Report Latin America International Championships - TCG




Dia 21 de Abril de 2017, WTC Events Center – Golden Hall, São Paulo - SP.

As luzes se ascenderam e o brilho luminoso do palco se mostrou com a mesma intensidade da música. Jogadores e entusiastas de todos os cantos do Brasil e do Mundo passavam pela porta com uma mistura de sentimentos: nervosismo, empolgação, excitação e com certeza, em maior grau, felicidade.

Deu-se início ao Torneio Internacional da América Latina, até então o terceiro torneio internacional da temporada e também o maior registrado até o momento. Foi minha primeira participação como jogador em um torneio dessa magnitude e estou aqui para contar um pouco dessa incrível e maravilhosa experiência.

Após alguns anúncios e pedidos para que todos se acomodassem em cadeiras, os telões exibiram um vídeo sobre a trajetória de todos os torneios até então realizados no Brasil (com peso semelhante ao Internacional). Após isso ecoou uma apresentação com a música clássica e tema do Anime numa versão mais "abrasileirada". Não consegui encontrar o vídeo específico da evolução do TCG no Brasil, mas a Copag disponibilizou a segunda parte da abertura em seu canal oficial no Youtube:


*A captação do som não ficou adequada e, por conta disso, o vídeo não faz jus ao espetáculo ao vivo*

Após isso tivemos as entregas das decks lists e o pareamento do primeiro round. Enfim era hora de começar o 2017 Latin America International Championship!!!

Minha trajetória:
Antes de falar sobre os meus jogos, comecemos com os meus preparativos do Deck frente ao Meta: 

Tive muitas dúvidas com o que jogar. Não que tivesse um vasto número de decks disponíveis, apenas dois que estavam em condições de serem usados e que se enquadravam no Meta: Yvetal e Mega Mewtwo, ambos com Garbodor na intenção de anular habilidades já que os decks não usufruem tanto delas. Peguei ambos emprestados com amigos da minha cidade e durante os meus treinos e, analisando a grande probabilidade de Decidueye com Vileplume, optei pelo Mega-Mewtwo. Os motivos foram evidentes: a quantidade de HP elevada (sem necessidade de tool) e um ataque que produz mais dano.

Utilizei uma decklist baseada na qual Igor Costa – campeão mundial – vinha utilizando em seus últimos torneios e que tinha rendido algumas vitórias em League Cups e League Challenges. Mas achei necessário certas modificações.

Igor Costa

Durante os treinos percebi uma falta de consistência do deck, acabando sempre com uma “mão zicada” ou um jogo travado e sem Apoiadores. Decidi que, com exceção de 2x Lysandre, iria jogar apenas com apoiadores de manutenção de mão. Dessa forma abri mão de cartas como Delinquente e Dama do Centro Pokémon/Corda de Fuga. Eram cartas usadas como uma “reposta surpresa”. Substituí esses espaços por algo que facilitasse trazer os Apoiadores para minha mão. Coloquei então 3x Correio de Treinador.



Diferente da maioria, também joguei com uma linha 2-2 de Trubbish e Garbodor evitando que algum deles ficasse no Prize e me rendesse um game loss. A maioria dos Decks utilizava, até certo ponto, muitas habilidades e optei por anula-las o mais rápido possível. A Tech do Woobbuffet teve origem exclusivamente para se enfrentar Decilplume, e como tive apenas uma Match contra, não me foi tão útil. 

Também preferi jogar com uma linha de 4x Mewtwo EX porque as vezes em que esse Pokémon caia nos prizes era difícil preparar um atacante em tempo suficiente para pressionar o adversário. 

