Capítulo 8: O grande segredo do Professor Carvalho! (O Doador de Sonhos)


             Peter apareceu do nada no deserto iluminado pela lua. Por um momento ele ficou parado, apertando uma pokébola de metal na mão direita. Ouviu um barulho estranho à sua esquerda, como se alguém o espionasse. Por alguns segundos permaneceu assim, em guarda, esperando... mas, ao reconhecer que o som que escutava vinha de um arbusto, guardou a pokébola debaixo da capa e começou a andar apressadamente para o norte.

             Seu telefone tocou muito baixo dentro do bolso da sua calça. Peter o retirou de lá cauteloso e com os olhos vidrados atendeu o aparelho — Novidades? — perguntou, emburrado.

             — As melhores — respondeu um rapaz. Sua voz era fanhosa, fraca, minúscula, como se falasse escondido de algo ou alguém.

             Peter já reconhecia o caminho onde transitava agora. O lugar era cercado à esquerda por pequenas amoreiras, e à direita por uma fileira de altos arbustos cuidadosamente podados. Sua capa balançava ao redor de seus tornozelos enquanto caminhava acelerado em direção a grande porta de ferro — Já pode ser demasiado tarde — respondeu Peter, suas feições arredondas ficando fora de vista à medida que galhos desgarrados de suas árvores bloqueavam a luz do lugar — Foi um pouco mais complicado que eu imaginava. Mas eu acho que ele ficará satisfeito. Contudo, Celebi não está mais comigo. Ele precisou se curar, entende... Cynthia me prejudicou demais, aquela vadia. Mas vou retribuir o favor. Mantenha-me informado... Agora preciso desligar. Até mais!

             Peter guardou o celular e virou à direita, em uma larga garagem que dava acesso a um quartel general. A alta fileira de arbustos continuava à distância. O lugar era escuro, frio, totalmente abandonado. O grande portão principal estava enferrujado e brilhava por conta da lua, o número "456" que identificava a propriedade era segurado por um único fio de cobre. Peter se aproximou mais do portão e viu algo... Um papel, na realidade. Aproximou-se mais, precavido, e viu o que ele dizia:

             Estamos de olho em você, Peter. Somos mais inteligentes do que você pensa!

             A frase estava escrita com sangue!



             Pinsir sentiu algo queimar de dentro para fora. Suas garras não faziam mais parte do seu corpo, suas costas se moviam, dançavam, se transformavam, literalmente. Os olhos do Pokémon inseto queimaram em brasa quente e nada, absolutamente nada se igualou ao poder que dele emanou. Não era uma simples mega evolução, não era apenas um simples Pokémon que evoluía, mas uma máquina preparada, treinada e ampliada, pronta para destruir quem se colocasse em seu caminho.

             Mega Absol não se abalava com aquele show de luzes e glória. Ao contrário, dentro de si o Pokémon sentia o orgulho mais absoluto, um triunfo imaculado e raro naquelas ocasiões. Fora escolhida para estar ali, confiaram nele, depositaram fichas nele, por essa razão, Mega Absol dizia a si mesmo que não podia perder.

             Mega Pinsir arreganhou seus braços e suas asas enormes. As consequências daquele ato fizeram com que o chão sentisse o impacto do seu poder, pois a poeira se afastou, as pedras tremeram e o céu respondeu aquela atitude extraordinária. Os olhos de Mega Pinsir eram mais amarelos que qualquer cor que Mega Absol já tivesse visto. Dentro dele se via o inferno...

             — Ainda pode fugir, se quiser. Eu deixo! — disse o professor Carvalho com soberba, andando em círculos, vigiando, em alerta...

             Mega Absol abriu sua boca e rugiu em direção a Mega Pinsir, que continuava voando, calmo. Não se abalou com aquela afronta, ao contrário, se sentiu mais confiante do que estava. Um brilho dourado passou subitamente no céu acima deles e a luz solar ia aparecendo próximo à colina mais alta daquela região. A luz pegou todas as faces ao mesmo tempo, e quando Mega Pinsir era subitamente um borrão flamejante, Mega Absol já sentia o calor sair de dentro de si, não o suportou e abriu sua boca para liberar o Fire Blast mais poderoso da sua vida.


             — Contra ataque com Giga Impact! — ordenou professor Carvalho, sem pestanejar.

