Capítulo 2: A Batalha contra Green!


             Red abriu os olhos, viu a pedra da mega evolução do seu Venusaur destruída junto ao fogo que se alastrava pela areia, ergueu sua mão esquerda machucada para pegá-la de volta, mas foi surpreendido por Green, que o olhava com desdém — Não acredito que precisei voltar para levar o lixo para fora, outra vez. Será que você não consegue nem ao menos se defender, Red, por favor... — Green suspirou, estendendo a mão para Red — Você está bem, pelo menos?

             — Estou — disse Red, tremendo com tanta violência que não conseguia manter a cabeça em pé direito — Por que está aqui, Green, você me atrapalhou. Eu estava vencendo!

             — Não era o que estava parecendo, mas...

             Green não terminou de falar. Red foi atingido por um pequeno raio destrutivo que o arremessou para longe. Não o machucou ao ponto de matá-lo, mas, de longe, Green podia ver o garoto caído, inconsciente.

             — Não tenho tempo para conversas, Green. O que está fazendo aqui? Eu iria atrás de você, idiota! Quem mandou encurtar meu tempo? Que saco, nada me daria mais prazer do que ver você correr com medo de mim. Que pena, agora terei que matá-lo aqui mesmo! Yang, Fusion Flare!


             O Pokémon de metal, em poucos segundos, ergueu suas grandes asas e cortou os céus. Lá de cima, observava Green e seu Charizard como se não passassem de duas formigas que estava prestes a esmagar. Seus olhos de sangue fulminaram de ódio, rancor e amargura... Nada lhe daria mais prazer do que destruir cada um deles com as próprias mãos.

             Ergueu seus braços e começou a criar uma bola de fogo imensa. A cada milésimo que passava, mais o poder criava forma. Não era nem de longe algo já visto por Green, ao contrário, o garoto não recordara de já ter visto uma bola de fogo tão grande.

             A não ser quando olhava para o sol.

             O Pokémon de metal fazia questão de expandir aquele golpe com todos os seus poderes, esfregando as mãos uma na outra para produzir calor. O sol, naquele momento, não era nada comparado aquele poder. Green estava tão assustado que suas pernas tremiam, Charizard, por outro lado, parecia ansioso com alguma coisa.

             — Está vendo o poder do sol na palma das minhas mãos? — perguntou Peter, sorridente, enquanto admirava a grande bola de fogo que seu Pokémon criava. Seus pés sentiam o calor refletido pela areia que explodia em chamas verde esmeralda.

             — Interessante, devo admitir. Um Pokémon extraordinário! Porém, é uma pena que não estou com tempo para admirar o espetáculo do sol. Charizard, absorva o calor daquela energia — O Pokémon obedeceu imediatamente. Fechou seus olhos e abaixou suas asas.

             Charizard começou a respirar com uma velocidade anormal, largando fumaça do nariz a cada segundo que batia as asas. O calor, de repente, se envolveu apenas no Pokémon, saindo um pouco do Fusion Flare.

             Quando, instantaneamente, seu corpo se tornou uma labareda de fogo. Suas asas não eram mais carne, não faziam parte do seu corpo. Ao invés disso, pareciam flutuar, pareciam estar sendo devoradas pelas chamas. Os olhos de Charizard se acenderam e Peter viu o inferno — Agora, Charizard está queimando por conta das chamas. Observe bem essa cena... — Green sorriu maliciosamente — Porque vai acontecer a mesma coisa com você. Charizard, Mega Shinka!

             A luz da mega evolução explodiu de dentro do bracelete de Green e saiu despedaçando o solo e destruindo as pedras que encontrava pela frente. Nunca Peter tinha visto uma conexão tão poderosa entre um treinador e seu Pokémon – como aquilo era possível? De repente, Charizard não estava mais a vista de Peter, muito menos do Pokémon de metal, que olhava para todos os lados tentando encontrá-lo. Charizard estava lá no alto, por cima das nuvens, envolvido por uma bola de fogo e pelo poder da mega evolução. As asas de Charizard começaram a queimar, queimar e queimar – era tanto fogo, tanto calor, que o Pokémon precisou fechar os olhos para conseguir suportar tamanho poder que o invadia de dentro para fora.

