Review: Pokémon XY044



Ahhh COMO É BOM UM FERIADO!
Vocês não sabem a alegria de acordar num sábado e não precisar trabalhar (ou talvez saibam e eu não sei =P) e pra comemorar, eu posto mais uma review no capricho pra vocês!Os reviews dos episódios anteriores e outras matérias você confere clicando aqui.

XY044/ Episódio 848 – Luta no Ginásio Shalour! Pikachu VS Mega Lucario!!

No episódio passado Clemont disse a Ash “Todo mundo tem coisas em que são bons e coisas em que não são”, referindo-se à falta de jeito do menino da Cidade de Pallet para a dança, parte crucial de sua nova estratégia. No mundo de Pokémon, em que a lição geralmente é de que você consegue qualquer coisa se persistir – exceto vencer uma Liga, claro – tal frase pode soar bastante pessimista por parte do jovem inventor, especialmente se considerar que desde o episódio passado ele já apresentava bastante ceticismo em relação à vitória de Ash. Entretanto, a fala de Clemont carrega uma verdade. Afinal de contas, ainda que seja extremamente importante nos desafiarmos e testarmos nossos limites, inclusive tentando coisas que normalmente não arriscaríamos tentar, reconhecer nossas próprias limitações é igualmente importantes para que possamos focar nos nossos reais talentos. E é basicamente esse o tema deste terceiro desafio de Ginásio de Ash e o que o destaca de todos os desafios anteriores do garoto de Pallet até aqui.
Desde que conhecemos Korrina e acompanhamos sua conquista da Mega Evolução, ficou claro que havia uma diferença de força acentuada entre Pikachu e Lucario, mesmo antes deste ser capaz de Mega Evoluir. Desde lá, vimos Ash treinar com seus Pokémon e tal, mas diferente do que ocorreu com os Ginásio de Santalune e Cyllage, não houve nenhuma estratégia específica desenvolvida para encarar o Mega Lucario – até Ash decidir investir nos passinhos de dança. Enquanto a ideia parecia realmente ótima, até o episódio passado vimos que enquanto seus Pokémon até eram capazes de dançar bem, o garoto de Pallet não conseguia entrar no ritmo da dança e isso era um problema já que o Treinador precisa está em sintonia com seus Pokémon para o ritmo funcionar. Eu tinha muito medo de que esta fosse uma batalha em que Ash partiria para todo o lance da improvisação com a falta de estratégia dando certo de última hora, porque isso iria contra toda a construção madura do personagem que vem sendo executada em Pocket Monsters XY.
Felizmente, Tomioka não trai seu público e logo que a batalha começa – aliás, um 3x3 UFA~~ – com Hawlucha enfrentando Mienfoo vemos Ash com mais de uma de suas típicas ideias inovadoras: para ditar o ritmo dos Pokémon ele decide usar Pikachu em vez de si próprio. A ideia inicialmente parece engenhosa e uma das formas inusitadas do garoto mudar o jogo a seu favor, afinal Pikachu é bom de dança e tem sintonia com seus parceiros. Entretanto, como eu já argumentei no arco de Korrina e Lucario, um Pokémon não é um Treinador, logo não pode cumprir as funções de um. Como consequência, vemos que o luchador é incapaz de conseguir agir no ritmo, mesmo com o auxílio de Pikachu, e apanha um bocado de seu adversário, deixando o clima bastante apreensivo para todos logo de cara. O Treinador de Pallet começa a se preocupar e então ele olha profundamente para Serena - shippers goona ship - e temos um flashback do auxílio que ela lhe dera com a dança no episódio anterior. O rapaz então lembra algo que sua amiga lhe disse: “Você tem um ritmo único, Ash”.
Embora eu não seja muito fã de todo o lance de Ash dar uma olhada dramática para Serena e desse flashback em si porque me parece muita forçação de barra pra alimentar um shipping inútil, o conteúdo da frase de Serena complementa o que Clemont disse episódio passado (mas que é completamente ignorado aqui). Cada um tem suas próprias forças e fraquezas e Ash tem um estilo único e singular. O lance da dança pode funcionar para Bailey ou Tierno ou Serena, mas não cabe a Ash. Contrastar cada Treinador e seus diferentes estilos é algo que Tomioka já havia abordado amplamente em Diamond & Pearl com Ash e Paul, quando nos revelou que a abordagem mais agressiva do rival funcionava muito bem para seus Pokémon, só que não se aplicava à personalidade individual de Chimchar, cujo estilo tinha mais a ver com o de Ash. É basicamente reflexão que é feita aqui: o estilo da dança não combina com o garoto de Pallet e quando ele abandona a ideia de tentar ser alguém que ele não é e apostar naquilo em que realmente é bom é que sua vitória começa a se tornar algo mais alcançável.
