Ash vence a liga de Kalos! (Ash vs Red)


É isso mesmo que você leu. Ash venceu a liga de Kalos, mas ainda não se tornou um mestre. Ele será treinado por alguém que ele nunca pensou que veria na vida. Com a ajuda do Mega Charizard Y, Ash conseguiu, finalmente, vencer uma liga. E agora algo muito mais perigoso o aguarda. Assim como Red! Confira:




           A perspectiva do duelo de Kalos só foi o que sustentou Ash nos quinze dias seguintes, o único ponto luminoso em um horizonte que nunca lhe parecera mais escuro. O choque de se ver no papel de candidatados da liga agora já diminuíra um pouquinho, e o medo do que o aguardava estava começando a penetrar fundo em sua mente. A primeira batalha se aproximava; possivelmente iria duelar contra Tobias, o mesmo homem que o derrotou na última liga, o mesmo que teve a audácia de usar dois lendários: Darkrai e Latios; Ash tinha a sensação que ele estava de tocaia logo ali, como um monstro aterrorizante, barrando o seu avanço.

           Ash estava achando difícil pensar no futuro, sentia que a sua vida inteira o conduzirá à primeira batalha e nela terminaria... Assim sendo, não via como os seus amigos podiam fazê-lo se sentir melhor com relação à realização de uma tarefa de combate tão difícil, diante de centenas de pessoas, mas a simples visão de vários rostos amigos já seria de alguma coisa neste momento. Entrementes, a vida de Ash se tornou ainda pior dentro dos limites do campeonato da liga de Kalos quando ele conheceu o "Homem da máscara de palhaço". Ninguém sabia ao certo quem ele era, apenas o temiam pelo seu histórico de "nunca perder uma batalha".

           É uma coisa estranha, mas quando se está com medo de alguma coisa, e se daria tudo para retardar o tempo, ele tem o mau hábito de correr. Os dias que faltavam para a primeira batalha pareciam passar como se alguém tivesse ajustado os relógios para trabalharem em velocidade dobrada. A sensação de pânico mal controlado que Ash tinha acompanha-o para onde fosse. No sábado que antecedeu a primeira batalha, todos os candidatos tiveram permissão para sair do acampamento. Serena disse a Ash que lhe faria bem sair um pouco da adrenalina do ambiente de batalha e o garoto não precisou de muita persuasão.

           Como Clemont e Bonnie ainda não haviam voltado de Lumiose, Ash e Serena eram vistos juntos na maior parte do tempo. A garota tentava ao máximo ocupar o espaço vazio "dos outros amigos" de Ash. Gargalhava sempre que o garoto dizia algo engraçado, o acompanhava por todos os lugares do acampamento, o ajudava nos treinamentos, era uma verdadeira companheira. E Ash, aos poucos, começava a notar isso.




           Como esperado, chegara o grande dia da seleção. Todos os participantes deveriam se reunir em um grande salão preparado e esquematizado para comportar todos os participantes e seus familiares, por trás do Centro Pokémon. Ash, Serena, Clemont e Bonnie se reuniram no grande portão. Mas apenas Ash conseguiu entrar, os outros se acomondaram nas arquibancadas. Delia e o Professor Carvalho também compareceram a liga, mas não tiveram tempo de conversar com Ash, portanto esperaram até que a cerimônica acabasse.

           Depois que todos tinham entrado no salão e sentado às mesas, vieram os coordenadores do evento, que se dirigiam à mesa principal e se sentaram. Os últimos da fila foram Cynthia e Diantha, campeã da liga de Kalos. Quando Cynthia apareceu, alguns dos treinadores da região de Sinnoh se levantaram imediatamente. Cynthia não pareceu se constranger nem um pouco e não tornou a se sentar até que Diantha estivesse acomodada. Esta, porém, continuou em pé e o salão principal ficou silencioso.

           — Boa tarde, treinadores e, muito especialmente, familiares — disse Diantha sorrindo para o pessoal da arquibancada — Tenho o prazer de dar as boas-vindas a todos. A seleção será oficialmente aberta no fim das considerações dos outros coordenadores e convidados. Agora convido todos a prestarem atenção.

           Depois que o último coordenador falou, Diantha se levantou mais uma vez. Neste momento, uma agradável tensão pareceu invadir o salão. Ash sentiu um tremor de excitação só de imaginar o que viria a seguir. Algumas cadeiras de distância, Tobias se curvou para a frente, observando Diantha com grande concentração.

           — Chegou o momento — disse Diantha, sorrindo para o mar de rostos erguidos — A liga de Kalos vai começar. Tragam o sistema de escolha, por favor.

           Quatro homens foram necessários para colocar a máquina de sistema no centro da mesa principal. Diantha caminhou lentamente para o centro, juntamente com os coordenadores. Cynthia permaneceu sentada, observando tudo com um olhar de ansiedade. Diantha, experiente, puxou alavanca e os números na tela começaram a rodar e rodar. Eram muito participantes e a escolha demorou alguns minutos. Ash não parava quieto, se balançando de lado para o outro. Pikachu, em suas costas, acariciava suas bochechas em Ash, fazendo alguns dos seus cabelos levitarem por conta da eletricidade. Como resposta, Ash respirava fundo para o seu companheiro. Diantha sorriu quando os participantes, no telão, começaram a diminuir a velocidade.

           Em um piscar de olhos, Ash congelou quando se deparou com o telão. Tobias enfrentaria o "homem da máscara de palhaço" enquanto Ash enfrentaria, enquanto isso, seu rival Shota. Ash começou a olhar para todos os lados, tentando encontrar Shota, mas nada encontrou. Ele viu Tobias sorrir maliciosamente quando o mesmo saiu do grande salão. O espaço então começou a se esvaziar e Ash avistou sua mãe, juntamente com o professor Carvalho e seus outros amigos. Delia abraçou seu filho e sussurrou que tudo daria certo, enquanto o Professor Carvalho parabenizava o garoto por ele ter conseguido todas as insígnias. Comentou, também, que alguns dos seus Pokémon que ele deixou em Kanto estavam animados pela vitória dele.

           — Charizard deve está muito feliz com você, agora — comentou o professor Carvalho, cruzando os braços. Ele olhava atentamente para a pulseira que Ash tinha presa a sua mão — Acredito que farão um grande trabalho juntos. Sem falar que vocês contam com um poder diferente...




           Ash levantou-se na manhã de Domingo e se vestiu tão distraidamente que levou algum tempo para perceber que estava tentando calçar o chapéu no pé em vez da meia. Quando finalmente conseguiu pôr cada peça de roupa na parte certa do corpo, saiu correndo à procura de Serena, encontrando-a à mesa do Centro Pokémon, onde ela tomava café da manhã com Clemont, Bonnie, Delia e o Professor Carvalho. Sentindo-se demasiado enjoado para comer, Ash esperou até Serena terminar a última colherada de mingau de aveia, depois a arrastou para darem outro passeio.

           No jardim, contou-lhe sobre o medo de usar a nova forma do Greninja na batalha.

           — Será preciso usá-la se você quiser vencer a liga, Ash — comentou Serena, aflita — Não sabemos até que ponto esses riscos são fatais... Acredito fielmente, também, que Greninja não o colocará em risco, não importa o que aconteça. Mesmo que isso faça com que vocês percam a liga.

           — Eu sei disso — respondeu Ash sem olhar diretamente nos olhos da amiga — É o que me preocupa. Não quero forçá-lo a perder só por conta da minha segurança, entende?

           — Você tem o poder da mega evolução agora, não se esqueça. Charizard está mais animado do que o normal. Não sei se vai ser preciso usar a forma de Greninja. Contudo, se for, você se sairá muito bem — Serena sentiu suas bochechas corar e abaixou a cabeça, tímida, com as mãos cruzadas.