             Alguns minutos depois, a bola de fogo do Pokémon de metal havia cessado. Afinal, Charizard absorvera todo o calor daquele golpe. Agora, para uso próprio, Mega Charizard Y elevou suas asas ao nível máximo. Em cima de si, o sol se acendeu como uma lâmpada e queimou os pés de Green, Peter e Red, pois o nível do calor da areia havia aumentado drasticamente.

             — Veja, Peter, e admire o verdadeiro poder do sol. O que houve com o Fusion Flare? Ah, ele derreteu... Que pena! Mas, deixe-me acendê-lo de novo! Mega Charizard, Overheat!

             Mega Charizard Y fechou seus olhos por alguns segundos. Ao abri-los, as chamas que consumiam seu íris eram tão devastadoras que seu reflexo forçou o Pokémon de metal a recuar. Com as asas ainda abertas ao nível máximo, Mega Charizard concentrou todo o calor do seu corpo no interior da sua boca, liberando fumaça do nariz a cada segundo.

             — Não seja inocente ao ponto de achar que pode me vencer. Red cometeu esse erro... E olhe onde ele está agora. Caído, humilhado, muito menos que um ser humano. Vou ter o maior prazer de fazer com que você faça companhia a ele no inferno. Yang, Fusion Bolt!

             O diamante na testa do Pokémon de metal brilhou e, posteriormente, Yang já começara a ser envolvido por trovões e raios. Uma onda eletromagnética surgira do nada e se conectou a armadura de aço. Em poucos segundos, Yang não era mais um simples Pokémon, mas uma fonte de energia maciça, pronta para explodir.

             Com a luxúria de um predador aprisionado no corpo de um robô, Yang se movia através das sombras de um mundo que nunca esteve fora do seu alcance, afinal, nada lhe era impossível. Órfã, restos, vítima e monstro...

             — Agora! — ordenou Peter, orgulhoso, erguendo sua mão e apontando para o Mega Charizard Y — Despedace-o!

             Yang uniu suas mãos ao corpo e, preso a uma bola de energia azulada, saiu em disparada. Mega Charizard Y, que era seu alvo, terminou de concentrar todo o calor do seu corpo e arreganhou a boca, liberando um tornado de fogo superior ao tamanho de dois campos de futebóis. Era poder demais, o próprio deserto não conseguira suportar, tanto que começou a rachar, a se abrir, a se deformar...

             O impacto do Fusion Bolt com o Overheat causou um aquecimento extremo. O calor e os raios eram recheados de um poder anormal. Green precisou se esconder por detrás de uma rocha imensa, enquanto Peter continuava admirando aquele impacto. Finalmente conseguira se assemelhar a Green, derrotar Red e fazer com que o solo se rachasse diante dos seus pés – um feito que estava muito além da sua própria capacidade. Nunca tivera poder nem mesmo para ter um título, quanto mais rachar um solo?

             — Yang, pare de brincar, já sei que você quer comparar poderes, mas o negócio aqui é sério. Tenho muita coisa para fazer. Acabe com isso de uma vez por todas... Quero ir para casa!

             Yang olhou de relance para seu treinador. Depois, fechou seus olhos e reuniu mais força de dentro de si. O Fusion Bolt quadruplicou de tamanho e o Overheart de Mega Charizard Y não era mais nada.

             O Pokémon de metal saiu cortando ao meio aquele golpe como se fosse uma nuvem. A cada segundo ele se aproximava mais do Mega Charizard Y, com vontade, desejo e ódio. Não aguentava mais, precisava logo ter aquele Pokémon preso na palma das suas mãos.

             Nada mais impedia seu caminho agora. Yang, depois de desfazer o Overheat, agora segurava Mega Charizard Y pelo pescoço. Peter se aproximou deles com passos lentos. Green, assustado, não conseguia pronunciar nenhuma palavra.

             — Nossa, que saco! Eu falei, seu idiota, que você não era capaz de me causar cócegas. Eu ia atrás de você, sério! Eu ia te procurar, eu ia fazer questão que todos soubessem que eu, Peter, estava a sua procura. Eu queria que chegasse aos meus ouvidos que você estava com medo de mim. Que se escondia, que mal conseguia andar na rua...