No final das contas minha lista final ficou da seguinte maneira:


##Pokémon - 14
* 1 Shaymin-EX
* 1 Hoopa-EX
* 4 Mewtwo-EX
* 3 M Mewtwo-EX
* 2 Trubbish
* 2 Garbodor
* 1 Wobbuffet

##Trainer Cards - 35
* 4 Professor Sycamore
* 1 Parallel City
* 2 Shrine of Memories
* 1 Super Rod
* 4 Ultra Ball
* 4 Mewtwo Spirit Link
* 4 VS Seeker 
* 3 N 
* 2 Lysandre
* 3 Float Stone
* 4 Mega Turbo
* 3 Trainers' Mail

##Energy - 11
* 4 Double Colorless Energy
* 7 Psychic Energy

A primeira rodada deve ter começado próximo das 10:30h. Meu primeiro adversário foi definido:

Rodada 1 – Bruno Garcia (RJ) – Deciplume + Evolutions – 2x0


Bruno também estava enfrentando um torneio de grande porte pela primeira vez e foi fácil desenvolvermos uma amizade. Nos encontramos lado a lado em partidas futuras. Consegui uma vitória por 2x0 quase que exclusivamente por sua mão ficar travada e ele não ter conseguido colocar Vileplume em campo em nenhum dos jogos. Não que minhas mãos estivessem espetaculares mas elas deram para o gasto, mesmo que eu tivesse hesitado em desperdiçar certos recursos com Sycamore. 

Rodada 2 – Kenny (US) – Darkrai Turbo – 1x1





Como tenho um certo domínio de inglês não foi nenhum problema me comunicar com Kenny, mas como eu imaginava, seria uma partida extremamente difícil por conta dos Darkrai não terem mais do que duas energias ligadas neles, além, claro, da resistência a golpes psíquicos que me impediu de vencer essa rodada. 

Ele começou a primeira partida e com uma mão invejável fez todo o seu setup no primeiro turno. Passei dois turnos sem comprar nenhum Apoiador e foi uma vitória fácil comigo me rendendo assim que vi que não teria um contra-ataque adequado. Fiz para poupar o tempo no relógio. Na segunda partida, eu comecei e houve uma partida extremamente demorada e disputada. A última foi mais rápida e eu estava nitidamente com a vantagem. Já tinha preparado um Mega Mewtwo EX no banco suficiente para causar 130 em algum Darkrai com duas energias. Ele tinha um Darkrai no banco com exatos 170 de dano que não tinha sido nocauteado por conta da resistência (se não fosse por isso, teria vencido essa partida). 

Entramos nos três turnos finais, faltando duas prizes para mim e seis para ele, começando com Kenny que apenas passou. Comprei uma carta, ataquei e empatamos já que ele não tinha nocauteado nenhum Pokémon meu. A dor foi ver que a minha próxima carta do deck era um Lysandre. Traria o Darkrai com 170 de dano e o nocautearia ganhando assim a match. Faz parte. Coisas do jogo. 

Rodada 3 – Robson Kerm – Volcanion + Salamence – 1x2




Essa, de longe, foi a partida que me deixou mais frustrado e desanimado durante todo o torneio. Eu sempre me saia bem contra decks de Volcanion por conta de priorizar o Garbodor e evitar que meus Mewtwos fossem nocauteados com apenas 1 hit. A questão é que nas duas partidas em que fui derrotado minha mão veio tão horrível que foi impossível não me sentir incapaz e frustrado. O pior era que Robson poderia ter ganhado a primeira partida em 3 turnos (conclui isso pelas cartas que ele estava baixando. Se tivesse feito diferente seriam as jogadas corretas), mesmo assim ele levou 6 turnos e nenhuma das 6 cartas que comprei foi um Apoiador ou mesmo Ultra Bola para buscar Hoopa e Shaymin. 

Rodada 4 – Erick – Volcanion + Salamence – 2x0




Dessa vez, mesmo com dificuldades nas mãos iniciais consegui montar Garbodor rapidamente e como nos meus treinos, ganhar sem qualquer dificuldade. 

Rodada 5 – Ricardo Vilela (GO) – Rayquaza + Jolteon – 2x1




Uma partida difícil e que por vários momentos achei que iria ser derrotado. Permiti que ele voltasse uma Missplay que tinha cometido (ligado energia no Pokémon errado) e quase me arrependi por isso. Ainda assim, consegui vencer a última partida travando as habilidades deo Hoopa, Shaymin e Dragonite EX com o Garbodor e vencer a partida prestes a acabar o tempo.

