Review: Pokémon XY059

Fala, galera!
Trago hoje mais uma análise de um episódio muito especial de Pokémon XY! Você pode ler mais textos do Sir Charizard indo ao Vale Charicífico!
Boa leitura e amanhã tem mais! o//

XY059/ Episódio 863 – O Primeiro Encontro de Ash e Serena!? A Árvore da Promessa e os Presentes!!
É dia de festa na Cidade de Coumarine! As pessoas e os Pokémon se unem para enfeitar as ruas, e as casas já estão bem ornamentadas, as lojas lotadas com pessoas em busca de presentes, que serão colocados aos pés de uma árvore bem iluminada para presentear aqueles que lhe são queridos! E apesar de todas essas coisas lembrarem muito uma certa data comemorativa - até temos contagem regressiva, fogos de artifício e um bom velhinho aqui também, vejam só -, é tudo fundamentado numa simples, mas bonitinha mitologia regional da Cidade de Coumarine envolvendo um jovem Treinador, seu Skiddo e a Árvore da Promessa que ambos cultivaram e que acredita-se ter o poder de fortalecer os elos entre humanos e Pokémon. É uma festa para celebrar, especialmente, a amizade entre humanos e Pokémon.
Uma das coisas mais legais dos tempos da saga de Kanto eram os episódios comemorativos. "O Fantasma do Pico da Donzela", "Princesa Contra Princesa" e "O Herói Perfeito" nos deram alguns momentos bastante divertidos, além de expor um pouco da cultura japonesa dentro do universo de Pokémon. Com o anime sendo feito visando cada vez mais o público internacional, feriados reais praticamente se tornaram tabu no anime - salvo os OVAs de Natal -, então é sempre bom quando os roteiristas decidem criar seus próprios festivais - quem lembra do divertido Festival Croagunk?
E para celebrar a amizade entre humanos e Pokémon, a roteirista Akemi Omode (Serena Fica Séria! A Selvagem Corrida Skiddo!!) aposta num episódio com uma pegada bastante diferente da usual. Pra começar, Ash se separa de seu Pikachu pela primeira vez em muuuuuuito tempo, deixando todos os seus Pokémon aos cuidados de Bonnie (ao lado dos de Clemont e Serena) e parte na companhia somente de Serena numa ida ao centro da cidade! O propósito? Beijar muito Caçar presentes para os Pokémon! Se a premissa já soa bastante diferente em si, Omode consegue criar um conjunto de situações bastante especiais para cada um dos quatro protagonistas.
O título do episódio já chama atenção para o fato de Ash e Serena finalmente ficarem a sós. A candidata a Performer Pokémon logo fica nervosa ao constatar que esse pode ser seu primeiro encontro com o menino dos seus sonhos. Primeiros encontros são eventos excitantes e que também acabam gerando grande ansiedade! Qual é a roupa ideal para a ocasião? O perfume já está bom ou precisa de mais, ou será que já está demais? O nervosismo de passar uma boa primeira impressão, a insegurança de não saber a hora certa para pegar a mão do parceiro ou mesmo de dar o primeiro beijo, o medo desse primeiro beijo falhar, a incerteza de não saber se suas tentativas de conquistar estão mesmo funcionando…
Primeiros encontros são repletos de questões, dubiedades e sentimentos e há, de fato, bastante questões, dubiedades e sentimentos neste episódio. E algumas dessas emoções até chegam a ser levemente experimentadas por Serena, mas Omode não deixa o episódio cair na armadilha de se tornar um mero fanservice para os shippers de plantão. Ao invés, ela entrega o que deve ser um dos episódios mais consistentes e bonitinhos da série, um daqueles momentos em que vemos o quão bem um roteirista está familiarizado com os personagens que escreve.
É divertido ver como Omode transita do nervosismo e da empolgação de Serena diante do aparente primeiro encontro para várias cenas da menina animada querendo mostrar algo para Ash, contando que ele estivesse ali do lado dela, mas se decepcionando ao perceber que na verdade ele estava longe, exercitando seu mau gosto, empolgado com outras coisas aleatórias. Apesar de sua razão primária dessas cenas ser o humor, não dá pra negar que elas também parecem ser bastante metafóricas, ilustrando o real desencontro emocional que eles vivenciam ocasionalmente.
Tais cenas acabam culminando no casal tomando caminhos diferentes também e é excepcional ver o trabalho da roteirista ao mostrar como cada personagem busca o presente ideal para seus Pokémon à sua própria maneira, refletindo suas personalidades: Clemont constrói algo, Serena procura acessórios para usar em suas futuras performances e Ash escolhe coisas no impulso, até receber a dica inspiradora de Serena e partir para a mata em busca de algo ideal para seus parceiros. É igualmente legal ver a forma como a menina de Vaniville reage às ideias do Palletiano: mesmo não achando nenhuma delas boa, ela se preocupa em nunca ser rude com ele, sempre sugerindo uma forma de ele escolher algo melhor - algo com o que eu, como professor, consigo me identificar bastante.