O Treinador de Pallet passa então a dominar o desafio e então vemos um bocado de estratégias ou movimentos que o rapaz desenvolveu ao longo desta viagem por Kalos até aqui. Seja a forma como Hawlucha usa sua Pressão Aérea ou até mesmo a Enterrada do Meteoro do Dragão de Pikachu, o estilo clássico do garoto passa a predominar em toda a batalha. Falando nela, cada uma das lutas principais (Hawlucha VS Mienfoo, Fletchinder VS Machoke, Pikachu VS Mega Lucario) possuiu uma característica única. A primeira foi mais focada no choque de Ash por não conseguir dominar a estratégia de ritmo usando a dança que Tierno lhe ensinara do que no combate em si. O começo é até esperançoso para Ash e então tornou-se em desespero quando Hawlucha não conseguia esquivar-se ou bloquear ataques ou até mesmo efetuar ataques dentro da lógica do ritmo de Tierno. A tensão assume toda a atmosfera desse começo de batalha, seja nos rostos preocupados de Ash e seus amigos, na BGM grave e nos esforços de Pikachu e Hawlucha. Chega a dar uma dor no coração ver o roedor tentando manter desesperado o ritmo com sua dancinha.
Hawlucha apanhando para o Mienfoo também não é nada reconfortante e eu fiquei seriamente preocupado que nosso luchador favorito fosse perder seu primeiro desafio num Ginásio logo de cara, mas felizmente não foi isso que ocorreu. A virada é bonita, mas não ganha pela emoção. O fato de que Hawlucha apanhou muito e conseguiu venceu com três golpes apenas é algo que talvez gere questionamentos, mas pode ser facilmente explicado que o Pokémon Lutador e Voador usou golpes superefetivos, enquanto possuía resistência aos ataques de Mienfoo. Aliás, a própria Korrina reconhece que eles utilizaram mais golpes, mas Hawlucha foi melhor. É então a vez de Fletchinder e Machoke. O Pokémon de Superforça é um que eu honestamente não aguento mais ver em Ginásios do tipo Lutador. Ele é tipo um Onix. Chuck tinha um em Johto, Maylene tinha um em Sinnoh e Brawly tinha um Machop em Hoenn. E, pra ser justo, todos esses Líderes tinham esse Pokémon nos jogos também, então não dá pra culpar os roteiristas aqui. Qualé, Game Freak, existem 46 Pokémon do tipo Lutador! Por que não usar um Primeape só pra variar, por exemplo?
Entretanto, essa repetição não muda o fato de que essa batalha foi visualmente muito mais fantástica. Os movimentos de câmera e os ângulos neste confronto são absolutamente maravilhosos, fazendo excelente uso do voo de Fletchinder – eu poderia ficar horas vendo o robinzinho voando por Kalos de tão lindo que é. O Pokémon Brasa dá um show na forma como se movimenta – eu adoro aquela última evasiva que ele dá na Explosão Focalizada (Focus Blast) do adversário – e demonstra um poder formidável, mas não dá pra reclamar de Machoke também. A forma violenta e rápida com que aplica seus golpes reforça a agressividade do estilo de batalha de Korrina e são muitíssimo bem animados.
Não sei se por causa da luminosidade baixa do cenário desse Ginásio ou se esse é realmente seu novo visual, mas o Machoke aqui parecia com uma coloração bastante diferente da tradicional. Porém, uma coisa que eu estranhei aqui é que Fletchinder não utiliza nenhum ataque do tipo Voador na batalha e nocauteia Machoke relativamente fácil. Ele vence usando uma combinação de Lâmina de Vento (Razor Wind), que parece ser bloqueado ao menos parcialmente, com uma Carga de Chamas (Flame Charge). Não sei se por mera conveniência do roteiro ou para nos mostrar o quão Fletchinder era superior em poder. Considerando que Korrina não parece dedicar tanto tempo do seu treinamento a seus outros Pokémon, sinceramente a segunda opção faria muito sentido pra mim. Além disso, era necessário que Fletchinder e Hawlucha sobrevivessem para amaciar a carne de Mega Lucario para Pikachu.