           Ash sorriu ao vê-la daquela maneira. Desde que o temor da liga de Kalos o deixou atormentado, a única pessoa que o ajudava a se sentir melhor era Serena. Ela abria mão de fazer coisas importantes apenas para não deixá-lo só. Aquilo representava um carinho que Ash desconhecia até então. O garoto se aproximou dela e a abraçou repentinamente, com força e sem colocar limites no que fazia. Serena abriu os olhos, tonta, desprevenida, e esperou alguns segundos para retribuir o abraço.

           — Obrigado, Serena, por me ajuda nesses últimos dias...

           — Não foi nada, Ash. Eu vou estar sempre aqui!





           Ash começou a caminhar lentamente pela grande plataforma. Havia se despedido dos seus amigos e agora caminhava para a sua primeira batalha. Ele não vira Shota desde que entrou na liga de Kalos, o que ele estava tramando? Enquanto caminhava vagamente, Ash teve a impressão que suas pernas pareciam que eram feitas de marshmallow. Ele aguardou. Então ouviu o apito tocar. Cruzou, então, a entrada do túnel, o pânico se avolumando dentro dele. E, agora, estava passando pelas árvores e atravessando uma abertura na cerca.

           O garoto via tudo diante de si como em um sonho berrantemente colorido. Havia centenas e mais centenas de rostos nas arquibancadas que o olhavam, que tinham se materializado desde a última vez que ele estivera naquele lugar. E havia Shota, do outro lado do campo de batalha. A multidão fazia uma barulheira infernal, mas se era simpática ou não a ele, Ash não sabia e nem se importava. Era hora de fazer o que tinha que fazer... focalizar a mente, intiera e absoluta, na coisa que era a sua única chance.

           — As regras foram mudadas para esse início de partida — começou a árbitro, se colocando no meio dos dois e levantando uma bandeira multicolorida — Os dois só podem usar apenas três Pokémon cada um. A partida será ganha quando o outro estiver impossibilitado de se defender usando Pokémon. Sejam justos. Comecem!

           Serena gritou lá da arquibancada com um "Pega ele, Ash", Bonnie dançava com Dedenne, Pancham e Braixen, enquanto Clemont conversava com o professor Carvalho sobre as chances da vitória de Ash.

           — Quem diria que nos enfrentaríamos logo na primeira batalha, Ash — disse Shota aos gritos, se certificando que Ash estaria ouvindo tudo que ele falava — Saiba que estou preparando para qualquer coisa que você tenha planejado para mim, hoje. Quero vê-lo tentar vencer.

           — Digo o mesmo! Talonflame, eu escolho você!

           — Sempre muito previsível, não é mesmo? Salamence, me represente aqui! 

           Talonflame abriu suas asas de fogo no ângulo máximo. Um pequeno redemoinho de vento, quase que imperceptível, o envolveu, deixando com que algumas penas do seu corpo se soltassem. À medida que caiam no chão, chamuscavam o pequeno gramado do campo. Talonflame compartilhava de uma confiança que não partia de Ash, mas do desejo de ser o melhor daquele combate. Já Salamence, quando espalhou o vento do ar, olhou fixamente para Talonflame com um olhar penetrante e assustador. Nesse momento Talonflame recuou e fechou os olhos brevemente, sentindo algo diferente drenar suas energias.

           — Muito esperteza da parte do Shota usar a habilidade do Salamence para diminuir o ataque do Talonflame do Ash. Eu já esperava que isso fosse acontecer — comentou Clemont com o professor Carvalho.

           — Isso vai prejudicar muito o Talonflame, Clemont? — perguntou Delia, preocupada. 

           — Possivelmente!

           — Não precisa se assustar, Talonflame — disse Ash, trazendo à tona uma confiança que era sua identidade. Pikachu também grunhiu alguma coisa para Talonflame, que o olhou esperançoso — Eu confio em você. Temos algo a nosso favor, por mais que Salamence seja um Pokémon muito poderoso, ainda somos mais rápidos que ele. Mas precisamos entender que ele está um passo a frente por ser resistente a um dos seus tipos. Mas isso é o de menos. Vamos mostrar do que somos capazes. Talonflame, Brave Bird!

           Talonflame seguiu voando para o alto em alta velocidade. Uma vez lá em cima, o ar que antes envolvera Salamence em um cubículo, agora penetrava em cada parte do corpo do pássaro. Ele recarregava toda a sua energia enquanto fixava seu bico a apenas um foco. Salamence, entretanto, não parecia ter medo. 

           — Salamence, prepare sua energia e segure, até que eu ordene que você a libere.

           Salamence começou a focalizar seu Dragon Pulse, prendendo-o dentro da boca, enquanto a fumaça da energia era liberada, visível a todos da arquibancada. Talonflame se aproximava em alta velocidade, ainda com o corpo fixo e direto a Salamence. Serena ficou tonta, com medo, enquanto Clemont e professor Carvalho observava a boca de Salamence queimar. Delia e Bonnie, abraçadas, temiam pelo que poderia acontecer. Talonflame avançava cada vez mais e quando ficou a centímetros de Salamence, o Pokémon Dragão abriu a boca. De dentro dela surgiu uma energia maciça em forma de dragão, que abocanhou Talonflame e o ergueu para cima. O Pokémon pássaro foi pego um redemoinho azulado, que o balançava de um lado para o outro. Quando, depois de alguns segundo dessa forma, o arremessou para longe, fazendo com que Talonflame sofresse não somente o impacto do próprio Brave Bird, mas a energia de um Dragon Pulse direto.

           Talonflame sentiu uma dor dominá-lo de dentro para fora. Suas penas se espalharam ainda mais depois que o pássaro rodopiou no céu, o dragão alado feito de fibras de um poder encorpado o dominando, penetrando cada parte do seu corpo. Contudo, junto com a dor, existia o poder. E ele conseguir ser superior.

           — É disso que estou falando — disse Ash aos sussurros, percebendo a iniciativa de Talonflame — Use essa energia ao seu favor. Dê a volta, rodopie novamente, concentre o Dragon Pulse e use Flare Blitz!

           Talonflame fechou suas asas como se abraçasse alguma coisa. De dentro dela uma explosão de fogo colocou fim no Dragon Pulse de Salamence, deixando não somente Shota de boca aberta, mas toda a plateia que estourava em aplausos e gritos. Serena, ansiosa, mal conseguia se manter de pé. Talonflame, outra vez, abriu suas asas e o fogo se quebrou em duas partes. Elas ficaram soltas alguns momentos ao redor do pássaro. Seus olhos queimavam, dentro deles era possível, se você fosse audacioso o suficiente para se aproximar, ver o inferno arder. Com ajuda do impulso do ar, Talonflame saiu em disparada em forma de flecha.

           — Salamence é resiste ao tipo fogo, Ash. É inútil! — respondeu Shota, alarmado, quando viu Talonflame não recuar.

           E, quando o pássaro atingiu em cheio o dragão, ele nem ao menos piscou, mas sentiu uma pequena pontada de energia. Mas aquilo não o abalava e Ash sabia disso. Mas não era essa a estratégia...

           — Ash é muito esperto mesmo — comentou o professor Carvalho cruzando o braço — Ele vai queimar Salamence e diminuir seu ataque. Mas isso tem consequências...

           — Talonflame vai ficar muito ferido depois desses golpes consecutivos — completou Clemont.

           E como dito, Talonflame começou a bombardear Salamence com Flare Blitz diretamente no peito. Por mais que Salamence fosse resiste ao fogo, isso não o fazia imune de sentir de perto o poder daqueles impactos. E isso começou a enfraquecê-lo, de tão ponto que suas asas mal conseguiam sustentá-lo no ar.

           — Precisamos revidar, Salamence, use Dragon Pulse novamente!

           — Acredito que seja tarde demais, Shota. Acabe com isso, Talonflame, Flare Blitz com força total!