             Mega Pinsir criou rapidamente uma esfera de poder absoluto ao redor do seu corpo e, com um impulso dado pelas suas próprias asas gigantescas, saiu em disparada. A colisão pareceu um tiro de canhão, e as chamas douradas que saíram entre eles, na parte central do círculo que eles faizam, marcaram o ponto onde os dois golpes se colidiram. Mega Absol viu o Giga Impact de Mega Pinsir bater no seu próprio golpe, que, aparentemente, deveria ser super efetivo. E era, de fato, mas não havia afetado em nada o Pokémon inseto. Sabendo que aquilo seria em vão, Mega Absol saltou e lá do alto ele concentrou mais energia no seu chifre, tornando lilás. Rugiu mais uma vez e começou a arremessar vários Psycho Cut de uma vez só. Mega Pinsir fez o poder do Giga Impact desparecer e nem ao menos precisou descansar.

             — Use Thrash! — ordenou o professor Carvalho muito calmo, como se já soubesse do resultado.

             Mega Pinsir começou a liberar uma fumaça quase transparente do seu corpo. Seus membros se tornaram ageis e ele, rapidamente, começou a destruir aqueles Psycho Cut um por um. No último, o Psycho Cut retornou e atingiu Mega Absol em cheio. Não o prejudicou, pois era imune aquele golpe, mas por conta da velocidade que o golpe o atingiu, isso o fez cair na areia grossa do deserto, perto de um rio (que não deveria estar ali, em um deserto). Mega Pinsir aproveitou e saiu correndo em direção ao Pokémon caido. E, com um simples gesto, Mega Pinsir atingiu Mega Absol com seu punho, no peito. Mega Absol abriu os olhos no limite total e sentiu seu corpo todo tremer e ser arremessado. Ele agora cortava a água com sua própria pele, indo em direção a uma montanha. Mas antes de sentir as pedras rasgarem suas costas, Mega Absol se equilibrou no mar e saltou para cima da montanha. Danificado, machucado e sujo, o Pokémon ainda tinha esperanças de sair dali vitorioso. Novamente, de dentro do seu corpo saiu mais chamas e ele agora criava um novo Fire Blast. Não se demorou naquele golpe, logo o lançou em direção a Mega Pinsir.

             O pokémon inseto aguardou o golpe e o recebou direto. A explosão de fogo com raios se tornou um redemoinho de poder, consumindo aos poucos o pokémon inseto. Raios amarelados saiam do seu núcleo e se chocavam com as nuvens, rasgando-as, espalhando-as... o professor Carvalho via seu pokémon queimar, mas, ainda assim, não demonstrava estar preocupado.

             — Você está exatamente onde eu queria que você estivesse, Absol. Perdoe-me por isso, mas não estou aqui para brincadeiras. Mega Pinsir, finalize com Giga Impact!

             O pokémon inseto se aproveitou de todo aquele fogo e, com ele ainda queimando em seu corpo, saiu em disparada em direção a Mega Absol. O Pokémon viu aquela bola de fogo se aproximar e não tinha mais forças para revidar. Ele sentiu aquele impacto diretamente na sua face. O poder da mega evolução acabou e Mega Absol caiu para trás, patas arqueadas, as pupilas vermelhas rolaram para cima, o Pokémon bateu no chão com um fim mundano, seu corpo espalhado e vazado, as patas brancas vazias, sua aparência de anjo tinha saído de seu rosto. Mega Absol estava morto, morto por seu próprio ricochete de poder, e Mega Pinsir voava triunfante, aonde abaixo jazia o corpo de seu inimigo.

             Uma coisa: aquele não podia ser o professor Carvalho de sempre. Onde, em plena inocência de uma marionete, ele podia matar alguém que nem se quer agia por conta própria?

             — Você se foi sem saber do mais importante, Absol. Sinto muito, mas seu chefe nunca vai saber o meu segredo, que no caso é o que ele precisa. Mal sabe seu treinador que... — começou o professor Carvalho, mas não terminou a frase.

             A sombra de uma pessoa atrás de si havia o apunhalado com alguma coisa. Esse alguém não podia ser visto ou identificado, apenas seu sorriso malicioso se sobressaia de toda aquela poeira. O professor Carvalho sentiu a dor nas suas costas e caiu de joelhos no chão.

             — Estava demorando demais... — falou a sombra — Por isso decidi fazer eu mesmo!

             E, desta forma, o professor Carvalho caiu no chão, morto.



Fiz uma parceria com o Ricardo Lira, galera, um verdadeiro mestre dos desenhos. Ele vai começar a fazer as ilustrações dos próximos capítulos, então, se prepare para não somente imaginar cada cena, batalha, gestos e etc, mas ver com seus próprios olhos. Por enquanto, acompanhe o trabalho desse mestre, segue todas as redes sociais dele:

FACEBOOK
YOUTUBE
INSTAGRAM

Fala, moçada o/ Espero que tenham gostado desse capítulo, deu muito trabalho de fazer, sério ;-; Mas finalmente saiu. Então, pessoas do meu agrado, preciso de uma ajuda de vocês. Por gentileza, deixem ai nos comentários uma recomendação para essa história. É bem simples, é só escrever o que você acha dela, os pontos positivos e negativos, é como se você tivesse chegando a alguém e dizendo: olha, ler essa história por causa disso, disso e disso. Vou pegar todas e fazer um post para colocar no menu principal do site. Por favor, preciso muito disso <3 Ah, estava pensando em fazer um grupo para a fanfic, o que acham? Ai vocês seriam avisados quando ela for atualizada.


