Chandelure e Lilligant, um amor que vai além do fim...


             As minhas chamas deveriam assustá-la, deveriam queimá-la, deveriam matá-la... "Não consigo ver nada que eu não goste em você", ela me disse, de olhos acesos, as mãos entrelaçadas uma na outra, envergonhada, as bochechas com o tom semelhante aos das flores que enfeitavam sua cabeça. Senti-la falar perto de mim me proporcionava uma dor física que eu não sentia desde que me tornei uma fantasma... mas meus olhos não podiam enxergá-la de outra maneira. Eles se direcionavam a ela, mesmo que minha sanidade lutasse contra isso. O que eu poderia fazer? É mais sensato assumir o impossível do que lutar contra ele.



            Eu deveria manter distância de tudo que eu pudesse destruir ao meu toque, mas com ela, incontrolavelmente, mesmo sabendo de todas as consequências, deixei que as coisas fluíssem... sem entender, me aproximei aos poucos, controlando minhas chamas, controlando todos os sentimentos que borbulhavam dentro de mim. Quando a distância dos nossos olhos era a mesma distância de um minuto a outro no círculo do relógio, respondi calmamente: "Mas você verá".

            Ao ouvir minha resposta, ela soltou as mãos e levantou sua cabeça. Passou alguns segundos me observando, em silêncio, soltando algumas pétalas do seu corpo, liberando um aroma inconfundível. Lilligant conseguia ser para mim o que os anos não foram: o fim. Vaguei por anos pela terra, me alimentando de almas, abastecendo minhas chamas, procurando sobreviver... mas sempre procurei um fim, mesmo que ele, possivelmente, não existisse para alguém como eu. Como alguém, por apenas existir, poderia representar isso? "Meu único erro em te amar foi deixar você saber", eu disse, sem querer, e isso a assustou.


            Pela primeira vez desde que nos encontramos, ela se aproximou de mim e eu me afastei dela. Essa aproximação continuou até que meu corpo se recusou a se distanciar. Ele estava me traindo, olhe mesmo... "Mas se não for pra ser, de qualquer forma, obrigado por ser uma das minhas lembranças mais bonitas" suas palavras me esbofetearam. O que ela achava que estava fazendo comigo? Não tinha piedade?

            "Chandelure, nem eu mesma sei como lidar com isso. Mas preciso que saiba que me lembro muito bem de tudo. Eu deixei cair o meu coração... e quando ele caiu, você se levantou para reivindicá-lo. Estava escuro e eu estava acabada. Até que você me esquentou e me salvou. Minhas pétalas eram fortes, mas meus joelhos eram muito fracos para estar perto das suas chamas sem cair aos seus pés..."

            Lilligante parou de falar e concluí que ela estivesse chegado ao fim. Mas, ao invés disso, ela tocou meu lustre. Alguma de suas rosas se queimaram, enquanto o fogo se propagava pelo resto do seu corpo... "Mas eu ateei fogo à chuva. Vi a chuva cair enquanto eu tocava seu rosto. Bem, o fogo queimava enquanto eu chorava. E depois se apagava quando a chuva reaparecia. Sei que nunca poderemos ficar juntos... Já não sei o que fazer com esses abandonos que se acumulam..."

            Sua mão saiu do meu lustre e seu corpo parou de pegar fogo.

            "E se tentássemos mais uma vez?", ela me disse e seus olhos brilharam...

----
Por favor, se puderem comentar para me dizer o que acharam e se querem que eu continue com esse tipo de post de "amor" sobre os Pokémon >.< Obrigado por terem lido até aqui :)

23 comentários:

  1. Ta show Hal, mas chega de depressão eu quero Ludicolo e Belossom!!! ;)

    ResponderExcluir
  2. Chandelure e Lilligant são de wggs groups diferentes, sinceramente achei ruim, aliás não curto seus posts Hall, você foge um pouco do padrão da PBN, e essa sua carência por atenção e as tentativas de ser engraçado só pioram, e se compararmos com as excelentes postagens de outros colaboradores como camaleão e charizard fica pior...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara, e por que tu ler? Meu banner fica lá em cima exatamente por causa disso, para identificar quem escreveu o post. Quando eu não gosto de algo, eu apenas ignoro, não me preocupo em expor isso. Fica como conselho ;) E o fato de eles serem de Egg Group diferente é o que traz encanto para a história. E nas próximas, quando ver meu banner, é só ignorar ;)

      Excluir
    2. Eu leio todas as postagens da PBN, afinal elas estão aqui publicamente para isso, para quem postou algo há uns meses atrás falando sobre aceitar críticas você tem feito o oposto e se você fizesse um bom trabalho não apagaria as suas próprias postagens, como você mesmo fez várias vezes, inclusive hoje mesmo quando apagou aquela cronica do Ampharos com a Mawile...

      Excluir
  3. Amei! Juro que amei!
    PS: Eu comentaria muito mais no site se vcs adotassem o Disqus pra comentários. Nele podemos nos expressar com gifs e muito mais e possui sistema de análise de comentários antes da publicação (para manter o controle dos comentários).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A gente tava pensando nisso, mas e o medo de dá errado? UHSSUHSUH E obrigado por dá sua opinião sobre a história s2

      Excluir
  4. Hall, você foi perfeito cara, o jeito como você descreveu a história foi magnifica, até me emocionei aqui cara😢😢

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. UAHSUH fico muito feliz que você tenha entendido a história deles. E obrigado por comentar, e espero te ver por aqui mais vezes :)

      Excluir
  5. Achei a história linda <3 apesar do fato deles serem de egg groups diferentes me incomoda, mas é o de menos. Proximo casal poderia ser com a gothitelle

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A mágica é exatamente essa. O fato de eles serem de Egg Group diferente o amor se torna proibido, entendeu? kk não teria graças se eles fossem do mesmo egg group :p

      Excluir
  6. tem o começo ou esse é o começo?

    ResponderExcluir
  7. Eu não curto novel mas eu li por ser curta e por que eu gosto dos traços do desenho (apesar que as novel tem pouca ilustração).
    E foi bom

    ResponderExcluir
  8. Continua sim.... Ta mt foda as histórias

    ResponderExcluir
  9. uma linda história, que merecia estar no "crônicas de bolso." mas uma coisa eu não entendi. como a lilligant poderia ser o fim para o chandelure? ela não era perfeita? e esse final? eu me sinto estúpida por não entender. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ela representava o fim para ele, pois Chandelure sabia que depois que Lilligant partisse, ele não iria mais ter um início, mas sua "vida" chegaria ao fim...

      Excluir
  10. Adorei <3
    Mesmo o eggroup sendo diferente não senti nada de errado na estória, espero que continue o projeto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por isso o amor proibido, tendeu? Eles são de EggGroup diferentes XD

      Excluir
  11. Faz um Typhlosion e uma Bayleef,porém ambos são de treinadores rivais que realmente se odeiam muito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, ótima ideia, vou anotar aqui. Valeu mesmo XD

      Excluir
  12. Tanto a sua história passada como essa foram muito boas, traz uma temática mais "adulta" a pokémon, o que é muito louvavável, e vc consegue muito bem aliar isso ao encanto que nos envolve ao anime/jogo/franquia. Continue com esse projeto, pois eel está muito bom e profundo. Admiro bastante o teu trabalho, assim como o dos demais integrantes do sítio. Parabéns

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pow, valeu mesmo. Te espero mais vezes por aqui, tá? Obrigado mesmo <3

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!