           E antes que Salamence pensasse em finalizar seu golpe, Talonflame o acertou com outro Flare Blitz. Desta vez, queimando-o. Salamence fora dominado pelas chamas e recuou alguns passos, chocando-se contra a parede da arquibancada. Algumas das pessoas se afastaram com medo, enquanto outras o incentivavam. Mas havia algo de diferente, o fogo, que deveria queimar por mais tempo e ficar permanente, agora diminuia. Até que, ao abrir suas asas para voar, Salamence se livrou dele, ficando imune.

           Shota, então, começou a rir. Ele olhou diretamente para Ash e não disse nada sobre o ocorrido.

           — E agora que seu Pokémon está fraco, só me resta retribuir o favor. Salamence, Giga Impact!

           Enquanto Talonflma tentava se equilibrar e se recuperar dos diversos danos causados pelo Flare Blitz, ele não viu quando Salamence o acertou com um Giga Impact poderoso nas costas. O pássaro gemeu e deslizou, chocando-se contra uma barra de ferro e caindo, como uma folha de papel, no chão sólido da arena. Ash, ao vê-lo cair, saiu em disparada para ajudar o amigo. Ajoelhou-se no chão e, com lágrimas nos olhos, pediu perdão por ter sido tão irresponsável com o companheiro. Talonflame não respondeu ao gesto, pois estava desmaiado. Ash o colocou dentro da pokébola e retornou para o lugar de origem.

           — Quer que eu explique o que aconteceu? — perguntou Shota com um tom sarcástico.

           Ash não o respondeu.

           — Muito fácil, Salamence estava usando uma Lum Berry debaixo da língua. Assim que as chamas o dominassem, a berry o curou. Isso se chama estratégia, Ash, coisa que você não tem, pelo que vejo.

           — Pikachu, Electro Ball!

           Pikachu saltou do ombro de Ash, como próximo Pokémon escolhido, e sobrecarregou sua calda até formar uma esfera de energia espessa. Ele usou o solo para pegar impulso e a arremessou em direção ao chão, e não a Salamence, em especifico. O chão foi eletrocutado pela energia elétrica e ficou coberto por faíscas. Pikachu, quando retornou ao chão, carregou suas energias com o poder da própria Electro Ball, que agora penetrava o chão sob todos os ângulos e limites possíveis.

           — O que você está falando mesmo, Shota? — comentou Ash com um sorriso no rosto — Pikachu, use Iron Tail e derrube Salamence!

           Pikachu preparou sua calda para o ataque, dobrando-a de tamanho.

           — E você acha que eu vou ficar parado? Salamence, Giga Impact!

           Com a calda coberta com um ferro resistente, Pikachu saiu em disparada. Salamence, da mesma forma, reuniu todo o poder necessário para um ataque tão poderoso daqueles. Ainda estava bastante ferido por conta dos golpes de Talonflame, e demorou algum tempo até que ele pegasse impulso e saísse em alta velocidade ao encontro de Pikachu, que permanecia firme no que iria fazer. Quando eles estavam a centímetros de distância, antes mesmo do impacto dos dois golpes, Ash agiu primeiro. 

           — Gire o corpo Pikachu, bata a calda no chão, carrega-se de eletricidade e salte!

           Pikachu rodopiou o corpo e caiu no chão. A eletricidade o fez recarregar as energias e aumentá-las. Usando isso ao seu favor, Pikachu saltou por cima de Salamence, e, uma vez no céu, usou sua calda, acertando Salamence em cheio mesmo na cabeça. O dragão se desequilibrou e caiu no chão. Imediatamente os raios começaram a arremessar discargas de energias violentas e fortes.

           — Finalize, Pikachu, suba em cima do corpo dele e use Thunderbolt!

           Pikachu se prende nas asas de Salamence e o atacou com um choque elétrico tão poderoso que fez o chão rachar em várias partes. A poeira dominou o campo de batalha por alguns segundos. Quando ela saiu, Shota viu Salamence desmaiado, virado de cabeça para baixo, no chão coberto de eletricidade.

           — Salamence, volte! Fez um ótimo trabalho, obrigado... — Salamence retornou a sua pokébola, seguro — Ótima estratégia, Ash, usar o campo ao seu favor. Preciso anotar isso, urgente — Shota pegou seu tradicional caderno de anotações e escreveu alguns tópicos neles. Sorrindo, ele o guardou e retirou a segunda Pokébola — Slurpuff, use Electro Ball no solo!

           Slurpuff, mal saiu da pokébola, e já criou uma esfera de energia, não tão poderosa quanto a de Pikachu, mas tão resistente e imponente quanto. O Pokémon fada saltou e arremessou a energia, dobrando a capacidade do solo, tornando-o ainda mais estático. Slurpuff voltou ao solo e sentiu o impacto da eletricidade, mas continuou firme, olhando para Pikachu e esperando a ordem do seu treinador.

           — Se o que eu estou pensando for verdade — disse Serena — Clemont, professor Carvalho...

           — Sim, é exatamente isso que Shota vai fazer! — respondeu Clemont!

           Shota, aos risos, apontou para Pikachu.

           — Use Play Rough!

           — Pikachu, revise, Quick Attack!

           Os dois Pokémon partiram em direção um ao outro. Chocaram-se, sentiram o recoil, e depois recuaram. Pikachu se recarregando ainda mais por conta do campo de energia e Slurpuff sofrendo descargas.

           — Vamos aproveitar que Slurpuff está fraco, Pikachu. Finalize, use Thunderbolt!

           Slurpuff não conseguiu desviar o ataque, pois Pikachu se aproximou dele com muita velocidade. O Pokémon elétrico o olhou nos olhos e o agarrou, como se tivesse o abraçando, depois utilizou toda a sua energia para lhe atacar com um golpe elétrico poderoso e enlevado. Slurpuff sentiu profundamente aquele poder e caiu, desmaiado, enquanto sorria para Shota.

           — Muito obrigado, Slurpuff! Agora, Ash, você vai ter que ser muito bom para me parar. Slurpuff, retorne! E agora, veja, Ash, o que pretendo fazer. Sceptile, saia!

           Sceptile saiu de sua pokébola, mas não tocou o chão, ao invés disso ele se agarrou a uma das barras de ferro que sustentava a arquibancada. A platéia gritou, elogiando-o, e isso o incentivou. Serena segurou a mão de Delia, enquanto Pancham, Dedenne e Braixen continuavam tentando animar Ash.

           — Sceptile, o que acha de aumentar seu poder? — Shota retirou do bolso uma coisa brilhante, semelhante a uma insígnia. Mas era redonda, em forma de pedra. Dentro dela existia um símbolo envolvente... Era o símbolo da mega evolução — Sceptile, Mega Shinka! 

A PARTIR DAQUI, POR FAVOR, LEIA OUVINDO ESSA MÚSICA: (CLIQUE AQUI). O QUE VOCÊ VAI SENTIR SERÁ MUITO MAIS SUPERIOR!

           E o poder era superior a qualquer sensação de medo. Os sentimentos de Shota expliodiram e envolveram Sceptile, que sentiu dores fortes, mas o machucavam, apenas o proporcionava sensações diferentes. Era poder... Mega Sceptile finalizou sua transformação ainda no ar. Quando seus pés tocaram o chão, toda a descarga elétrica do solo foi absorvido pelo seu rabo. E ele se acendeu... Parecia uma árvore de natal, um lustre, não era capaz de ser descrito. A platéia explodiu, aplausos, gritos, faixas levantadas. Era um espetáculo luminoso. Mas não era só a aparência que mudou, por absorver a eletricidade do chão, Mega Sceptile aumentou seu ataque drasticamente, tornando-o poderoso e quase indestrutível.

           — O que aconteceu com o Sceptile do Shota, professor Carvalho? — perguntou Delia, preocupada.