Rodada 6 – Adriano Kanazawa – Mega Mewtwo EX – 2x0




A primeira e única mirror. Ambas as partidas Adriano começou e eu sabia que isso o dava uma vantagem muito maior. Apostei em reservar meus Mewtwos apenas para quando conseguissem dar 1Hit Ko. Era arriscado apostar em golpes que causassem muito dano e não causassem o nocaute por conta da possibilidade do ataque Troca de Danos. 

Acredito que venci por minha deck list ser mais agressiva do que a de Adriano. Ele apostou em cartas como Special Charge para recuperar as Double Colorless Energy descartadas. Eu tinha enfrentado poucas mirrors, mas usei da minha experiência com outros decks para vencer. Minha única preocupação foi que ele usasse um Espeon GX (bate dobrado pela fraqueza do Mega Mewtwo e é preciso 7 energias para nocautea-lo). Felizmente ele não usava. 

Rodada 7 – Juan Martin Bravo (ARG) – Yveltal EX + Garbodor – 2x1




Juan é um jogador fantástico da Argentina. Eu tinha uma larga vantagem enfrentando Yvetal e já tinha, inclusive treinado contra, e sabia exatamente como o deck funcionava em seus mínimos detalhes. É um dos meus decks favoritos e já joguei muito com ele. 

Mesmo a larga vantagem estando do meu lado, Juan ainda conseguiu arrancar uma vitória. Nas outras partidas, como se não bastasse a situação difícil em que ele se encontrava, ainda errou vários Max Elixir e passou alguns turnos sem conseguir atacar.

Rodada 8 – Joel Pinheiro (CE) – Darkrai Turbo – 2x0




Joel foi outro jogador com o qual eu desenvolvi uma amizade. Durante essa rodada foi necessário refazer o pareamento de algumas mesas e passamos mais de 40 minutos conversando.

Quando começamos a jogar eu podia ver a expressão de frustração no seu rosto. Era igual quando eu havia enfrentado Robson. A mão dele veio tão ruim que foi quase uma vitória “injusta”. Acelerei tudo o máximo que podia e nas duas partidas, quando ele conseguiu formar seu Setup eu já tinha preparado Mega Mewtwos suficientes para vencer, mesmo que entrássemos num loop de “N” para 3, 2 ou uma carta. 

Rodada 9 – Felipe Ponce – Mega Rayquaza EX + Gumshoos GX – 1x2




Então, lá estava eu com o score de 6-1-1 (Vitória, Derrota, Empate). Faltava a última rodada e, se eu a vencesse, estaria garantido no TOP 32. 

Confesse que o horário já era próximo das 23:00h e que eu estava faminto - tinha almoçado duas ou três barras de cereal e sonhava com alguma coisa para jantar. Minha concentração estava um pouco falha mas foi uma surpresa ótima saber que eu enfrentaria uma pessoa da qual eu sou particularmente fã. Ponce é dono da loja e do canal do Youtube intitulado Poké Paradise e acompanho regularmente seus vídeos. 

Ele começou a partida e conseguiu vencer a primeira com facilidade. Cometi alguns erros e fiz algumas pequenas bobagens, nada que se estivessem certas salvariam o jogo, mas... faz parte. A segunda partida foi bem disputada e eu começar me deu um pouco de vantagem para montar o Garbodor e controlar com mais facilidade o jogo até que alguns Mega Turbos na hora certa me renderam a vitória. 

Começamos enfim a terceira partida. Ele deu início com um turno regular com Mega Rayquaza como ativo e com uma DCE ligado no mesmo. Frente a esse monstro havia um pobre e indefeso Trubbish. Minha mão veio terrível e faltava menos de um minuto para o tempo acabar. Precisava de pelo menos um Pokémon básico e conseguiria empatar. Usei três Trainer’s Mail para tentar comprar um Apoiador e tudo o que consegui foi um simpático e salvador N. Liguei uma Float Stone no Trubbish e usei N. 

