Trecho da batalha do livro Ash vs Red: Alakazam vs Staraptor!



             — Staraptor, demonstre seu poder! — Ash foi o primeiro a ordenar o aparecimento do seu Pokémon. O homem estava muito pálido; já não se parecia com o mesmo, embora suas expressões ainda conservassem confiança.

             Red admirava o espetáculo. Um Staraptor gigantesco achava-se com asas abertas. As penas do pássaro tinham se tornado escuras e durante o longo treinamento no subterrâneo. Seus olhos estavam rosa-leitoso, as duas patas traseiras tinham pesadas cordas amarradas que não o machucavam, apenas serviam de identificação. Nelas se lia à sangue: GHF. Suas grandes asas, espiculadas e abertas, teriam soterrado a arena de batalha inteira se ele as usasse. Quando virou a bela e majestosa cabeça de águia para Red, seu rugido fez o chão tremer, e a plateia se calou diante de sua magnificência.

             Red pegou a Pokébola dourada da cintura e a arremessou no chão, quebrando-a. O céu se escureceu para um tom lilás extremamente vivo, como um pôr do sol. O chão onde Staraptor cravava as patas liberou algumas cargas elétricas — qualquer um que não fosse esse pássaro em especifico teria sofrido bastante. Depois do espetáculo, um Alakazam assustador se materializou. Não era semelhante aos outros, ninguém encontraria algo assim em uma floresta. As duas colheres que segurava estavam enferrujadas, mas não era uma ferrugem qualquer. Era sebento, gelatinoso... Ao invés dele segurá-las, as colheres grudavam-se às mãos do Alakazam. Sua barba grande estava envelhecida e cobria sua barriga. Seu corpo era de um marrom escuro e cinzento. 

             — Você se lembra de Alakazam, não é? Ele se tornou parcialmente cego... — arquejou Red —, e por isso é ainda mais feroz. Eu tenho meios de controlá-lo. Ele sabe o que esperar quando ordeno um ataque. Esteja preparado para o pior.

             Ash esboçou um sorriso. Balançou a cabeça de um lado para o outro, como se afastasse um pensamento. Depois, travou os olhos no céu e ordenou o primeiro ataque.

             — Suba em alta velocidade. Depois espere meu comando!

             Com um rugido, Staraptor empinou-se nas patas traseiras e suas asas se abriram, derrubando, como pinos de boliche, as colunas de ferro que seguravam a lona de uma parte da arquibancada. Algumas das suas penas se soltaram quando o Pokémon voou para a abertura na passagem. Ash, lá de baixo, mantinha seus olhos estreitos para protegê-los do calor e da poeira, na expectativa de chegar o momento certo de ordenar o golpe.

             Red ouviu Ash berrar: 

             — Brave Bird! Desça rodopiando!

             Staraptor estreitou seus olhos e a cor intensa se vivificou. Ele incorporou um predador. Como uma águia faminta, ele mergulhou no ar e a enorme fera sentiu a liberdade do espaço à sua frente, enquanto, às costas, o poder do golpe se formava. Suas penas pareciam pegar fogo, enquanto os raios azuis o envolviam como um casulo. O ruído metálico produzido pelas asas de Starapator foi ficando mais abafado e, à frente, o poder expelido pelo Pokémon desimpediam o seu avanço... Então, quando ficou próximo o suficiente de Alakazam, Staraptor rodopiou. O que parecia um espetáculo fabuloso se tornou um redemoinho de potências inimagináveis, afastando a plateia aos gritos da barra de limite da arquibancada.

             — Use as colheres, pare-o! — rebateu Red com a voz calma, tranquila, como se esperasse o que aconteceria. 

             Calmo, Alakazam imediatamente levantou as colheres, formando um X. Staraptor girou três vezes e depois fixou-se em um único ponto, chocando-se com força naqueles dois objetos metálicos, que nem ao menos se afastaram. O impacto continuava crescendo à medida que o pássaro investia com eficácia. A plateia veio à loucura, gritando e exclamando: "Vai com tudo, Ash!". O chão tremia com a colisão, mas Alakazam continuava inabalável. Staraptor, então, encontrou espaço para abrir ainda mais as asas: virou a cabeça para o fresco ar exterior e partiu com ainda mais furor, desta vez investindo exatamente no ponto onde as colheres se encontravam. Red percebeu que Starapator abria caminho, deixando-as dobradas, e se encaminhou vacilante para mais próximo do impacto, sentindo seu corpo ser afastado para trás.

             — Use seu poder psíquico e flutue. Leve Staraptor para cima e prenda-o em uma bola de energia. Quando estiver alto o suficiente, atire-o em direção ao chão!

             Alazakam sorriu maliciosamente, prendendo o Brave Bird do Staraptor ao seu próprio corpo. O chão tremeu alguns centímetros, espalhando poeira e arrastando-as até a plateia. Um casulo de energia maciça os envolveu e agora os dois flutuavam até o céu à uma velocidade anormal, quase que incalculável. Ash fez uma careta remexendo os lábios e esperou até o momento certo de agir, permitindo que Alakazam e seu treinador ganhassem confiança. À certa altura, Alakazam impulsionou o corpo para baixo e arremessou Staraptor. O pássaro tentou se soltar das argolas de energia que o prendiam, mas não conseguia nem se quer mover as patas. Aproximava-se cada vez mais do chão e esperou pelo pior, até que Ash o interviu.

             — Levante a cabeça, Starapator, agora enrole suas asas no seu próprio corpo. Use Brave Bird para pegar impulso e poder. Quando chegar no chão, use Close Combat!

             Staraptor conseguiu atender a ordem de Ash poucos segundos antes de se chocar ao chão. Ele apontou suas garras para o solo e começou a acertá-lo com golpes consecutivos, envolvendo-o com uma poeira, enquanto seu treinador o enxergava como uma presença difusa, semelhante a um fantasma. O poder amorteceu a queda, mas danificou suas costas. Staraptor levantou com um olho fechado, sentindo a dor do impacto mais do que Ash esperava. 

             — Não deixe-o se recuperar, Alakazam! Desça com tudo e faça com que Staraptor engula poeira! — ordenou Red rapidamente, assim que percebeu o ânimo de Staraptor voltar.

             Sem pestanejar, Alakazam abocanhou o ar numa queda fulminante. Devorava cada centímetro da gravidade. Starapator estava paralisado, pois não conseguia encontrar meios de se livrar do impacto. O pássaro nem sequer resistiu. Mas Ash saltou do lugar de onde estava e aterrissou ao lado de Starapator. Com a mão erguida, ele apontou diretamente para cima: 

             — Quê...?! — exclamou Red, olhando para os lados. E então sussurrou: — É uma loucura!
Starapator olhou para o lado, seu coração batendo com violência.

* * *

O livro Ash vs Red será lançado em breve. Enquanto isso, curta a página oficial: clique aqui. 


2 comentários:

  1. nossa que foda quando o livro sair vcs vão desponibilizar para ler online aqui perto de casa não tem nenhuma banca e provavelmente vai demorar muito para chegar nas bancas aqui da cidade :(

    ResponderExcluir
  2. Parabéns, está incrível! Espero que o livro possa ser lançado logo e que tenha as ilustrações do Ricardo Lira que são muito legais. Mal posso esperar para ler!

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!