           — A habilidade do Mega Sceptile foi ativada. Ela se chama Lightning Rod! Ela é capaz de aumentar o ataque especial de qualquer Pokémon que a possua e receba uma carga elétrica. E agora que Sceptile absorveu toda a eletricidade do campo, receio que esteja extremamente poderoso!

           — E eu não vou deixar que se recupere, Ash. Mega Sceptile, use Leaf Storm!

           Mega Sceptile abriu os braços e ficou em posição de ataque. E as coisas aconteceram rápido. Não foi preciso reunir muitas folhas, pois o impulso usado pelo poder aumentado de Sceptile, foi o suficiente para tornar as poucas folhas em armas de batalha impenetráveis. As folhas atingiram Pikachu em cheio, o sustentaram no ar e, lá em cima, o envolveram. Elas pareciam facas afiadas, atravessando o corpo de Pikachu e o machucando. O Pokémon elétrico não chegou a cair no chão, pois Ash o pegou.

           — Está tudo bem com você, Pikachu? Está tudo bem mesmo?

           Pikachu não estava insconsiente e respondeu a resposta de Ash acariciando suas bochechas no braço do garoto, que sorriu, satisfeito. Levou Pikachu para onde estava e lá ele recebeu atendimento da enfermeira Joy. Quando Ash se certificou que Pikachu iria ficar bem, ele voltou para seu posto. Segurava nas mãos sua única esperança de vencer aquela batalha. Não era a primeira vez que passava por aquele tipo de prova. Sempre enfrentava obstáculos e sempre os venceu. Agora não seria diferente.

           — Eu trouxe um velho amigo para me ajudar hoje — comentou Ash, caminhando de um lado para o outro — E eu aposto como você não vai gostar de conhecê-lo! Diga-me, Shota, seu Mega Sceptile é imune a fogo? Charizard, eu escolho você!

           Charizard aterrissou no solo e abriu suas asas, liberando ondas de ar em direção a Mega Sceptile, que o olhava com desdém. Charizard, então, começou a soltar uma fumaça, que logo deixou a atmosfera quente.

           — Charizard, Mega Shinka!

           Charizard foi tomado por uma energia pura, imaculada, que saía de dentro do seu coração e ultrapassava o corpo de Ash, sem feri-lo, mas o proporcionando danos físicos. O garoto levou a cabeça, vários sentimentos juntos, e permitiu que tudo dentro de si saísse. Que se tornasse único com seu Pokémon, que nada os dividisse, que fossem pares e não ímpas. Lá do alto, as nuvens sumiram. No lugar delas, um sol extremamente forte se acendeu como uma lâmpada. Mega Charizard Y alçou voo e se colocou entre o campo de batalha e o sol fulminante. Bateu assas pra trás e arreganhou a boca para liberar um golpe de fogo com temperaturas absurdas. A vibração de energia se aproximava de Mega Sceptile quando ele ouviu Shota falar...

           — Proteja-se, Leaf Blade!

           Mega Sceptile abriu seus braços e criou láminas no lugar das folhas. Quando a explosão de fogo estava a poucos centímetros, ele a pegou com mãos, usou as lâminas e a cortou ao meio. Contudo, por conta do calor, ele sentiu suas folhas chamuscar um pouco, proporcionando-o danos, não graves, mas significativos.

           — Revide, Mega Sceptile, Outrage!

           Mega Sceptile se concentrou. Uma violência, então, começou a dominá-lo. De repente ele ficou irritado, com vontade de quebrar as coisas, mas foi possível concentrar aquilo a um único alvo. Depois de feito isso, ele saiu com uma velocidade absurda para atacar Mega Charizard Y no céu.

           — Charizard, deixe-o se aproximar. Diga-me, Shota, o que acontece com um Pokémon depois que ele usa Outrage? Ele fica confuso, muito confuso. Portanto, Charizard, segure Mega Scpetile!

           Mega Charizard Y desviou do ataque de Mega Sceptile e o pegou por trás.

           — Perfeito, use Seismic Toss!

           Charizard pegou velocidade e voou com Sceptile preso aos seus braços. Deu três voltas no céu, formando o desenho de um globo, depois cortou o céu mergulhando diretamente ao chão, onde deixou Mega Sceptile. O Pokémon de grama sentiu o solo esmagar seu peito e suas folhas, deixando-o quase sem ar.

           — Blast Burn!

           O sol brilhou como nunca antes e proporcionou a Mega Charizard um poder de fogo surreal. O Pokémon pegou sua mão direita e a pressionou sobre o peito de Sceptile. Com um sorriso, ele bombardeou todo o campo de batalha com uma explosão de fogo que foi capaz de queimar vários cartazes. O solo tremeu, Shota precisou se afastar para não se queimar, e Mega Charizard continuava bombardeando o chão. Até que tudo acabou e a única figura que era vista, desmaiado, era Sceptile.

           — E a vitória vai para Ash Kectum, da cidade de Pallet! — concluiu o árbitro.





           Depois que Shota se despediu de Ash, Serena, Delia, Clemont e Professor Carvalho vieram parabenizá-lo. Serena abraçou o garoto repentinamente, com bastante entusiasmo, e parecia estar chorando.

           — Ah, meu Deus, eu fiquei tão preocupada!

           — Nossos treinos deram bastante certo, obrigado, Serena — disse Ash retribuindo o abraço. Era a primeira vez que se sentia daquela forma. Era como se ela, de alguma forma, com aquele gesto, pudesse lhe passar confiança. Ele queria que aquele abraço tivesse durado muito mais do que durou.
           — Ash, Ash — era Clemont — Tobias está batalhando contra o homem desconhecido. Vamos ver!

           Quando eles chegaram na arena de batalha do espaço ao lado, viram algo inédito. O Darkrai de Tobias estava sendo segurado pelo pescoço. E quem o segurava era um Mega Blaziken! O homem da máscara de palhaço observava aquela cena sem mover um músculo se quer do corpo, enquanto Tobias, com expressões desesperadas, tentava ordenar que Darkrai se livrasse daquilo, mas era inútil. Mega Blaziken, então, largou Darkrai e o jogou para o alto. Sua pata se incendiou e ele acertou Darkrai com um Blazk Kick, arremessando-o em direção a coluna da arquibancada e vencendo o combate.

           Ash não conseguia acreditar no que via. Depois que derrotou Shota, ele esperava duelar contra Tobias, queria uma revanche. Como aquele homem fora capaz de derrotá-lo com tanta facilidade. Quem era aquele cara? O árbitro nomeou Tobias vencedor e o telão começou a sortear os próximos combates.





           Ash passou por muito sufoco para conseguir derrotar seus adversários seguintes. Charizard lhe foi muito útil, e ele o mega evoluiu raras vezes. Talonflame e Greninja o ajudou demais. Greninja principalmente. Vencia dois Pokémon de uma vez, sem ao menos se transformar. Noivern também foi de grande ajuda, era capaz de vencer os inimigos que vinham do céu ou usavam barreiras para se proteger. Hawlucha era melhor no solo, mesmo que também fosse capaz de proteger Ash no céu. Vencia com facilidade, usando seus golpes lutadores em pontos específicos e estratégicos. Foi então que Ash chegou na semi-final... Ele esperava enfrentar o homem da máscara de palhaço, mas isso não aconteceu. Quando ele venceu seu penúltimo inimigo, o telão mostrou o último combate: Ash Vs. o homem desconhecido. O homem que possuía um Mega Blaziken que foi capaz de derrotar, sem esforço, o Darkrai de Tobias.

           Ele estava realmente preparado para enfrentá-lo?