Um mar de tristeza e dor me acertou em cheio quando das 6 novas cartas nenhuma delas era um Pokémon Básico. Mas ainda havia um pingo de esperança. Uma energia psíquica estava na minha mão e tudo o que eu poderia fazer era contar com a sorte mais uma vez e usar o ataque do Trubbish:

“Flip a coin. If heads, discard an Energy attached to your opponent's Active Pokémon.”

Ainda existia a possibilidade de arrancar aquela DCE e torcer para que a mão dele estivesse ruim o suficiente para não colocar mais do que duas energias naquele Mega Rayquaza. Eu joguei a moeda... coroa. O jogo acabou no exato momento em que o tempo acabou e começaram as contagens dos três últimos turnos.

E eu sabia que o torneio tinha acabo ali. Com o empate ainda existam boas possibilidades de eu ficar no TOP 32 dado meus resultados, porém... coisas do jogo. Acontece. 

Colocação final: 38º - premiação de 500 dólares.

Finalizando, ainda fiquei satisfeito com o resultado que basicamente arcou com todas as minhas despesas da viagem e  me permitiu desenvolver amizade com pessoas tão incríveis. 

Continuando o Torneio - TOP 32 e Finais:

Então, o TOP 32 ficou organizado da seguinte maneira*:

Foto por: Copag

1. Diego Cassiraga [AR] – Decidueye GX/Vileplume/AOR
2. Thiago Giovannetti Marques Ricardo [BR] – Decidueye GX/Vileplume AOR/Yanmega STS
3. Allan Kassio Beckam Soares da Cruz [BR] – Volcanion EX
4. Yee Wei Chun [MY] – Volcanion EX
5. Pedro Jorge [BR] – Volcanion EX
6. Nicolas Galaz [CL] – Decidueye GX/Vileplume
7. Ian Anderson Fukuda [BR] – M Rayquaza EX
8. Andrew Ariel Dias [BR] – M Rayquaza EX
9. Pedro Henrique Cunha de Lacerda [BR] – Decidueye GX/Vileplume
10. Brent Tonisson [AU] – Decidueye GX/Vileplume AOR
11. Benjamin Arellano [CL] – M Mewtwo EX/Wobbuffet PHF/Garbodor BKP
12. Oscar Morales [US] – M Gardevoir EX
13. Sam Hough [US] – Gyarados
14. Javier Gamboa [CL] – Decidueye GX/Vileplume
15. Felipe Ponce [BR] – M Rayquaza EX/Gumshoos GX
16. Sid Filho [BR] – Volcanion EX
17. Robin Schulz [DE] – Turbo Darkrai EX
18. Connor Finton [US] – Decidueye GX/Vileplume AOR
19. Sebastian Lugo [AR] – Decidueye GX/Vileplume AOR
20. Jean Valdivieso [CL] – Decidueye GX/Vileplume AOR
21. Joao Paulo Senida [BR] – Volcanion EX
22. Felipe Bastias [CL] – Decidueye GX/Vileplume AOR
23. Nicholas Pearce [UK] – M Rayquaza EX
24. Thales Tadashi Argelo [BR] – Yveltal EX/Garbodor BKP
25. Brad Curcio [US] – Turbo Darkrai EX
26. Sebastian Mena [CL] – M Mewtwo EX
27. Juan Pablo Salas [CL] – Decidueye GX/Vileplume AOR/Jolteon EX/Regice AOR
28. Philip Schulz [DE] – Turbo Darkrai EX
29. Martin Janous [CZ] – M Rayquaza EX/Salamence EX/Volcanion EX
30. Doulas Rodrigues [BR] – Raichu/Vespiquen/Eeveelutions
31. Evandro Coca [BR] – M Gardevoir EX
32. Juan Villalon [CL] – Volcanion EX

Após o segundo e terceiro dia de jogo, a colocação final ficou organizada da seguinte maneira para a categoria Master:

Foto por: Copag

1. Juan Pablo Salas [CL] – Decidueye GX/Vileplume AOR/Jolteon EX/Regice AOR
2. Thiago Giovannetti Marques Ricardo [BR] – Decidueye GX/Vileplume AOR/Yanmega STS
3. Ian Anderson Fukuda [BR] – M Rayquaza EX
4. Connor Finton [US] – Decidueye GX/Vileplume AOR
5. Philip Schulz [DE] – Turbo Darkrai EX
6. Sid Filho [BR] – Volcanion EX
7. Diego Cassiraga [AR] – Decidueye GX/Vileplume AOR
8. Yee Wei Chun [MY] – Volcanion EX
9. Felipe Ponce [BR] – M Rayquaza EX/Gumshoos GX
10. Robin Schulz [DE] – Turbo Darkrai EX
11. Brent Tonisson [AU] – Decidueye GX/Vileplume AOR
12. Javier Gamboa [CL] – Decidueye GX/Vileplume AOR
13. João Paulo Senida [BR] – Volcanion EX
14. Martin Janous [CZ] – M Rayquaza EX/Volcanion EX/Salamence EX
15. Pedro Henrique Cunha de Lacerda [BR] – Decidueye GX/Vileplume AOR
16. Sebastian Lugo [AR] – Decidueye GX/Vileplume AOR
17. Andrew Ariel Dias [BR] – M Rayquaza EX
18. Douglas Rodrigues [BR] – Vespiquen AOR/Raichu XY/Eeveelutions
19. Nicolas Galaz [CL] – Decidueye GX/Vileplume AOR
20. Sebastián Mena [CL] – M Mewtwo EX
21. Jean Valdivieso [CL] – Decidueye GX/Vileplume AOR
22. Thales Tadashi Argelo [BR] – Yveltal EX/Garbodor BKP
23. Brad Curcio [US] – Turbo Darkrai EX
24. Felipe Bastias [CL] – Decidueye GX/Vileplume AOR
25. Nicholas Pearce [UK] – M Rayquaza EX
26. Juan Villalon [CL] – Volcanion EX
27. Oscar Morales [US] – M Gardevoir EX
28. Sam Hough [US] – Gyarados AOR
29. Evandro Coca [BR] – M Gardevoir EX
30. Allan Kássio Beckman Soares da Cruz [BR] – Volcanion EX
31. Benjamin Arellano [CL] – M Mewtwo EX/Wobbuffet PHF/Garbodor BKP
DQ. Pedro Jorge [BR] – Volcanion EX**

**Desclassificado por usar Sleeve Marcado com Hoopa EX e também por usar 62 cartas durante a checagem do deck no TOP 8.

Na categoria Master tivemos a vitória de um Chileno, com dois brasileiros (ambos da Team Bulldogs) ocupando a colocação de segundo e terceiro. A final, Thiago Giovannetti acabou sofrendo de uma desvantagem por ser o segundo a jogar. Depois de perder o primeiro jogo, a vantagem estaria com ele para o segundo, podendo colocar Vileplume em campo no Turno 1 e assim travaro jogo do oponente. Todavia, três cópias da carta essencial para a execução dessa jogada, o estádio Floresta das Plantas gigantes, acabaram caindo nas Prizes. E a partida novamente trouxe a desvantagem para Thiago.

*Agradecimentos a The Charizard Lounge pelos resultados.