12 comentários:

  1. Linda fanfic, lindo capítulo. Parabéns! \o

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito, muito obrigado, Richard, é noiz o/

      Excluir
  2. Estou gostando muito da história. Tem um clima bem sombrio (as vezes até demais, mas se for necessario para o desenvolvimento...), a descrição do emocional dos personagem é muito boa. Aliás, um trabalho fantástico com as descrições: o ambiente, os personagens (um tanto curtas, mas não dá para escrever um dossiê, né?), os golpes, as megaevoluçoes (fantasticos!!!!! Essa é a parte que me deixa boquiaberta, muito bom mesmo). Minhas criticas são os eventuais ecos de Harry Potter (mas quem não gosta da Rowling?) e a falta de um indice. Faça como o Gabriel das crônicas, facilite a vida do leitor, é sempre bom ler tudo o que tem até agora, quem sabe não ficou uma dica ali atrás? E por fim...
    ;_; Gadervoir... ;_; Absol... Você foi muito mal mesmo.
    PORQUE O ABSOL?!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o professor carvalho ;-;.

      Excluir
    2. O clima sombrio meio que é proposital, sabe? Tento deixar a história mais madura, profunda e tudo o mais, confesso que às vezes exagero rsrs O emocional dos personagens (e Pokémon) é algo que eu prezo muito, sabe? Tento sempre trazer para fora o que eles sentem naquele momento para que o leitor sinta também (ou tente, pelo menos). Os golpes e o efeito da mega evolução eu também tomo muito cuidado. É maravilhoso ver um Pokémon mega evoluindo, é fantástico ver isso nos animes/mangas/jogos, mas descrever por descrever em texto não é o suficiente para que o leitor sinta o poder emanando, envolvendo, tudo que acontece dentro do Pokémon naquela momento, por isso me dedico mais nessas partes. Ecos de Harry Potter? Huum, talvez tenha alguns, afinal admiro a J.K.Rowling demaaaais, acho que ela consegue usar a simplicidade ao seu favor. Na verdade eu tenho um índice, sabe, e vou atualizá-lo, só preciso de mais recomendações dos leitores para fazer algo mais completo. Creio que amanhã eu ajeito ele direitinho e disponibilizo aqui. Gardevoir, Absol, pois é, eu fiz isso para mostrar aos leitores que essa história não é um anime onde Ash é o protagonista, sabe? kkkkkkk E muito obrigado por comentar, você é incrível <3

      Excluir
  3. Demoro em?? Mas tá valendo ótimo capítulo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Demorei sim, uns problemas técnicos kkk Obrigado o/

      Excluir
  4. ''Estamos de olho em você, Peter. Somos mais inteligentes do que você pensa!'' Acho que a mesma pessoa que escreveu isso é a mesma pessoa que matou o professor Carvalho... e o verdadeiro vilão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quem disse que o foi o professor Carvalho que morreu?

      Evidência 1: Nos jogos (bug da Geração 1) e nos mangás, ele não tem um Pinsir.

      Evidência 2: "Uma coisa: aquele não podia ser o professor Carvalho de sempre. Onde, em plena inocência de uma marionete, ele podia matar alguém que nem se quer agia por conta própria? "

      Será o impostor do professor Carvalho, atacando diretamente do TCG? Ou será que não? Será que saberemos disso no próximo sábado?

      Excluir
    2. ''Evidência 1: Nos jogos (bug da Geração 1) e nos mangás, ele não tem um Pinsir.'' Como assim cara? Ele pode botar o pokémon que ele quiser por isso que o nome é FANFIC.

      Excluir
  5. Uma pergunta: Desde quando o Mega Absol sabe usar o Fire Blast e desde quando o Mega Pinsir sabe usar o Giga Impact? Eu sei que de acordo com o site da Serebii.net, nenhum dos dois Pokémons sabem usar esses movimentos de ataque. Flw então.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todos os Pokémon totalmente evoluídos conseguem usar o golpe "Giga Impact", e Mega Absol também consegue usar Fire Blast, dar uma olhadinha lá no Bulbapedia o/ Valeu pelo comentário, é noiz

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!