           Depois que recebeu a péssima notícia de quem seria seu rival na final, os episódios já familiares de pânico estavam começando a perturbar Ash e, mais uma vez, ele sentia dificuldade de se concentrar no que os amigos diziam e explicavam. O lago por trás do Centro Pokémon, que Ash sempre encarara como mais um elemento na paisagem dos jardins, atraía seu olhar sempre que ele se aproximava da janela, uma grande massa cinza-grafite de água friísima, cujas profundezas sombrias e enregelantes começavam a parecer distante como a lua.

           Do mesmo jeito que acontecera antes, quando ele achava que precisara enfrentar Tobias, o tempo estava correndo como se alguém tivesse enfeitiçado os relógios para andarem em alta velocidade. Faltava somente duas horas para a grande batalha que lhe renderia mais do que um troféu. Como consequência, Ash começou a perder o apetite. Serena o estimulava a comer, assim como sua mãe, mas nada adiantava. Sobrando apenas 30 minutos para o tão aguardado fim, Ash recebeu um comunicado de última hora.

           O bilhete dizia: Por conta de uma ação judicial movida pelo treinador desafiante, foi decidido que na final da liga de Kalos será possível usar apenas 3 Pokémon.

           Ash virou e revirou o comunicado, e olhou o verso na esperança de ver mais alguma coisa, mas estava em branco. Por que o homem mascarada teria ido tão longe ao ponto de mover uma ação para diminuir o número de Pokémon usados na final? O que aquilo poderia representar? Ash, por sorte, não havia escolhido a dedo seus Pokémon e logo lhe veio a cabeça de qual dos 6 Pokémon que possuía iria usar na final. Portanto, ele depositou as três Pokébolas no computador central e partiu em direção a sua última batalha.

           Ash dobrou o corpo, as mãos nos joelhos, procurando respirar, assim que ultrapassou o túnel; sentia uma pontado do lado do corpo que lha dava a sensação de ter uma faca enfiada nas costelas, mas não havia tempo para se livrar dela. Para a sua surpresa, Serena o encontrou, de repente, abraçando-o sem piscar.

           — Tudo bem, Ash? — sussurrou Serena, se espremendo ainda mais contra o corpo do garoto — Sabe o que é que tem de fazer?

           — Sei — ofegou o garoto, massageando as costas da amiga. 

           Serena se afastou, corada, depois Ash lhe acariciou a bochecha.

           — Obrigado, é muito importante para mim.

           Serena sorriu e, a mando do árbitro, voltou para a arquibancada onde Delia e os demais a esperavam. O homem da máscara de palhaço já estava em seu posto. Os braços cruzados, a cabeça erguida, orgulhosa. Parecia que ele havia se preparado para aquela batalha fazia tempos e mais tempos. A insegurança não existia, muito menos o medo. A vontade era superior a todos eles, ou pelo menos era isso que ele transparecia.

           — Bem, os nossos campeões estão prontos para a batalha final, que começará quando eu apitar. Eles podem, segundo uma ação judicial, usar somente três Pokémon — uma avalanche de comentários vindo da platéia tomou o espaço sonoro do ambiente. E só se aquietaram quando os guardas pediram silêncio — Então, quando eu contar três. Um... dois... três!

           O apitou produziu um som agudo no ar frio e parado; as arquibancadas explodiram em vivas e palmas; sem se virar para ver o que o homem da máscara de palhaço estava fazendo, Ash virou o boné para trás e pediu para que Pikachu assumisse seu lugar. O telão marcou a imagem de Pikachu abaixo da de Ash. Agora, o garoto apenas esperou pela decisão do seu adversário.

           — Eu quero ver você me entregar o seu melhor, Ash Ketchum — disse o homem, alto, falando pela primeira vez. Isso chamou não somente a atenção de Ash, mas de toda a platéia — Eu não sou piedoso com ninguém, está me ouvindo, garoto? Não me subestime, assim como também não iria fazer. Por favor, Alakazam, me ajude nessa, mais uma vez.

           Alakazam espalhou toda a névoa que se formara no campo de batalha. Sua presença impactou Pikachu. Ele sentiu frio, medo, tristeza, anseios... Recuou alguns passos e olhou para trás, onde Ash o encarava. 

           — Eu também senti. Mas não podemos retroceder. Eu confio em você!

           Pikachu mudou completamente suas expressões depois de ouvir aquilo. E se virou, novamente, com as bochechas chamuscando de eletricidade. Ele fixava seu olhar diretamente nos olhos de Alakazam.

           — Precisamos aumentar o nosso poder também. Levante a cabeça, olhe para o céu, Pikachu — Ash levantou a cabeça e Pikachu o imitou. O céu estava escuro, o sol mal conseguia iluminar direito a arena de batalha. Era visível que iria chover, daqui a alguns minutos. Mas não era isso que Ash estava vendo... Raios, muitos raios tomavam a atmosfera — Precisamos dele para aumentar seu poder. Use Thunderbolt naquelas nuvens, em seguida use Iron Tail!

           Pikachu concentrou toda a energia do seu corpo e a mirou em direção as nuvens. Elas se itensificaram e produziram raios que disparavam para todos os lugares. E antes que eles pudessem machucar a platéia, Pikachu usou Iron Tail e os raios foram sugados... Uma descarga violenta de energia disparou por cima de Pikachu, tomando-o por completo. Suas bochechas passaram de vermelho leve para uma cor semelhante ao sangue. Seu corpo brilhou como o sol, e o poder ultrapassou a barreira...

           — Força total, Electroball!

           Pikachu se acendeu. Ele era seu próprio ponto luminoso. E nada lhe pararia. Ele saltou, a fúria do poder dominando-o. Logo de sua cauda surgiu uma energia espessa em forma de ésfera. Era mais poderosa do que qualquer coisa que ele estivesse feito ou pensando em criar. Alakazam não demonstrava medo algum, muito menos seu treinador, que mal se moveu do lugar. Pikachu, então, confiante, se arremessou a ésfera. Ela saiu destruindo todas as rochas do campo de batalha, deixando o caminho percorrido com uma leve onda de eletricidade. Quando a Electro Ball estava a pouquíssimos centímetros de Alakazam, ela se desfez. Em seguida, Alakazam girou suas duas colheres e esperou...

           — Disable!

           Pikachu sentiu algo sumir de sua cabeça. De repente, ele não sabia mais como usar seu último golpe.

           — Agora retribua o favor. Psychic, vamos destruir Pikachu de dentro para fora!

           Silêncio... pikachu olhou para todos os lados. O que acontecera? Seu grito parecia ter vindo de algum lugar à frente. O Pokémon inspirou profundamente e tentou se movimentar, mas não conseguiu. O mundo virou de cabeça para baixo. Pikachu ficou penduro no chão, as orelhas em pé... Estava aterrorizado. Tinha a sensação de que seus pés estavam grudados nas nuvens, que agora se transformara em teto. Abaixo, o céu cheio de nuvens se estendia infinitamente. Pikachu sentiu que se tentasse mexer um pé, despencaria da terra de vez. "Não precisa ter medo" disse uma voz em sua cabeça, enquanto todo o seu sangue fluía à cabeça, "Concentre-se". Mas não sabia o que fazer. Ousaria se mexer? Ele ouviu o sangue latejar com força em seus ouvidos. Tinha duas opções — tentar se mexer ou disparar faíscas e tentar se soltar de vez. Pikachu fechou os olhos para evitar contemplar o espaço infitivo debaixo dele e usou uma descarga elétrica com toda a força que pôde. Imediatamente, o mundo se endireitou. Mas ele permaneceu suspenso... Logo, vieram as mesmas sensações que sentiu quando Alakazam pousou no solo. "Pikachu, ouça minha voz. Sou eu, Ash. Alakazam quer que você se separe de mim, que nossas mentes se desfundam. Mas não podemos deixar que isso aconteça. Agora, livre-se. Vamos, meu amigo, eu acredito em você! PIKACHU!"

