Crônicas de Bolso: Emoções de Gelo - Lapras




   Olá, galerinha!


   Como vocês já sabem, quarta-feira é dia de Crônicas de Bolso! Como foi a semana de vocês? Espero que estejam todos bem e curiosos para saber quem é o Pokémon de hoje! Aliás, agora todo mundo já sabe, não é? ^^

   Pois bem, voltamos a Kanto! Curiosamente, hoje temos um Tipo Gelo, assim como tivemos um Tipo Fogo em Kanto. E isso é mera coincidência sim com outras determinadas crônicas que existem por aí. xD

   Então, hoje é o dia do Lapras? Sim! Hoje é dia da nova subsérie Emoções de Gelo? Sim, também! Agora, pessoal, senta que lá vem história! =)

Quem não ama o Lapras?




      É natural que corações feridos se fechem para que não sofram, mas até que ponto o congelamento dos sentimentos é saudável? A frieza pode ser uma escapatória confortável, mas o tempo que se passa dormente em gelo profundo não pode ser recuperado. No entanto, vocês já repararam que muitas coisas permanecem exatamente iguais ao que eram após serem descongeladas?


- - - - - - -


Emoções de Gelo: Lapras


   Nem sempre as circunstâncias da vida são tão afáveis quanto se gostaria, mas é preciso saber lidar com as diferentes situações e tirar proveito delas. Para tudo há um ensinamento. Há aqueles que riem e tentam fazer da adversidade uma oportunidade, mas também há quem se machuque de tal maneira que seu coração enrijeça para nunca mais se permitir sofrer.
   Só que quem congela seus sentimentos não o faz apenas com o que é ruim, mas acaba abrindo mão do que é bom. Viver com o coração trancado em um esquife de gelo parece confortável, mas nem sempre cura as feridas do passado e tampouco traz a felicidade futura.
   Havia um parque aquático no Reino Unido que contava com diversas espécies de criaturas marinhas em um grande aquário. O lugar sempre foi muito popular por seus passeios subaquáticos e suas piscinas para os banhistas. Muitas pessoas se encontravam por lá com seus amigos e familiares nos feriados.
   Uma das principais atrações era a apresentação de uma treinadora com um Lapras, o carro-chefe das atrações do parque. A interação entre ambos era magnífica e as performances encantavam o público. Era raro alguém das filas dianteiras sair seco do espetáculo, sem sequer levar um jato de água de Lapras.

   Contudo, Lapras já tinha certa idade e este peso o limitava em agilidade e habilidade. Era pouco o que os biólogos e veterinários podiam fazer para dar continuidade à vida artística dele.
   Sendo assim, decidiram aposentar Lapras e mantê-lo para sempre nos bastidores, impedido de assumir o palco novamente. O velho Lapras continuou sua vida em cativeiro, pois dificilmente se adaptaria às condições naturais. Agora, o parque precisava de uma nova atração, senão teria que fechar. O sucesso do Lapras era fundamental e perdê-lo reduziu consideravelmente os lucros.
   Foi então que um grupo de treinadores viajou até o norte, em busca de uma área que abrigava vários Lapras. Lá havia uma pequena organização de proteção à vida marinha que tratava dos Lapras que viviam na natureza.
   Depois de muita burocracia, o parque finalmente conseguiu a licença para capturar um Lapras bem mais novo que o anterior. Assustada, a futura estrela do parque foi amarrada e anestesiada, sendo capturada e posta em um tanque para o transporte até o aquário.
   Curiosamente, Lapras não havia sido consultado em momento algum. A organização protetora cuidava de sua saúde enquanto era uma criatura selvagem, mas não podia fazer mais nada. Lapras foi posto no aquário e vários cartazes foram distribuídos, anunciando o retorno da atração.


   No entanto, a publicidade se tornou um fiasco. O novo Lapras detestava sua vida em cativeiro e não suportava que as pessoas ficassem olhando para ele, pedindo que fizesse coisas sem sentido. Sentia-se traído pelos seus antigos cuidadores e amargava o tédio de viver longe dos vastos oceanos gelados.
   O resultado não podia ser diferente. O jovem Lapras não possuía o brilho do anterior e pouco se empenhava em seguir a coreografia ensinada, por mais que entendesse a fala humana. Como resultado, o público notou sua apatia e começou a vaiar a treinadora, por supostamente não tê-lo adestrado corretamente.
   A única coisa que ambos os Lapras faziam de semelhante era molhar o público, mas até suas motivações eram diferentes. O antigo o fazia por graça, já o novo por pirraça.
   Com os poucos resultados obtidos, o pequeno Lapras perdeu todas as suas regalias e passou a ser tratado com indiferença, já que não retribuía a meiguice que recebia dos humanos. Seu tanque foi trocado por um menor, os carinhos foram cessando e até as visitas guiadas seguiram pelo mesmo caminho. Havia até quem temesse a fúria de Lapras, por medo que ele entoasse a canção do perecer.