Deck Lists***:

1º Juan Pablo Salas [CHILE] - DECIDUEYE GX / VILEPLUME

Foto Por: Juan Pablo Salas

Pokémon (24)
4x Decidueye GX
4x Dartrix
4x Rowlet
2x Vileplume
2x Gloom
2x Oddish
1x Lugia EX
1x Jolteon EX
1x Regice
3x Shaymin EX

Trainer (28)
4x Professor Sycamore
3x N
2x Lysandre
4x Ultra Ball
3x Level Ball
4x Trainer’s Mail
2x Revitalizer
2x Float Stone
4x Foret of Giant Plants

Energia (8)
4x D.C.E
4x Rainbow Energy

2º Thiago Giovannetti [Brasil] - DECIDUEYE GX / VILEPLUME


Foto Por: Bulldogs Gaming Oficial Facebook Page

Pokémon (24)
4x Decidueye GX
4x Dartrix
4x Rowlet
2x Vileplume
2x Gloom
2x Oddish
2x Lugia EX
1x Yanmega
1x Yanma
2x Shaymin EX

Trainer (29)
4x Professor Sycamore
3x N
3x Lysandre
4x Ultra Ball
3x Level Ball
4x Trainer’s Mail
2x Revitalizer
2x Float Stone
4x Foret of Giant Plants

Energia (7)
4x D.C.E
3x Grass Energy


3º Ian Anderson Fukuda [Brasil] - M RAYQUAZA EX

Foto Por: Bulldogs Gaming Oficial Facebook Page

Pokémon (15)
3x M.Rayquaza EX
3x Rayquaza EX
3x Hoopa EX
1x Dragonite EX
1x Oranguru
4x Shaymin EX

Trainer (37)
3x Professor Sycamore
2x Lysandre
1x N
1x Skyla
1x Brock’s Grit
1x Olimpia
1x Hex Maniac
3x Vs.Seeker
4x Ultra Ball
3x Tariner’s Mail
4x Puzzle of Time
3x Mega Turbo
1x Escape Rope
2x Float Stone
3x Rayquaza Spirit Link
4x Sky Fiekd

Energia (8)
4x D.C.E.
4x Fire Energy

4. Connor Finton [Estados Unidos] - DECIDUEYE GX / VILEPLUME

Foto Por: Connor Finton

Pokémon (24)
4x Decidueye GX
4x Dartrix
4x Rowlet
2x Vileplume
2x Gloom
2x Oddish
1x Lugia EX
1x Tauros GX
1x Beedrill EX
3x Shaymin EX

Trainer (29)
4x Professor Sycamore
3x N
3x Lysandre
4x Ultra Ball
3x Level Ball
4x Trainer’s Mail
2x Revitalizer
2x Float Stone
4x Foret of Giant Plants

Energia (7)
4x D.C.E
3x Grass Energy

***Agradecimentos ao blog DELTA POKÉMON pelas Deck Lists - Para as demais decklists clique no link.

Categorias Júnior e Sênior:

Na categoria Júnior quem levou o título foi a Alemã (Ou Dinamarquesa segundo a sigla da Stream) Kaya Lichtleitner com um deck de Mega Mewtwo EX. Na final ela derrotou o brasileiro Alexandre Banevicius que jogava de Volcanion EX.


Já na categoria Sênior quem levou o título foi o brasileiro Marcos Kuribara com um deck de Yvetal EX com Garbodor. Ele derrotou na final o australiano Lewis Stevens que utilizava um deck de Deciplume.




Vídeo:

As finais e todos as streams podem ser assistidas no canal oficial da Copag no Youtube. Abaixo segue o vídeo do terceiro e último dia de Torneio, bem como a descrição de onde começam e terminam as finais:


Final Júnior: 04:09:50 até 04:41:47
Final Sênior: 05:16:36 até 06:31:54
Final Master: 07:05:26 até 07:54:40

Concluindo:

Tivemos um torneio espetacular sediado no Brasil e que com certeza não ficou devendo em nada para qualquer outro. A estrutura foi excelente, o espaço adequado disponibilidade de lojas, banheiros e local de alimentação.

Como principal, e talvez único, problema tivemos uma reclamação generalizada em relação aos narradores das Stream que, aparentemente, não estavam preparados ou cientes de todas as regras do jogo e/ou efeitos para narrarem de uma forma consistente, muitas vezes se perdendo durante as partidas.

Ainda assim, posso garantir que não há nada que tire o brilho da grandiosidade que foi esse evento. Parabéns para a Copag e todos os envolvidos nesse trabalho.

Um comentário:

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!