           Pikachu se soltou com um raio elétrico. Pousou no solo, firme, depois rugiu como nunca fizera antes para Alakazam. O homem se assustou, pela primeira vez mudou de posição. O que acontecera?

           — Isso mesmo! Iron Tail!

           Pikachu pegou impulso no chão e, como um torpedo, em poucos segundos já estava de frente a Alakazam. Com uma calda com o dobro do seu tamanho, ele a usou para arremessar Alakazam no chão. O Pokémon tentou contra-atacar, mas Pikachu foi mais rápido que ele, assim como Ash, que ordenou o próximo ataque.

           — Finalize com Thunderbolt!

           Pikachu segurou as duas colheres de Alakazam, sorriu, e retirou até a última gota da eletricidade absorvida do céu para liberar um raio azulado tão poderoso que o homem mascarado foi arremessado para longe por conta do impacto. Assim como Pikachu, que se machucou ao ser atirado e espremido na arquibancada. Ash, ao ver o que acontecera, correu para socorrer seu amigo, enquanto o homem mascarado colocava Alakazam seguro dentro da sua Pokébola. Pikachu estava bem, havia vencido aquela batalha. Um a menos.

           — Preciso que descanse agora, tudo bem, Pikachu? Greninja pode substitui-lo! 

           Pikachu fez que sim com a cabeça e foi carregado por Ash até o seu lugar de origem. Colocou-o, devagar e carinhosamente ao seu lado, em seguida libertou Greninja de sua pokébola. Ash, antes de ordenar o ataque, pensou consigo mesmo: por que ele não usou seu Mega Blaziken logo no início da partida, assim como fizera com Tobias e todos os outros? O que o impedira? Queria descobrir, mas temia que fosse tarde demais.

           — Você está se saindo melhor do que eu esperava. Estou orgulhoso! — disse o homem mascarado com um tom emocionado na voz — Mas não vou pegar leve nas próximas. Suicune, eu escolho você!

           Quando o Pokémon lendário apareceu, toda a platéia se calou. Ash tremeu de medo, recuando vários passos. Serena parou de dançar com Braixen. Clemont retirou os óculos, o professor Carvalho se engasgou.

           — Agora as coisas serão bem diferentes. Suicune, Hyper Beam!

           — Greninja, use Ice Beam no solo. Congelo-o por completo, depois esquive do ataque patinando.

           Greninja formou uma aurora da sua mão e a atirou em direção ao chão. Ele logo se congelou, instantaneamente, como se não fosse nada. Com isso, Greninja se colocou em cima dele e saiu deslizando com muita facilidade e com uma velocidade absurda. Enquanto Suicune finalizava o golpe, ele caminhava em direção a grande pista de patinação. Com movimentos leves de um dançarino profissional, Suicune colocou as duas patas sobre o piso de gelo, transformando-o imeditamente em água. Greninja, portanto, escorregou e tropeçou.

           — Você esqueceu da habilidade do Suicune, Ash? Suicune, Hyper Beam!

           Suicune pulou, se aproximou de onde Greninja estava caído, e atirou um golpe monstruoso, fazendo com que Greninja afundasse junto com o chão. Ash gritou, levantou o braço em direção a Greninja, esperando que ele retribuísse, mas não foi possível se aproximar mais para ver o que acontecera. Greninja não foi prejudicado pelo Hyper Beam. Ele usara as espumas do seu corpo para se proteger. E, confiante, saltou do buraco cheio de água e se colocou do lado de Ash, que respirava com facilidade, agora.

           — Muito bem. Greninja, Aerial Ace!

           Greninja nem ao menos se recuperou do dano recebido e já se preparava para contra-atacar. Seus olhos se dilataram e, como um míssel, fixou-os em Suicune. Seu corpo começou a ganhar uma luminosidade... Logo em seguida, depois que sentiu que estava preparado, Greninja partiu... Suicune ainda estava se recuperando do golpe poderoso que acabara de usar. Quando Greninja, com veracidade, se aproximou o suficiente para atacar, Suicune o segurou com as suas cordas.

           — Eu jamais deixaria meu Suicune desprotegido, Ash. Pensei que soubesse disso... Suicune, Hyper Beam!

           — Mas ele acabou de usar esse golpe. É impossível... — gritou Clemont da platéia.

           Suicune encheu sua boca de energia e a liberou em um golpe direto contra Greninja. Que, depois da grande explosão que se formou, caiu no chão, sem forças. Suicune recuou e, com seus laços, pegou Greninja pela mão e o jogou para perto de Ash, que recebeu o amigo de braços abertos. Eles caíram e desta forma ficaram por alguns segundos.

           — Greninja, por favor, fale comigo — dizia Ash, atordoado — Desculpe, desculpe... Acorde, acorde!

           O árbitro já estava pronto para levantar a bandeira e entregar a vitória a Suicune quando Greninja reagiu. Ele se levantou, fraco, com ajuda de Ash. E olhou diretamente nos olhos do treinador. Era como janelas. Ali dentro existia poder. Ali dentro Greninja encontraria o que precisava. Ali dentro eles se tornariam um. Uma bola de energia transparente prendeu Ash a Greninja, afastando Pikachu. Greninja começou a tomar outra forma... Um poder oculto, que parecia mais um animal faminto, devorou o antigo Greninja e o transformou. Com uma nova aparência e um novo poder, Greninja se colocou entre Ash e Suicune, com a energia renovada.

           — Acabe com isso de uma vez!

           E Greninja fora embrulhado por água. Criou a forma de um torpedo e em poucos segundos nocateou Suicune, segurando suas cordas e arremessando-o para o alto. Uma vez que ele estava lá em cima, Greninja usou Aerial Ace novamente...

           — É inútil. Suicune, Hydro Pump!

           Mas o golpe de Suicune foi absorvido pela energia de Greninja, dobrando seu poder. Lá do alto, a platéia só viu aquele Pokémon lendário, na qual enalteceram, cair no chão, insconsciente.

           Mas o golpe de Suicune foi absorvido pela energia de Greninja, dobrando seu poder. Lá do alto, a platéia só viu aquele Pokémon lendário, na qual enalteceram, cair no chão, insconsciente.

           — Estou impressionado com Ash — comentou o professor Carvalho — Ele ficou muito poderoso e astuto. Derrotar um Suicune e um Alakazam e permanecer com a equipe completa é um feito único. E não estamos falando de qualquer treinador. Esse homem foi capaz de derrotar toda a equipe de Tobias apenas com seu Blaziken. Contudo, ele ainda não o usou... Temo o que vai acontecer quando ele o fizer.

           — Ash terá que pensar em algo... — concluiu Clemont.

           O homem da mascara de palhaço colocou Suicune dentro da pokébola e a olhou por alguns segundos. Por trás da máscara, ele sorriu. Guardou sua pokébola e se virou para Ash. Primeiro, ele tirou a capa que cobria seu corpo, atirando-a ao seu lado. A platéia se calou... Ele iria revelar sua identidade? Quando ele mostrou seus braços, a platéia voltou a comentar em voz alta. Eles eram cheios de cicatrizes, como se tivesse sido atacado por vários Ursaring ao mesmo tempo. Delia se enrijeceu de repente, soltando sua mão da de Serena. Em seguida, o homem mascarado finalmente tirou a máscara...

           Aparentava ter seus 40 anos de idade. Seus cabelos eram negros e espetados. Seus olhos castanho-claro. Ele fez questão de se virar para a platéia, foi quando Delia o viu de corpo inteiro. A mulher se assustou, levando a mão à boca. Serena segurou nas mãos da mulher, perguntou o que houve e ela não conseguiu responder.

           — É tudo que eu tinha para mostrar. Pois bem, Ash — ele se virou — Quero batalhar com você como eu sou de verdade. Sem mistérios... Sem mentiras.

           Ash ficou sem entender o que aquilo poderia representar.

