Fanfic Capítulo 02: Tutorial

O que pode ser óbvio para alguns nem sempre é claro para os demais. Wes terá que ter paciência para contornar essas discrepâncias...
 

Capítulo 02 (Tutorial)

   — Tem uma coisa em que você pode me ajudar.

   — No que seria?

   Ela o interrompera, e Wes não pode esconder sua surpresa, como uma pessoa “normal” poderia ajudar num treinamento “paranormal”? A situação lhe parecia tão estranha que Rui logo esclarecera o motivo de precisar da ajuda dele em especial.

   — Bem, eu… finalmente vou poder ter um Pokémon, quem sabe, uma equipe inteira. – ela dissera, na expectativa. — Mas… eu não sei nada sobre batalhas! Sobre capturar Pokémon e coisas assim. – Rui enfatizara.

   — Bem, você devia ter falado isso mais cedo… fica mais difícil só na teoria.

   — Oh… certo.

   — Vamos subir. Talvez um dos velhinhos queira batalhar, e eu posso lhe explicar o básico.

   — Certo!
 

   Ela assentira, bem mais animada, enquanto iam em direção à caverna subterrânea, que saía perto do Centro Pokémon da vila. O túnel era sustentado por raízes e coberto de líquens, alguns deles bioluminescentes. A água corria pelos lados, e na saída, uma ponte de madeira ligava a caverna ao vilarejo.

   A Vila Ágata era um grande contraste, um paradoxo, em Orre. Ficava no sopé do Monte Batalha, ao lado do solitário rio Orion, tendo um relevo todo acidentado e cheio de cascatas, coberto por grama e musgo. O tronco seco e as raízes de uma gigantesca árvore contornavam as casas daquele lugarejo, totalmente integrado com a natureza. Aquele distrito era um dos poucos lugares que se poderia ver algo verde na região.
 

   Subindo a rampa que ficava logo depois da ponte ali embaixo, os dois foram para beirada que ficava próximo ao Centro, perto da ponte de madeira, de frente para o rio. Wes se virara para Rui, perguntando…

   — Hmnn… vamos começar pelo básico. Já que quer tanto saber, o que é uma batalha Pokémon para você?

   — Uma batalha Pokémon… é uma batalha Pokémon, ora. Os Pokémon lutam entre si, trocando golpes, até que um deles seja nocauteado, dando a vitória ao outro treinador. Certo?

   — Ahmnn… Certo…

   Ele se segurara diante da resposta. Ela estava certa, mas fora uma definição tão mirrada, tão fraquinha… Como descrever o ímpeto da batalha, a força de cada golpe, as emoções à flor da pele, a iminência da vitória ou da derrota?! Era quando ele se sentia mais vivo. Bem, cada um tem o seu gosto. Talvez ela não curtisse muito batalhas Pokémon, já que um deles saía machucado. Mas para ele, batalhar era sua segunda natureza. Avaliar os riscos, se colocar à prova, ver o que era possível fazer, tudo num átimo, sem hesitação nem imprudência.

   — Qual é a coisa mais importante numa batalha? O mais importante se um Pokémon quiser vencer? – ele perguntara, pacientemente.

   — Força? – ela dissera, incerta, como se a palavra não expresse bem o conceito que queria.

   — Não. Estratégia. Inteligência.

   — Estratégia…

   — Você duvida? Deixa que eu te mostro então. Ei, Bree, Ester, poderiam me ajudar aqui? Vamos mostrar como é uma verdadeira batalha Pokémon.

   — Hmn?

   Wes replicara, enfatizando sua opinião sobre o assunto, e logo se levantara, e ela se virara, as Eeveelutions que estavam junto as costas dele se afastaram para o terreno em frente ao Centro; mantendo distância um do outro, como se estivessem em lados opostos num campo de batalha…

   — Espera um pouco, Wes! – ela puxara a barra do casacão dele, mas isso não o impedira de dar os comandos.