Também merecem destaque todos os momentos de Bonnie com os Pokémon. É lindinho ver como ela interage com eles como se eles fossem bonequinhos - querendo que eles formem filinha para serem escovados e planejando a hora do chá -, mas de forma tão adorável e tão cheia de boas intenções que eles a respeitam sem problema algum - por mais chato que possa ser ficar fazendo as vontades de criancinhas (eu tive três primos que eram crianças na mesma faixa etária e sei bem como pode ser chato). É lindinho também ver ela lidando com os probleminhas que vão surgindo aqui e ali, como a desidratação de Goomy ou mais uma briga entre Chespin e Pancham, achando difícil cuidar de todos eles. A responsabilidade e carinho que Bonnie tem para com eles é tão forte que ela também decide presenteá-los e quase chora ao pensar que não poderia fazê-lo por não ser uma Treinadora ainda - é de partir o coração!
Num episódio sobre fortalecer elos através de presentes sinceros e escolhidos de forma especial, é claro que os vínculos e as interações tornam-se essenciais e elas acontecem de todas as formas possíveis. Quando não são entre os Treinadores e seus Pokémon, é entre o quarteto de amigos ou até mesmo os membros da Equipe Rocket. Serena se envolve em momentos particularmente bonitos com Ash e Bonnie, ao ajudar ambos em seus dilemas sobre como e se presentear, respectivamente. Ela é extremamente doce e madura ao sugerir ao Palletiano que escolhesse algo que ele gostaria de ganhar considerando o quão parecido com ele seus Pokémon eram e, depois, ao dizer à limãozinha que os Pokémon ficariam muito felizes de ganhar um presente dela, mesmo ela não sendo Treinadora delas.
O time de animadores novamente fez um trabalho excelente. O episódio está todo muitíssimo bem animado, os traços e as cores simplesmente magníficos e algumas cenas feitas de forma a tornar o ambiente bastante vivo - eu adoro o homem que estava usando o celular e então se assusta quando Ash tem uma epifania no trem, por exemplo. Os efeitos de iluminação no episódio também são muito bem executados, especialmente nas cenas sob a luz do por do sol e depois sob as iluminações decorativas da cidade e da Árvore da Promessa. Falando nela, o momento em que todas as suas luzes acendem é lindo e só enobrece ainda mais o belo monumento natural. Não dava pra ser diferente com um episódio que exigia tanta beleza quanto este.
Acompanhando a linda animação, temos uma sequência de cenas simples e muito bonitas. Até mesmo um ataque mais do mesmo da Equipe Rocket consegue se redimir ao gerar o momento em que os Treinadores se juntam para retornarem os presentes roubados aos seus donos e depois com Jessie e James presenteando seus Pokémon também, antes de serem derrubados com um ato afetuoso de Wobbuffet. Devo dizer que fiquei absolutamente encantadíssimo com a caixinha de música que Clemont fez para seus Pokémon. Foi tão linda, pessoal e única que até lacrimejei um pouco tamanha a perfeição. Momentos como as reações de Pancham ao presente de Serena ou o limãozinho depois observando, com olhar super paternal e sem remorso ou ciúmes, Dedenne e Chespin se juntando aos Pokémon de Ash na comilança enquanto seus fiéis Bunnelby e Luxio admiravam sua invenção só servem para mostrar o quanto o roteiro de Omode é absurdamente preciso e honesto ao retratar cada um desses personagens.
Todos os Pokémon do Ash se parecem com ele. Enquanto a Performer e o jovem inventor tiveram que lidar com as personalidades opostas do pandinha e do Pokémon Noz Espinhosa em episódios passados, o Palletiano teve o privilégio de só encontrar monstrinhos que, apesar de serem muito diferente uns dos outros, possuem personalidades muito compatíveis à sua, características que ele prezava. E essa é a observação de Serena que faz toda a diferença para o Treinador. O lance é: as frutas eram mesmo o presente ideal? Do meu ponto de vista, não, não eram. O presente ideal nesse caso foi o trabalho do Ash para obtê-las. Seus Pokémon trabalham duro para fazê-lo feliz, logo o Palletiano faz o mesmo, à sua maneira, para demonstrar seu amor por seus monstrinhos de bolso. E nessa intenção sincera que eles são tão parecidos.
O festival de Coumarine tem como objetivo fortalecer os elos entre Treinadores e seus Pokémon. Porém, ao ajudar seu companheiro de jornada a encontrar a melhor forma de expressar seu afeto para com seus Pokémon, Serena conseguiu estreitar seus próprios laços com ele. Ela pode não ter conseguido o primeiro encontro que por uns momentos acreditou possível, mas sua lealdade e amizade para com o rapaz provaram-se extremamente valiosas e admiráveis. O presente que Ash lhe dá é tão rústico quanto as frutas que ele coletou para seus Pokémon, mas repleto das melhores intenções. Serena melhorou muito ao longo dos últimos meses e se tornou a personagem que todos sempre quisemos que ela fosse. O momento da verdade na Exibição Pokémon já está à porta e ela até ganha um presente especial para a ocasião: um vestido de sua mãe.
Registro feito. Vestido novo. Acessórios para os Pokémon comprados. Serena está completamente pronta. O problema é: que quem não estava pronto… era eu.