           — Agora me enfrente da mesma forma. Blaziken, Mega Shinka!

           Blaziken nem ao menos saiu da pokébola e já foi tomado por uma energia pura. Ele se transformou ainda no céu, pousando no solo como Mega Blaziken.

           — Traga Greninja para mim!

           As coisas aconteceram rápido demais. Blaziken chegou perto de Greninja com uma velocidade incalculável. Pegou pelo pescoço do Pokémon aquático e o trouxe para perto do homem desconhecido. Greninja tentou se soltar, mas não conseguia mover se quer um dedo. Blaziken apertou sua garganta e Ash sentiu o ar sair dos seus pulmões. Estava sufocado. A medida que Blaziken apertava o pescoço de Greninja, Ash perdia ainda mais o fôlego, cambaleando de um lado para o outro.

           — O que está acontecendo com o Ash, professor Carvalho? — perguntou Delia, atônita.

           — Essas são as consequências da transformação do Greninja. Ele se torna um com Ash, portanto tudo que Greninja sofrer, Ash também sofrerá.

           Ash se ajoelhou, quase sucumbindo.

           — Então o elo de vocês vai muito além do que eu pensava — comentou o homem mascarado — Essa transformação possui um fim? Caso contrário, Ash, creio que você terá o mesmo fim que Greninja!

           E ao falar isso, Greninja voltou ao normal. Não a mando de Ash, mas por conta própria. Ao fazer isso, ele abaixou a cabeça e esperou...

           — Surreal! Greninja abriu mão dos seus poderes para lhe salvar, Ash... Que ato nobre, isso deveria contar para alguma coisa, certo? Se fosse em outros tempos, eu até poderia parar por aqui, mas não posso, desculpe. Mega Blaziken, High Jump Kick!

           Greninja sentiu uma dor penetrante... E antes mesmo que pudesse gemer, desmaiou, nos braços de Ash.

           — Greninja, por favor, me perdoe. Eu não queria machucá-lo desta forma, desculpe. Prometo que vamos vencer. Prometo que vou te vingar. Agora descanse, meu amigo, por favor — Ash guardou Greninja em sua pokébola e libertou seu próximo Pokémon — Charizard!

           Charizard fez o que era esperado. Já saiu preparado para lutar com todas as suas forças. O sol então espalhou as nuvens e clareou o campo de batalha. Mega Charizard Y respondeu aos sentimentos de Ash ainda dentro da pokébola. Preparado, ele alçou voo e uma vez lá no céu abriu suas asas.

           — Fire Blast!

           — Flare Blitz, Blaziken!

           Blaziken se bombardeou com chamas. Como consequência de um sol poderoso, seu ataque triplicou de poder e tamanho, se tornando uma bola de energia imensa e imponente. Blaziken saltou e mergulho no céu. Mega Charizard Y preparou seu golpe e ao finalizá-lo, usou suas mãos para rasgá-lo ao meio. Seus punhos começaram a pegar fogo, muito fogo. Quando Blaziken o atacou, Charizard usou os punhos para se proteger do golpe. O Flare Blitz foi perdendo efeito a medida que Charizard se defendia. Com o recoil, Blaziken ficou desprotegido e solto no ar.

           — Saía daí, Blaziken!

           — É tarde demais. Charizard, Seismic Toss!

           Charizard prendeu Blaziken ao seu corpo e deu quatro longas voltas no céu. Eles pareciam cometas de fogo, e espalhavam cinzas por todos os lados. Quando Charizard pegou impulso o suficiente, mergulhou de cabeça para baixo em direção ao solo. Contudo, ele percebeu que os braços de Blaziken deslizavam aos poucos, e ele não conseguia deixá-lo preso e apertado. Quando chegaram perto do chão, Blaziken se soltou com a ajuda de um High Jump Kick que ele usou no chão. O impulso agora era dominado por Blaziken, e ele pegou Charizard pela mão direta e a poucos centímetros do solo, o arremessou no chão, afundando a arena de batalha e usando o golpe de Charizard contra ele mesmo.

           — Achou mesmo que eu iria ser burro a esse ponto, Ash? Blaziken, High Jump Kick, outra vez!

           — E você acha que eu já não esperava por isso? Charizard, Blast Burn! 

A PARTIR DAQUI, LEIA OUVINDO ESSA MÚSICA (CLIQUE AQUI). VOCÊ VAI SENTIR ALGO MUITO SUPERIOR



           Blaziken foi engolido por uma explosão de fogo extremamente poderosa e foi pega por um redemoinho. Mas antes, por Charizard ter se desviado, ele atacou o chão com seu High Jump Kick, sofrendo grandes danos. Blaziken ficou no chão, segurando o joelho dolorido, enquanto Charizard tomava o céu com suas asas.

           — Charizard, vamos acabar com isso de uma vez por todas. Dragon Pulse!

           — Mega Blaziken, se levante, meu amigo, eu acredito em você. Uma vez de pé, use Overheat!

           Blaziken, ainda com dores e no chão, se levantou e trouxe de dentro de si todo o poder de fogo que controlava. Seu corpo se incendiou, ainda existia muito poder reservado. Ele se virou com tudo em direção a Charizard e usou todo o fogo que tinha dentro do corpo. Charizard fez a mesma coisa, seu Dragon Pulse sugou todas as suas energias e ele perdeu a mega evolução, assim como Blaziken. Iriam finalizar aquilo com tudo que tinham. Os dois golpes se chocaram e houve uma explosão. E, de repente, Charizard começou a tremer como se uma descarga elétrica estivesse entrando nele...

           — A habilidade de Charizard foi ativada. Ele está mais poderoso que nunca! — disse Clemont.

           E um fino feixe de luz agora ligava os dois Pokémon, nem vermelho e nem azul, mas um dourado intenso e rico. E Charizard, acompanhando o feixe com o olhar espantado, viu que Blaziken também tremia. Não havia sido apenas sua habilidade que ativara. E então — nada poderia ter preparado Ash para isso — ele viu os dois Pokémon se eleveram. Charizard e Blazikem estavam sendo erguidos no ar, os poderoses ainda ligados por aquele fio de luz dourada e tremeluzente. Os dois estavam se afastando do campo de batalha...

           — Ash, olhe para mim... — pediu o homem máscarado.

           Ash olhou, sem ao menos perceber.

           — Você se tornou uma pessoa diferente da que eu pensava que se tornaria. É corajoso, tem personalidade, não é medroso como eu era quando tinha sua idade. Nós não nos parecemos tanto, fisicamente. Acredito que seja por conta das batalhas que já travei, isso me deformou — de repente Ash viu que o homem chorava. E ele mesmo, também, chorava. Não entendia o que ele estava querendo dizer, mas presumia... — Eu gostaria de ter visto você crescer. Eu gostaria de ter te ensinado tudo que eu sabia. Era para eu ter... Mas isso não importa. Obrigado por ter batalhado com todas as suas forças. É a segunda vez que Blaziken perde e eu não poderia está mais contente por ele ter sido vencido pelo meu próprio filho.

           Os olhos de Ash se arregalaram e ele parou de respirar...

           — É isso mesmo que estou falando. Ash, eu sou o seu pai!



Os próximos capítulos vão sair sempre aos Sábado. Vale lembrar que o desenho do pai de Ash vai sair primeiro na página do Ricardo Lira (o mesmo que fez esse desenho do Ash vitorioso) portanto curta a página dele para que você veja não só o pai de Ash, mas todos os outros personagens: CLIQUE AQUI


18 comentários:

  1. Q imagem foda. Você que fez cara?? Pq ta muitooooooo foda!!

    ResponderExcluir
  2. Só em fanfic pra ele ganhar a liga mesmo kkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. Que imagem linda *-*

    ResponderExcluir
  4. YAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAYYYYYYYYYYYYYYYYYY!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Prequel!!!!!!