   — Ester! Use o psíquico! {Psychic}

   — Não!!!

   O Espeon atacara, lançado uma forte onda telecinética em direção ao noturno, mas não teve efeito algum. Ela vira o golpe distorcer o ar em volta, mas como o Umbreon estava ileso? Depois da demonstração, as duas Eeveelutions se sentaram, o Umbreon fora até o psíquico, irradiando convencimento. Já o Espeon olhara para a garota com indulgência, como se dissesse: “Não foi óbvio que não iria funcionar?”.


   — Viu? Bree nem se machucou.

   Wes comentou, como se nada de mais tivesse acontecido, ajeitando o casacão depois que ela o soltou. Mas a ruiva o contestara.

   — M-mas… isso é sério!!! Ele poderia ter se ferido!!!

   — Força não é páreo para inteligência. Tipos noturnos são imunes a golpes psíquicos.

   — Sério? – ela perguntara, surpresa, seu espanto registrado nos olhos azuis.

   — Você nunca percebeu que eu nunca uso o psíquico num Pokémon noturno? Que eu inclusive troco Ester por outro Pokémon?

   — Bem, eu nunca parei para pensar sobre isso…

   Wes suspirara. Rui sempre lhe pareceu bem observadora, conseguia identificar um Pokémon Sombrio assim que entrava em campo. Com mais calma, fora da batalha, ela conseguia relatar o quão afetado ele estava, o quanto faltava para o Pokémon ser purificado. Mas ela nunca reparara nas batalhas em si? Nas características de cada um?

   Aquilo seria mais difícil do que ele pensava. Com a condescendência de quem também penara no começo, Wes explicara:

   — Todo Pokémon tem um tipo específico. Alguns têm dois. Cada tipo tem suas forças e fraquezas. Por exemplo, água é forte contra fogo, fogo é forte contra planta, e planta é forte contra água. Dá para montar uma tabela com todos os tipos, evidenciando essas relações.

   — Água é forte contra fogo, fogo é forte contra planta, planta é forte contra água, psíquico não tem efeito contra noturno. – ela repetira.

   — Isso. Vou ver se acho uma para você…

   O jovem pegara seu PDA, um modelo simples que fora customizado e alterado tantas vezes que mal dava para reconhecer como um, parecia uma cruza de tablet com um Pokénav gigante. Com alguns toques, ele abrira o navegador, procurando na internet uma tabela sucinta. Não tinha uma salva, sabia de cabeça todas aquelas relações.

   — Aqui. – o jovem mostrara os dados da tela.

   — Nossa, é muita coisa.

   — É bom você se acostumar com ela.

   — Tá. E o que faz um Pokémon ser de um determinado tipo? – ela questionara, e Wes simplesmente respondera, ao colocar o aparelho de lado:

   — Sei lá. – não era um pesquisador Pokémon, ora. — Faz parte da natureza dele. Um Pokémon do tipo fogo, por exemplo, aprende mais golpes do tipo fogo. E os golpes de fogo dele são mais fortes, já que coincidem com seu tipo.

   — Um bônus pelo ataque ser do mesmo tipo?

   — Isso. Se você levar em consideração os tipos do Pokémon, e usar um golpe que seja justamente a fraqueza do oponente, fica mais fácil vencer. Mas não são só os tipos que influenciam numa batalha. As habilidades do Pokémon também são importantes. Por exemplo, Gui tem a capacidade de absorver ataques de água, e Flynn, mesmo não sendo um Pokémon voador no sentido estrito, consegue ficar acima do chão.

   — Hm. E como isso seria importante?

   — Numa batalha em dupla, Gui pode usar o terremoto {Earthquake} sem atingir Flynn.

   — Nossa! Isso é muito bom! Então é por isso que você tem os dois como uma dupla pré-definida?

   — Sim. É importante que sua equipe tenha uma boa integração, uma… como eu poderia dizer…? Sinergia. – enfatizara. — Pokémon e treinador trabalhando juntos para alcançar a vitória.