   Soluções administrativas e medidas paliativas foram tomadas pela gestão do parque para manter a clientela e outras atrações foram contratadas. Lapras não era rentável, mas sim uma grande despesa. Foi muito caro obter sua licença, capturá-lo e transportá-lo ao parque, além dos custos com comida e higienização do tanque.
   Em menos de um mês, o jovem Lapras foi lançado em um aquário escuro e silencioso no subsolo do parque, pois seu tanque antigo seria utilizado por um balé aquático.
   Trancado no tanque, Lapras começou a chorar, como se pudesse chamar por seus amigos que viviam nas águas do norte. Com seu pranto, o novo Lapras acabou acordando outra criatura que também habitava o tanque escuro e esquecido.
   Assustado, Lapras se virou e procurou o único ponto de iluminação que possuía, perto de grades que refletiam a luz lunar. O jovem Lapras preparou-se para liberar um raio que confundiria seu possível agressor, afinal os humanos poderiam tê-lo trancado junto a uma criatura que lhe desse fim.
   No entanto, o medo cedeu lugar à surpresa de ver um chifre azulado que lhe parecia familiar. Era o velho Lapras, com um semblante cansado e nostálgico. Ambos começaram a conversar no tom choroso típico da sua espécie e não puderam deixar de expor seus sonhos e frustrações.

— És tão jovem e tão sofrido... É incrível como o que faz de mim feliz te chateia tanto. É incrível como somos iguais e tão diferentes.

   O novo Lapras não conseguiu conter suas lágrimas, mesmo que estivesse embaixo d'água. Estava profundamente magoado com os humanos e dificilmente voltaria a acreditar em um. Havia cacos de gelo ao redor de seu coração e era incapaz de confiar em uma pessoa novamente. O velho Lapras o advertiu que sua mágoa sufocaria seus sentimentos, mas foi rebatido pelo jovem amargurado.


— Como podes parecer tão calmo se aqueles que antes te idolatravam foram tão cruéis a ponto de descartarem-te como lixo? Por que ainda os respeita?


   O velho Lapras ficou pensativo por alguns instantes. Estava triste pela aspereza do jovem e não pelas suas palavras, mas não titubeou em sorrir para o mesmo e respondê-lo.

 — Pois sou grato por todos os meus dias de glória. Tudo o que fizeram por mim antes já faz valer o sacrifício de viver aqui trancado. Eu sei que não posso mais ajudá-los e, mesmo vivendo aqui, sei que não fui esquecido.

   O jovem Lapras ficou tão envergonhado por ter sido rude com seu semelhante que procurou se esconder no fundo do tanque. Ele havia entendido perfeitamente o recado, mas seu coração doía muito para que pudesse agir de outra maneira.
   Enquanto estava isolado e meditativo no fundo do tanque, o pequeno Lapras percebeu um fluxo de água diferente, como uma leve correnteza. Forçando a parede já enferrujada do fundo do tanque, ele pôde perceber que a parede estava frouxa e podia perfeitamente permitir uma fuga.
   Lapras simplesmente não entendeu o motivo de seu velho companheiro não ter abandonado aquele ambiente inóspito ainda. Não era possível que o mesmo não conhecesse tal passagem.
   Então, o pequeno Lapras compreendeu que, se a felicidade do velho estava ali, ele deveria buscar a dele. O jovem despediu-se do ancião e anunciou sua fuga. Sem a menor surpresa, o velho Lapras desejou-lhe uma boa viagem e ambos se cumprimentaram com votos de um futuro reencontro pelas águas do mar.



E assim termina a história de hoje...


- - - - - - -


   Bom, pessoal, hoje ainda é quarta-feira, não é? Sei que acabou ficando um pouquinho tarde, mas está aí! Semana que vem sai mais cedo, fiquem tranquilos. =)

   O que acharam da história de hoje? Espero que tenham gostado. Vou ficar feliz em ler os comentários de vocês.