    Foram batalhas impressionantes, com uma ilustração impressionante! Mas assim como o Ash, fiquei chateada pelo palletiano não ter dado o troco em Tobias. Quando você escreveu que o finalista era um "homem mascarado" e "com um Blaziken", eu pensei no pai do Clemont. Mas pelo visto é o do Ash. Ou será que...?!!!


    Muitas teorias surgem com esse capítulo. A quanto tempo o Suicune é do mascarado? Será que todos aqueles Suicuines que o Ash via ou que o espreitavam eram o mesmo, desse cara?

    Para a teoria que o Ash e os irmãos limão são (meio?) irmãos, pode ser que o Meyer tenha altas habilidades de maquiagem. Além da maquiagem, palhaços também tem que lidar com perucas e roupas espalhafatosas.

    *precisa voltar no capítulo Serena x Jessie para fomentar mais teorias*


    Só vou comentar dois erros que vi no capítulo, talvez tenha mais:

    Parágrafo duplicado: "Mas o golpe de Suicune foi absorvido pela energia de Greninja, dobrando seu poder. Lá do alto, a platéia só viu aquele Pokémon lendário, na qual enalteceram, cair no chão, insconsciente." [inconsciente]

    Cauda, não calda!!! Calda = a de soverte. Cauda = rabo. Muita gente comente esse erro (outros redatores / fi writters, do site inclusive).

    Não suma no sábado, Hal! Continue com a fic! Te pago um Casteliacone.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, eu estou ciente dos erros. Principalmente da calda/cauda. Eu ia mudar, mas eu tinha um prazo a cumprir que era postar o capítulo ainda ontem kkkk Achei que o pessoal iria pensar que o Mega Blaziken era o do pai do Clemont kkkkk eu queria que pensassem que fosse. E o Suicune está com ele faz algum tempo, e o que vc está pensando adianto que seja 75% verdade e.e aushsushs

      Excluir
    2. Qual o nome da fanfic??

      Excluir
  5. Usar alguns personagens do games na fic como o Was (Colosseum) ele possui o Suicune, Entei e o Raikou.

    ResponderExcluir
  6. Corrigindo: Wes, ou Leo na versão japonesa.

    ResponderExcluir
  7. Eu gostei bastante dessa continuação, mas não gostei muito do Charizard ter ajudado o Ash a ganhar a Liga, porque sério, o cara já tem um tipo Fogo e três tipos Voadores! Um Rock Slide seria o suficiente para derrotar metade da equipe do Ash. E Mega Evolução? Pft, Ash's-Greninja já tá ocupando o lugar. E aliás, não é apenas o Charizard que consegue fazer a Mega Evolução!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ele usou o Charizard pq ele é o Ash e não tá nem aí para a tabela de tipos. Ash pode ter a força do coração e ser criativo, mas, usando as palavras de Shota / Sawer:

      "estratégia, Ash, coisa que você não tem"

      Hal também faz algumas previsões / palpites sobre o anime, como o suposto efeito colateral do Ash-Greninja, e sendo sincero acho que se o Ash for ter Mega, vai ser Charizard Y (contra o X do Alain).

      Apesar de ter deixado a equipe do Ash vulnerável competitivamente (considerando os jogos, um tipo Rock, um Ground para Pikachu e um counter para o Greninja Torrent dá OHKO), a descrição de como o time do Ash chegou na final usou bem a descrição dos tipos, atributos e habilidades do jogo:

      "Talonflame e Greninja o ajudou demais. Greninja principalmente. Vencia dois Pokémon de uma vez, sem ao menos se transformar. Noivern também foi de grande ajuda, era capaz de vencer os inimigos que vinham do céu ou usavam barreiras para se proteger. Hawlucha era melhor no solo, mesmo que também fosse capaz de proteger Ash no céu. Vencia com facilidade, usando seus golpes lutadores em pontos específicos e estratégicos."

      Talonflame e Greninja, os queridinhos da Smogon. Pena que não têm a habilidade certa... Mas o anime (e a fic) pode ser muito bem como no Mystery Dungeon, em que o Pokémon tem todas as habilidades simultaneamente.

      Se fosse outra Mega, eu queria ver... Pigeot, pq ele nunca mais foi mencionado, poxa. M-Blastoise, M-Venosaur e M-Garchomp seriam difíceis pq Ash não costuma evoluir Pokémon, e esses estão largados com o prof. Carvalho e similar. M-Sceptile o Shota já tem, ia ficar estranho. M-Glalie e M-Heracross ainda não tem o vínculo necessário, eu acho (Mas Ash usou Heracross e Garchomp no primeiro cap. da fic)

      Excluir
    2. mano vc n tem vergonha ta sempre criticando a pbn

      Excluir
    3. Cara, eu entendo tudo o que você diz, mas eu acho que já chega deles preverem que o Ash vai ganhar a Liga por causa do Charizard... sinceramente, esse Pokémon já deu, vocês só estão felizes pelo Hal ter adicionado o Charizard no meio porque tudo o que vocês previam era Mega Charizard X vs Y. Sério, será que não podemos pelo menos UMA VEZ NA VIDA termos a participação de uma Mega de outro Pokémon que o Ash possui lá com o professor Carvalho do que o Charizard? Esse Pokémon já tá em todo lugar, já tá me dando nojo. Se eles realmente adicionarem o Charizard Y pro Ash é puro fanservice SIM, e sem reclamações. Alan tem Mega Charizard X, Red tem Mega Charizard X, e ambos têm Charizard! Será que não é a hora de vermos outro Pokémon ter a atenção merecida em vez deles ficarem botando um Pokémon cujo quase todos chamam-o de "o melhor do Ash"? Não é apenas ele que consegue realizar a Mega Evolução, como disse.

      Excluir
    4. Respondendo o Gabriel Uzumaki: desde quando eu fico criticando a PBN? Eu só dei a minha opinião quanto a esta história, porque sério, pelo menos eu acho que já deu Charizard. Tá em todo lugar... Se não pode dar a opinião então isso não é um site de Pokémon de verdade. Eu, hein.

      Excluir
    5. Richard, eu sempre espero pelos seus comentários nos capítulos da minha fanfic :) Coloquei o Charizard porque o Ash usa ele na batalha contra o Red, isso tem um propósito rsrsrs

      Excluir
  8. onde continua ?? essa história é 10 !

    ResponderExcluir
  9. Ilustraçao nota deeeeeeeeeeeeeeezzzzzzzzzzzzzzzzz

    ResponderExcluir
  10. Olha, só queria fazer minhas criticas e elogios sobre Ash na Liga Kalos da fanfic. O Hal tem um grande talento para escrever, as lutas foram demais. Eu só queria dizer que comparando com a Liga de Kalos do anime de agora eu estou dando preferência pela versão que apareceu no anime, porque houveram mais batalhas, mais personagens (Alain, Tierno, Trevor), mais lutas de 6 Pokémon. Agora voltando para a fanfic, a batalha entre Ash e Sawyer foi a minha favorita, pena que só usaram 3 Pokémon. Já quando Ash enfrenta o Homem Mascarado, eu estranhei MUITO, sério, o Pokémon principal ser um Blaziken (que é da região de Hoenn), os outros Pokémon tudo bem. Eu particularmente acho que um Aerodactyl combinaria mais com o personagens, pois embora não seja lendário ele tem aquele tom de raridade, e ainda pode usar a Mega Evolução sendo um bom rival para o Mega Charizard Y de Ash. Era isso, um forte abraço!

    ResponderExcluir
  11. Que coisa mais sem graça invés de tudo isso eles poderiam fazer uma mega evolução para o gudra e quando o Ash fosse para a liga kalos ele chamasse o gudra e conseguisse uma pedra de mega evolução e mega evoluísse o gudra

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!