             Green sorriu — Que imaginação fértil, Peter. Eu nunca me esconderia de alguém tão insignificante.

             Ao ouvir aquela palavra, Peter fechou a cara, uniu as sobrancelhas e a raiva o dominou — Você não devia ter tido isso. Yang, faça com que Charizard prove o gosto salgado da areia deste deserto...

             Yang fez que sim com a cabeça e pressionou o pescoço de Mega Charizard Y. Com ele na palma da mão, o Pokémon de metal bateu as asas e saiu mergulhando em direção ao chão. Charizard se debatia com desespero, mas por mais que tentasse, não conseguia nem mesmo respirar. Quando chegaram ao solo, Yang se virou e pressionou a cabeça do Charizard na areia. Desta forma, o Pokémon de metal saiu arrastando Charizard pelo deserto a fora, fazendo questão que o impacto da velocidade fosse concentrado apenas na cabeça do seu adversário. Charizard sentiu a areia rasgar suas orelhas e seu rosto. Suas asas deixaram de emanar calor, seus olhos pararam de brilhar e a mega evolução acabou.

             Green gritou e saiu correndo em direção ao seu Charizard, mas fora impedido por Yang, que o expulsou das suas redondezas ao abrir a palma da mão. Caído, o garoto já não podia fazer mais nada.

             — Pronto, Yang, muito bem! Agora, envolva Charizard com um redemoinho de areia, usando seu poder psíquico — Yang fez que sim com a cabeça e voltou a olhar para Charizard. Fechou seus olhos e ergueu a palma da sua mão esquerda. Do chão, Charizard foi abocanhado pelo grande tornado de areia que surgira do chão. O Pokémon, desesperado, olhou para Green por uma última vez e fechou os olhos — Ótimo! Agora finalize com Stone Edge! — Yang, com a outra mão livre, acenou alguns centímetros e várias pedras se desconectaram das rochas. Flutuaram alguns segundos, depois, com outro aceno de Yang, se uniram ao furacão de areia.

             Green fechou os olhos, fechou a mão em punho e chorou. Charizard, ao sentir as pedras rasgarem seu corpo, desmaiou. Depois de alguns minutos, seu corpo se chocou contra o solo. Duro, imóvel e inconsciente. Green saiu correndo em direção ao seu Pokémon e o abraçou com as duas mãos.

             — Que cena mais linda — disse Peter, enquanto Yang descia do céu lentamente — Eu gostaria de ficar mais um pouco aqui admirando vocês. Mas, infelizmente, preciso destruir mais dois treinadores. Chyntia e Diantha estão me esperando. Se me permitem preciso ir. Mas antes, Yang, prenda Green e Red em um casulo de energia — Yang ergueu a palma da mão e vários cristais se envolveram a Red e Green, fazendo-os flutuar. Depois, os dois garotos se viram presos a uma bola de vidro transparente imensa — Vejo vocês depois. Adeus!


AAAAAAêÊÊÊ, capítulo novo, porraaa! Pois é, espero que apreciem. Lembrem-se que a fanfic será atualizada todos os sábados. COMENTEM AIII, se não hal vai ficar triste bagarai




6 comentários:

  1. Espero que a cynthia use seu rayquaza (lendario vs lendario)

    ResponderExcluir
  2. Green? Você não quis dizer Blue? Green é o nome do Blue no Japão...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E o Blue é o Gary no Anime. Flw.

      Excluir
    2. Sim, eu sei. Assim como Red é o Ash.

      Excluir
    3. "Assim como Red é o Ash." '-' Eu não li isso...

      Excluir
    4. Na verdade Red é o Ash sim, Anônimo.
      Ash é a counterpart do anime do Red.
      Igual Green é a counterpart do Gary nos games. (E é Green sim, não é Blue, Blue é a menina.)

      Não significa que só pelo Ash ter uma personalidade infantil e não ser adorado por quase ninguém, por que praticamente todo mundo idrolata o LIXO (digo mesmo, LIXO) do Red.

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!