A batalha final faz uso das mesmas técnicas de animação que fizeram Fletchinder VS Machoke tão bonita com um adicional de que ela foi tão intensa que parecia mais um final de Liga Pokémon! Afinal, se você pode fazer algo nesse nível por que esperar uma Liga? Movimentos de câmera fantásticos, trocas de ataques poderosas, cenas de Korrina e Ash dando comando aos seus Pokémon ao fundo enquanto Pikachu e Mega Lucario preparavam os ataques… tudo tem um aspecto muito dramático que lembra uma final entre rivais – como até é apontado pelos próprios personagens durante o episódio. O Pikachu aqui parece mais aquele que costumamos ver nos finais de cada série, com Choques do Trovão poderosos e movimentos rápidos e fortes. Ash também está visivelmente mais competente, respondendo mais rapidamente às ofensivas do adversário.
Logo que a batalha se inicia, ele ordena que Pikachu use um Ataque Rápido, uma escolha não muito sábia – contra o Mega Lucario que tem o ossão pra te mandar para as cucuia, quanto mais distância manter melhor –, mas o golpe havia sido só uma forma de aproximar mais a Esfera Elétrica. Usar a Cauda de Ferro como movimento defensivo também é outra atitude esperta do Treinador de Pallet, além de reciclar a tática da Enterrada do Meteoro do Dragão para saltar mais alto. Entretanto, apesar da melhora toda de Ash, não dá pra negar que Korrina e Mega Lucario sofreram uma reduzida em seu poder e, sinceramente, uma redução necessária. O bicho já era o capeta quando era só um Lucario com uma agilidade e uma ofensiva surreal, depois Mega Evolui e ainda tem toda a parada sinistra da aura. É claro que também ajuda a tornar a batalha mais crível o fato de que Lucario também enfrentou Hawlucha e Fletchinder antes de encarar Pikachu. Entretanto, eu tinha um receio de que teríamos outro Buizel VS Lucario 2.0, então foi certamente um alívio quando Mega Lucario caiu no chão e a transformação se desfez e Pikachu não caiu junto. Ash venceu merecidamente.
Uma coisa bacana do episódio é que a Equipe Rocket aparece – e eu não tenho motivo para reclamar (exceto pelo maldito lema, claro)! Isso porque a aparição dos antagonistas tem um objetivo louvável de dar a Froakie, Clemont e Serena uma chance para brilhar. O sapinho havia participado dos treinamentos com Ash e os demais – até mais que Fletchinder, por exemplo –, mas ficou de fora da luta por razões óbvias. Ainda assim, com a aparição dos vilões ele teve uma chance de ser o herói outra vez. Todavia, o lance mais bacana dessa aparição do trio é, talvez, o fato de eles não considerarem Clemont e Serena uma ameaça real aos seus propósitos. Eles tem Ash, mas não temem seus amiguinhos. Eles passam pelos dois Treinadores sem a menor preocupação, mas a dupla mostra o seu valor fazendo-os decolar. É ótimo ver como eles lidam com os vilões sem chamar atenção de Korrina ou Ash, interrompendo a batalha – exceto pela explosão que causaram numa das paredes da Torre da Maestria que o vovô Gurkinn vai ter que dar um jeito de consertar depois. A forma como o trio de companheiros mente para não tirar a cabeça de Ash do confronto é ótimo e mostra o quanto todos eles entendem a importância do desafio para seu amigo.
A excelente combinação de animação, trilha sonora e texto de qualidade fizeram deste terceiro desafio de Ginásio de Ash mais um grande acerto. Tomioka conseguiu aproveitar toda a ideia da estratégia de dança para um desenvolvimento de personagem mais realista e interessante, colocou Clemont e Serena para mostrarem que linha auxiliar do Ash uma ova, escreveu batalhas excelentes e ainda jogou um ossinho de brinde para os shippers poderem roer e transformar em gifs de câmera lenta. Para os próximos episódios ficam duas promessas: o desafio ao “excêntrico” Ramos - o personagem já teve uma personalidade definida com antecedência - e uma outra fala interessante de Clemont. Logo que Korrina e Ash começam a lutar e o clima de tensão toma conta o irmão limão diz que “uma Batalha de Ginásio se inicia no momento em que conscientemente se decide desafiar aquele Ginásio”. Logo, já estão ele e Ash engajados na luta que terão futuramente?

