Como o mundo Pokémon foi criado? (Baseados nas lendas de Sinnoh) - Parte 2


             Eu não demorei muito para trazer a parte 2, e isso é muito bom, eu acho. Espero que vocês apreciem essa matéria e que compreendem de uma maneira mais detalhada como o mundo Pokémon foi criado. Vale lembrar que a maioria dos fatos que você entrar aqui foram retirados dos jogos de Sinnoh e da própria Pokédex. Não é enganação, pois eu não perderia meu tempo escrevendo algo para enganar. Então, vamos a matéria…

             Giratina também foi criado por Arceus. Ele representa, como a maioria já deve saber, o ser contrário a criação, o que “desobedeceu“, o que “não se encaixou nos padrões“, ou seja, ele é o demônio que conhecemos em nosso mundo. Arceus o criou para que existisse um mal, assim como existia um bem (ele próprio), deveria haver equilíbrio entre as duas coisas. Tem uma teoria (ela não é fundamentada em nada oficial) que diz o seguinte: O mal deveria haver para que as criaturas seguissem seu ciclo de vida, para que Pokémon devorassem outros Pokémon, que alguns deles, inclusive, carrega-se dores desde a sua infância (como é o caso do Cubone), que fossem limitado em algumas coisas, que tivessem poderes além do sobrenatural (Alakazam, Gardevoir, Gengar, e a maioria dos Pokémon psíquicos).


             Arceus baniu Giratina para um mundo reverso ao nosso, ele fez isso porque precisava de um lugar para guardar todas as impurezas do seu “mundo perfeito” e por essa nova criação ser “agressiva demais“. O mundo de Giratina (não vou entrar muito em detalhes, pois vou fazer um post exclusivo para esse assunto), de acordo com o filme “Giratina e o Cavaleiro do Céu“, recebe a poluição do mundo real na forma de veneno, desta forma a balança do meio ambiente do mundo real não é destruida pela poluição. Por isso você não vai conseguir ficar nem ao menos cinco minutos dentro desse mundo (Sim, sei que nos jogos você fica bem mais tempo que isso, mas tem outra explicação para esse caso, e vou falar dela na matéria exclusiva só sobre Giratina).


             Então Arceus criou Mew, seu “conselheiro“, depois criou o mal. Após isso, as outras lendas que ela havia criado no começo de tudo, Dialga e Palkia, criaram seus próprios Pokémon. Dialga criou Celebi, o viajante do tempo, e o encarregou de patrulhar as bordas das dimensões para que tudo seguisse seu rumo: Passado > Presente > Futuro (Então Celebi representa essa linha), e Palkia criou Jirachi, a estrela dos desejos.


Celebi


Jirachi


A CRIAÇÃO

             Em Pokémon Emerald, Sapphire e Ruby é contada a história de como os continentes e oceanos se formaram. No início, como dito anteriormente, a terra era um espaço sem forma e sem conteúdo. Tudo era muito escuro, vago, limpo… Então Arceus decidiu criar os seres que moldariam as formas do “mundo perfeito”. Ele criou Groudon a partir do barro da própria terra, uniu-a ao ar da atmosfera e a partir daqui criou o fogo. Ele uniu o barro e o fogo recém criado para esculpir Groudon. Logo em seguida, ele criou a água para ser o oposto da sua primeira criação e assim haver um equilíbrio, desta forma Kyogre surgiu.


             Groudon é um Pokémon capaz de criar grandes terremotos, fazer com que vulcões entrem em erupção e o sol brilhar mais forte e nuvens desaparecer do céu provocando estiagem. Ele tem o poder absoluto sobre tudo que envolva o fogo e sua criação a partir dele.


             Kyogre é um Pokémon capaz de provocar grandes maremotos e tempestades, controlando o clima sob todos os modos que você conhece: frio, úmido, congelante, etc…


             Reza a lenda que numa época em que não existia nada na terra, Groudon criou os continentes enquanto Kyogre os oceanos. Groudon, antes de começar a moldar, precisou provocar uma erupção em todos os vulcões e a partir da lava quente ele começou a esculpir o planeta terra que conhecemos: as montanhas, os vales, as ondulações, as proporções de cada região/parte/lugar do planeta. E Kyogre precisou trazer uma chuva que durou mais de 100 milhões de anos para formar os oceanos e lagos que conhecemos hoje. Por serem massas opostas e terem criado, praticamente, as duas coisas ao mesmo tempo: oceanos e montanhas, eles entraram em uma grande batalha para mostrar quem era melhor. Isso se cumpre o que Arceus predicou no início dos tempos: a convergência entre fogo e água, e que eles nunca se entenderiam.

             Arceus depois de criar Groudon e Kyogre, precisou de alguém para ser responsável pelos céus e pela camada de ozônio. A partir desta ideia surgiu Rayquaza, um Pokémon que não somente seria “patrulheiro” das galáxias, mas que seria responsável, também, em colocar ordem nos climas e servir de “linha de limite”, sendo superior a Groudon e Kyogre. Ele, então, ao ver a briga entre os dois lendários, baniu Groudon e Kyogre para áreas profundas da região de Hoenn. Mas ele não fez isso sozinho, Rayquaza precisou criar os três Regis para derrotá-los, acalmá-los e depois adormece-los, e é a partir daqui que vamos continuar a parte 3…


Obrigado por ter lido até aqui. Não esqueça de me fazer uma visita: Hal, o moderador

5 comentários:

  1. Hal! Me passa o link da primeira metéria... Ou qualquer um aí?
    Ficou ótimo. Tá show.

    ResponderExcluir
  2. Ótima matéria! Só não entendi porque o Palkia criou o Jirachi.

    ResponderExcluir
  3. Giratina não é o mal, nunca foi considerado mal, ele foi banido por ser muito violento, coisa que é absolutamente compreensível, já que ele é a Anti Matéria. Se Palkia é o Espaço, Dialga é o Tempo, e o Giratina pertence ao mesmo trio, então ele é simplesmente a Anti Matéria, enquanto os outros dois juntos são a Matéria. Corrija o texto, por favor, cara...

    ResponderExcluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!