   Ah, sim! Tenho um assunto importante para resolver e conto com a ajuda de vocês. Eu gostaria de sugestões e ideias legais para as subséries do Tipo Rocha e do Tipo Solo, apesar de eu sempre chamá-los de Tipo Pedra e Tipo Terra, hehe. Afinal, elas estão para estrear em breve, certo? Então é isso! Uma ótima semana para vocês e até a próxima! ^^



Créditos de imagem:
Amor aos Lapras
Um show de Lapras
O Lapras novo
A Canção do Perecer
Lamento de Lapras
O velho e o novo




Eu vou ficar muito, muuuito feliz se você clicar aqui! Olha:

 Crônicas de Bolso    Cápsula do Tempo


45 comentários:

  1. Eu acho hyhorn um pokemon muito legal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu realmente estava precisando de sugestões para estes tipos. Muito obrigado por comentar! =)

      Excluir
  2. demais a historia amo lapras!!!! Poderia fazer uma história sobre um pokemon pequeno e fofo
    Como pachisu ou bunnery ou skitty etc

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem, pode ficar tranquilo(a)! Já anotei as suas sugestões. Sem dúvidas, Pachirisu, Bunneary e Skitty são muito carismáticos. Muito obrigado por comentar! ^^

      Excluir
  3. Muito Boa essa history podia por uma do skitty muitos amam Ele

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. mas skitty é do tipo normal e ele já fez uma crônica do tipo normal(com o audino).

      Excluir
    2. Muito obrigado por passarem aqui e comentarem! Bem, só para esclarecer, o Skitty pode aparecer um dia por aqui! ^^

      Afinal, um dia, os dezoito tipos vão acabar, aí teremos que recomeçar. Quem sabe o Skitty não aparece na segunda rodada? =D

      Excluir
  4. Qeroo uma sobre pachrisu

    ResponderExcluir
  5. Mais um texto ótimo, parabéns! Gosto muito do Lapras e do tipo Gelo ^^. Tenho estado muito ocupado esses dias com a universidade, só li os dois últimos contos agora no começo da semana, mas é visível que a qualidade das subséries se mantem firme e forte, Unfezant e Absol foram bem representados em suas respectivas histórias. Agora sobre as sugestões, eu sempre penso que os Pokémon do Tipo Pedra dariam uma bela história sobre arqueologia, não apenas os Pokémon Fóssil, mas todos no geral. Já os Tipo Terra não tem como não falar: É um dos meus tipos favoritos junto com Fantasma e Grama. Já mencionei o Cacnea, mas o Rhyhorn é o meu xodó também e acho que ele daria uma ótima história xD

    Daniel

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, que bom te ver por aqui! Também gosto muito do Lapras. Realmente, é difícil achar quem não goste dele. =)

      Fico feliz que tenha conseguido encontrar tempo para acompanhar as Crônicas! Muito obrigado! ^^

      Pois é, um sítio arqueológico seria um cenário e tanto, bem interessante. Gostei! E mais um voto para o Rhyhorn! xD

      Excluir
  6. Alelua, comentei mais uma postagem '-' (e a luta contra a preguiça continua) Bom, devo dizer que esta foi minha crônica favorita até agora por três motivos:

    -Adoro o tipo gelo e o Lapras,
    -Roteiro lindo
    -Passou uma bela lição.

    Continue assim ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aí, Luis! Que coisa boa! xD
      Trocou o Truant por outra habilidade, não foi? Hehe. E a luta continua! ^^

      Estou muito feliz em saber que essa crônica foi a sua favorita até agora. Muito obrigado, de verdade!

      O Lapras é mesmo muito legal, aliás eu também gosto do Tipo Gelo. Afinal, gelo também é água, não é? xD

      Excluir
    2. Troquei por Speed Boost '-' (Agora serei apelão nos showdowns da vida)

      Eu que agradeço pelas crônicas ^^

      Sim XD. Mas os unicos de gelo que eu não gosto são Jynx e Os Vanilixos (By Sir), e é meu segundo favorito (perde pra elétrico).

      Poderia fazer uma sobre o Luxray?

      Excluir
    3. Que isso, da água para o vinho agora. xD

      Engraçado, eu sempre gostei da Jynx, hehe. Já os sorvetes, eu nunca impliquei com eles, o Vanillite é até bonitinho. xD

      Luxray é um dos Pokémon do Tipo Elétrico que eu mais gosto, sugestão anotada. ^^

      Excluir
  7. Ótimo conto!!!!! Fantástico!!!!!!
    Sobre as indicações dos tipo Terra e Pedra (eu também falo assim, inclusive também falo Metal e Planta embora a tradução correta seja Aço e Grama, respectivamente)

    Pedra - Fósseis em geral, Golem, Ryhorn, Corsola, Onix e outros, só que só lembrei desses agora

    Terra - Sandslash, Sandile, Excadrill, Gliscor, Hipopotas, Donphan e outros legais também (Que eu também não consigo lembrar agora :P )

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. LoKu-kun, você por aqui! Fico feliz que tenha gostado da história. =)