Considerações finais:
  • Depois de uma rápida pesquisa, vi que a coloração de Machoke usada neste episódio já vinha sendo utilizada no anime desde Diamond & Pearl. Bizarro porque ela é bem diferente da coloração do Pokémon mesmo em Pokémon X & Y;
  • Clemont estava bastante sombrio nesses dois episódios e chega até a assustar Bonnie nesse episódio;
  • Outro detalhe que eu adoro: Hawlucha nunca esquece de exibir sua pompa;
  • Eu gosto do fato de que os roteiristas afirmam várias vezes que Korrina treinou seu Mega Lucario e ele está ainda mais forte. É legal dar essa sensação de que os Líderes de Ginásio também se dedicam e treinam seus Pokémon sempre mais;
  • Pikachu sendo afetado pelo Som Metálico durante a batalha do Fletchinder ainda devia ser considerado roubo, tadinho :o Tendo as defesas especiais afetadas antes mesmo de lutar. Aliás, eu gosto como Clemont deixa implícito que esse golpe reduz a defesa especial quando afirma que se Pikachu fosse atingido pela Esfera de Aura após o Som Metálico - já durante a batalha - o golpe seria fatal;
  • Eu acho tão bonitinho no final, quando Korrina e Ash se cumprimentam, Pikachu e Lucario dando as mãos por cima das dos seus respectivos Treinadores;
  • Mega Metagross é apresentado após o episódio, como parte dos videozinhos promocionais para o especial "A Mega Evolução Mais Forte ~2º Ato~". Entretanto, tal apresentação foi diferente de todos os Pokémon apresentados anteriormente. Não houve Alain nem Mairin, só uma voz grave - que imagino ser de Steven ou Lysandre - falando sobre ele. Curiosamente, Mega Metagross é o único das novas Mega Evoluções a serem introduzidas em Omega Ruby & Alpha Sapphire que não possui uma descrição decente no site oficial;
  • Eu só acho que ia ser 10/10 se a habilidade Corpo em Chama (Flame Body) do Fletchinder fosse ativada durante a batalha;
  • O XY043 alcançou 5,2 pontos de audiência, ocupando a 10ª posição no ranking semanal de animes. Já este XY044 obteve 0,2 pontos a menos, mas subiu para a 8ª posição;
  • EDIT 01h32 25/10: Eu já esqueci uma vez e não poderia cometer o mesmo erro outra vez, mas um dos meus queridos leitores, Diogo Vaz, me pediu para divulgar uma fanfic que ele mesmo tem escrito. Eu ainda não tive tempo de conferir, mas se tiver a mesma qualidade dos comentários que ele deixa periodicamente aqui acredito que deva ser muito boa, então fica aqui ao link a quem interessar. Basta clicar aqui;
  • Joguei a demo esta semana e eu tenho apenas um comentário a fazer: um bocado de gente em Hoenn acha Steven sexy e eles não tem medo de repetir isso diversas vezes. Inclusive como uma ofensa do tipo "Seu maldito cara lindo e gostoso! Te quero!";
"Não pense que nós vamos nos conter, mesmo que um de vocês seja uma criança e o outro um espécime bem deslumbrante do sexo masculino!"

2 comentários:

  1. Se no 3º Ginásio já tá assim, tenho até medo do nível da Liga Kalos.

    ResponderExcluir
  2. n entendo como pikachu ganha de um mega luacrio mas perde pro normal

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!