lo :3
  • Este episódio é também uma versão mais sem graça do clássico das Ilhas Laranja "A Revolta do Pikachu";

2 comentários:

  1. O Clemont foi muito mal trabalhado ao longo dos episódios, imagina agora que o Ash já batalhou com ele :/

    ResponderExcluir
  2. Uma das poucas coisas que gostei nesse episódio foi a evolução do Luxio (Luxay <3).
    Realmente não tinha percebido que Ash se tornou "herói", talvez eu deva refletir mais sobre as coisas...

    *Comentário totalmente Off-Topic*
    É realmente irônico como os jogos de Sinnoh são subestimados e o anime de Sinnoh é superestimado.

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!