      Pois é, você me deu umas boas ideias: Corsola, Rhyhorn, Sandslash, Gliscor etc. Geralmente, os melhores Pokémon são aqueles que se lembra logo de cara. ^^

      Excluir
  8. Muito boa a historia cara,parabens
    Faz a proxima com o Golem, acho q ele daria uma boa historia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado pelo seu comentário! ^^
      Pode deixar, vou anotar sua sugestão. O Golem é um Pokémon muito legal, já está na lista de sugestões. =)

      Excluir
  9. Matheus Almeida12/03/15 09:31

    Que loucura é essa? postar contos a 23:30 da noite? fiquei atualizando a pag. e nada até desistir e ir dormir (acho que sou o único da minha idade que vai dormir antes de 00:00).

    Lapras S2 S2
    quando pequeno eu não tinha net e só conhecia pokemon quando passava na tv (isso quando meu pai não ia assistir futebol/jornal/novela/etc). portanto só vim saber o que era um lapras somente na liga laranja e pelo amor de arceus, era perfeito *---* mas o babaca do ash teve que soltar ele, mas enfim...

    adorei como a história não terminou óbvia. tipo, você poderia muito bem ter escrito que o lapras jovem entendeu o ponto de vista dos treinadores e decidiu cooperar para se tornar uma estrela, mas ao invés disso...

    achei meio triste tbm a história do lapras idoso (?) mas dá pra se entender as razões dele, não gosto de histórias feijão-com-arroz: os mocinhos livres e felizes e os vilões totalmente lascados (apesar das suas crônicas não terem um vilão propriamente dito, vc deve entender o que quero dizer), por isso gosto do George R. R. Martin e de G.O.T.

    por hoje é só e até quarta ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Matheus! Pois é, eu adorava ver o Ash viajando sobre o Lapras, era muito legal!

      Hahahaha! Foi uma loucura mesmo, mas eu consegui trazer a história ainda na quarta-feira. Ufa! xD

      Relaxa, eu entendi o que você quis dizer! Tem personagens que mesclam o mocinho com o vilão. ^^

      Realmente, as histórias dos dois Lapras se envolvem muito, quase que se refletindo. Os dois tinham o mesmo motivo para ficarem com os corações gelados, mas a forma como encararam a situação foi bem diferente. Muito obrigado por passar aqui e comentar! Até quarta-feira! =)

      Excluir
    2. Matheus Almeida12/03/15 23:51

      Aaah quase esqueci das solicitações,q ja que vc pediu do tipo solo ou pedra então lá vai:

      Tipo solo gostaria ou baltoy/claydoll ou golet/golurk. Os dois tem uma forte ligação com civilizações antigas e tal. Pode ser uma boa.

      De rocha poderia ser um estilo romeu e julieta com solrock e lunatone (apesar dos dois não terem gênero acho que não sou só eu que shippo os dois haha)

      Se prefere escolhas menos óbvias poderia ser sobre o barboach ou shuckle slá

      Excluir
    3. Cara, é mesmo! Claydol e Golurk possuem uma história de fundo ótima! Muito boa a sugestão! =D

      Ué, se o Ditto pode amar, por que o Solrock e a Lunatone não podem? xD

      Engraçado, Romeu e Julieta são os nomes do meu Volbeat e da minha Illumise. Tudo em Hoenn, hehe. Eu gosto do Whiscash. Anotei tudo! Muito obrigado! =)

      Excluir
    4. Matheus Almeida17/03/15 20:52

      Oi gabriel, talvez vc nem veja esse comentário mas é pq tive a idéia hj.

      vc já pensou em colocar uma trilha sonora, que nem as que têm nas XnalYse? eu adoro ler escutando música (embora isso implique em eu ter que voltar pra reler alguma parte 2~3 vezes) e gostaria de ver suas sugestões de trilha sonora. ^^

      Excluir
    5. Há! Até parece que eu ia deixar de ver um comentário. xD
      Bem, eu pensei nisso e até comentei sobre isso na história do Trevenant.

      Na verdade, eu não gosto muito de estipular uma determinada trilha sonora, prefiro que cada um escolha o que achar melhor para ouvir, é uma forma de interagir com o momento da leitura. ^^

      Excluir
  10. Eu queria um romance entre Espion e Unbreon, são dois pokemon opostos mas ainda sim são fofíssimos juntos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, mas pode deixar que essa eu não vou deixar passar, hehe. Fica tranquilo(a) que um dia as eeveelutions vão aparecer. Muito obrigado pelo comentário e pela sugestão! ^^

      Excluir
  11. Little_tiger12/03/15 12:58

    Espero que sua promessa seja cumprida, senhor Gabriel. É digamos... torturante esperar o dia todo por algo, hahaha

    O pequeno Lapras só queria ser feliz e livre, coitadinho. Ele não tinha culpa de nada. Mas também os humanos estavam errados em aprisioná-lo daquela forma. O velho Lapras era tão aclamado e mesmo assim se acostumou com sua vida de "atração" que se acostumou com aquela cela subaquática. Tudo bem, ele já tinha certa idade... mas todos merecem liberdade.