   — Hmf. Do jeito que você coloca, até fica parecendo que batalhar é uma coisa boa. – ela ironizara.

   — Entendo o porquê de você ser tão reticente no assunto. Mas você tem que concordar que esta é uma das melhores formas de estabelecer um elo entre Pokémon e treinador.

   E de fato, a maioria dos Pokémon Sombrios que pegara fora purificada desse modo. Fora um trabalho árduo e paciente, primeiro deixando que eles se livrassem de toda aquela carga negativa, direcionando os ataques. A vitória lhes dava um pouco mais de crédito nele, e com treinamento constante, tomando um passo de cada vez, conseguiriam vencer usando seus próprios movimentos, não com força bruta e fúria cega.

   Fora custoso, sim, mas conseguira fazê-los voltar ao normal. Mas, entre tantos Pokémon Sombrios, alguns deles chamaram sua atenção, tivera uma conexão tão grande, uma integração tão sólida, que acabaram fazendo parte de sua equipe.

   Gui, Flynn, Tyra. Junto com Ester e Bree, junto dele e de Rui, eles conseguiram salvar Orre das garras da Cipher. Mas, agora era hora daquela parceria também se dissolver… Wes sabia que uma hora aquele momento iria chegar. Tudo que poderia fazer era aproveitar o tempo restante.

   — Como você não tem Pokémon, que tal irmos no Monte Batalha amanhã? Você pode alugar uma equipe, até porque, você não sabe que Pokémon vai pegar.

   — É. Isso é um mistério.

   Sem mais nada a comentar, os dois ficaram num silêncio estranho e levemente desconfortável por parte dela, mas natural para ele. No horizonte, o sol já começava sua descida, o céu se tingindo pouco a pouco de laranja. Bonito, mas ligeiramente melancólico, pois sinalizava o fim de mais um dia.

   — Você vai voltar amanhã, não vai?

   — Eu nunca me atrasei, não é?

   Ele contestara, e Rui sorrira, ele tinha razão naquele ponto. Não precisava ficar assim tão para baixo, pois…

   — Então, até amanhã.

   — Até.

   Ele dera as costas e se despedira, suas Eeveelutions em seus calcanhares, quase como se escoltassem Wes até seu destino. Não ia negar que se sentia um pouco insegura sem ele a sua volta. Mal sabia se defender, e já ouvira esse argumento como desculpa para não ter um Pokémon. Contudo, alguma coisa mudara nesse meio-tempo. Talvez fosse pelo que passara em Orre, talvez fosse por mero impedimento legal, mas, quando voltasse, iria ter um Pokémon. E não importava o quão desastrada fosse, iria cuidar bem dele.

   Iria aprender a lutar. Por si e por eles, iria aprender o máximo que pudesse.
 
   SAVING…
 
 

  • Imagens: xxxsak-hi.deviantart.com (com alterações: fundo), screenshot do jogo, pixiv.net/member.php?id=15565
  • Matérias relacionadas: Tipos de Pokémon
  • Agate Village = Vila Ágata, Mt Battle = Monte Batalha.

5 comentários:

  1. onde eu posso ler a parte 1 ?????

    ResponderExcluir
  2. Ótima fanfic , finalmente uma garota nesse site ! Já chegou apresentando uma história e fazendo matérias perfeitas como não gostar de você Nanabs .

    ResponderExcluir
  3. Muito bom , assim podemos nos entreter no site

    ResponderExcluir
  4. Maravilhosa , mas quais dias da semana você posta os capitulos por Samuka Anunciação :D

    ResponderExcluir
  5. Obrigada, gente ^^. Os capítulos serão normalmente postados aos domingos, e o link do primeiro capítulo é esse: http://www.poke-blast-news.net/2016/07/fanfic-capitulo-01-game-over.html

    Postarei um índice em breve.

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!