Considerações finais:
  • Ash deseja pegar um Dunsparce, mas não consegue por não ter nenhuma Pokébola com ele. Essa é a segunda vez que o Palletiano tenta captura tal Pokémon e falha. A primeira ocorreu em "O Caminho Que Leva ao Adeus" de Best Wishes! Não é uma coincidência que ambos foram roteirizados por Akemi Omode;


  • Apesar de o grande foco ser Serena, quem lê o título do episódio é Clemont. É impressão minha ou o jovem Líder expressou uma leve preocupação ao ler a parte sobre esse ser o primeiro encontro de Ash e Serena?
  • O monotrilho de Coumarine faz mais uma aparição aqui. Eu devo dizer que o considero uma das coisas mais decepcionantes de Pokémon X & Y. Na primeira vez que embarquei em um, esperava uma ceninha bonitinha de eu subindo o morrinho no trem e… teve absolutamente nada disso! Acho triste quando usamos veículos nos jogos que não podemos acompanhar a trajetória que eles fazem. Falando nisso, apesar de ser um monotrilho - e inclusive ele ser chamado por esse nome no próprio anime -, na estação tem DOIS trilhos!
  • O plano da Equipe Rocket deve ter sido o mais preguiçoso da última década: eles usam um aspirador de pó gigante - cuja abertura muda de tamanho para absorver coisas de diferentes formatos :p - para não só sugar os Pokémon, mas o MESMO aspirador para sugar também os Pokémon???
  • Galera, se vocês por um acaso me adicionaram no facebook e não foram aceitos, é provavelmente porque eu não sei que são vocês, então quando adicionarem, por favor, mandem scrappy uma mensagem pessoal;
  • Esses dias eu aproveitei para responder a diversos comentários que não pude responder antes, então se esperava alguma resposta minha, checa lá porque você provavelmente a obteve =D
  • Numa das minhas cenas favoritas do episódio, um vendedor oferece diversos itens dos jogos, que nunca haviam aparecido no anime antes, para Ash comprar: um Macho Brace (Cinta de Macho), um Rocky Helmet (Capacete Pedregoso), um boneco do Substituto e um Sprinklotad (Regador Lotad);
  • A reação de Dedenne ao desenho de Bonnie é a coisa mais maravilhosa do mundo;
  • O episódio marca a primeira vez que vemos confeites caindo, Ash ganha um prêmio por ser o xxxnésimo a fazer alguma coisa e não é a Equipe Rocket em mais um plano! Acho que essa foi a maior reviravolta dos últimos anos. Especialmente porque o fato de a cena ser inicialmente mostrada de cima impedia que víssemos quem estava batendo as palmas. Ótima cena;
  • Hawlucha estava todo maromba nesse episódio;

4 comentários:

  1. Mais um excelente Review, Sir!
    Bom... como ninguém me respondeu até agora sobre a entrevista da Michelle Giudice você sabe alguma coisa, Sir? Se já foi postado a entrevista e eu perdi, ou se não foi postado? Já comentei isso em 5 posts mas ninguém me responde, estou ficando frustrada e triste! :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não estou sabendo de nada, Anônimo =/ Estou meio por fora desse assunto

      Excluir
  2. Mesmo que muita gente tenha achado que o episódio foi uma decepção e que não teve encontro nenhum, eu achei muito bonito e fortaleceu muito a relação dos dois. Ainda acho que eles ficam juntos lá no final da série *-*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, foi um episódio bastante emocionante *-*
      Quem se decepcionou, é pq não entende de Pokémon ainda

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!