    Lapras também ficou encabulado por causa da maneira de pensar, creio eu. O pokémon, tão jovem e com experiências tão traumatizantes, percebeu que podia ser quase tão bom quanto o mais velho e podia ter o carinho de todos, se ele não pusesse uma armadura em seu coração.

    Creio que em sua liberdade, seu coração derretará e ele voltará a ser o bom e velho Lapras. É só questão de amor pra um coração descongelar (Lerigou!!)

    Como Daniel disse, seria uma boa o tipo pedra ser relacionado à arqueologia, ou cavernas... Enfim.

    Bom, é isso. Linda crônica, que, como sempre, tocou no fundo da alma e... espero o próximo conto semana que vem!

    Little_Tiger =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Little_tiger, que bom te ver por aqui de novo! O Matheus bem que comentou que foi uma loucura esta postagem mesmo. xD

      Eu também não gosto muito de publicar tarde assim, mas fiquei feliz que deu tempo de postar ainda na quarta-feira! xD

      Eu adoro as suas interpretações sobre as histórias. O Lapras velho era um típico Pokémon artista, ele se encontrou nas apresentações. Talvez o Lapras novo realmente fosse um bom artista, mas ele não escolheu aquele caminho naquele momento. Quem sabe ele não muda de opinião no futuro? ^^

      Fico feliz em saber que a crônica te emocionou. Muito obrigado! =)

      Ah, sobre o Tipo Pedra (sério que eu não sou o único a chamar assim? rsrs), eu vou pensar em algo relacionado a isso e ver como as coisas se encaixam. ^^

      Excluir
  12. Oi ^^

    Que crônica bela!

    Eu sempre gostei muito do Lapras, adoro surfar com ele no pokemon Y
    Uma coisa legal dessa crônica é q não se passa no passado, mas no presente. Isso mostra q as melhores historias não precisam ser as mais antigas ^^

    Sinto muito dizer, mas não captei a mensagem principal da história :-(
    Infelizmente acabei adoecendo e minha cabeça está doendo muito, então nai no conseguindo ligar coisa com coisa. Desculpe.

    E obrigado por considerar minha sugestão do tipo Gelo :-)

    Sobre os tipos Rocha e Terra, penso que Archeops e Marowak seriam boas opções.
    Archeops pq eu creio q seja o único q aprende Dig e Fly ao msm tempo (isso me encantou muito)
    Agora Marowak... Vai ser um desafio, afinal, tem toda aquela historia da mae que morreu...

    Aguardo ansiosamente pela próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Rafael! Que bom te ver por aqui. =)
      Eu também adoro surfar no Lapras, queria poder surfar nele em todos os jogos. xD

      Que legal, você também reparou que a crônica é atual! Mas é uma pena que não esteja se sentindo bem. Tenta ler uma segunda vez quando você estiver melhor, talvez consiga pescar algo novo. ^^

      Eu amo Marowak, adorei a ideia! Tem mesmo aquelas histórias da Pokédex, do Kangaskhan, mas ele é um ótimo Pokémon!

      Eu também acho curioso um Pokémon do Tipo Voador aprender Dig. Foi engraçado poder ensinar Dig para um Ninjask, haha. xD

      Excluir
    2. "Archeops pq eu creio q seja o único q aprende Dig e Fly ao msm tempo"

      charizard, mew, vibrava, flygon, landorus e hawlucha estão muito chateados.

      Excluir
  13. 1. Suas crônicas são sempre admiráveis, pois não trazem apenas os contos que encantam, mas a mensagem que está entrelaçada em seus textos fazem toda a relação necessária em um texto. Os elementos linguísticos são muito bem aplicados em todo ele. A relação do tipo gelo com a frieza de coração, por exemplo, nos traz uma reflexão pessoal para a nossa vida. Mais uma vez, parabéns! 2. Gabriel, qual é sua formação escolar? você faz universidade? Acredito que os demais leitores também se perguntam: Quem é e como é o meu cronista favorito?
    3. Ainda não pensei em nenhuma sugestão para o tipo terra ou pedra (também os chamo assim, pois era assim que eram chamados na primeira geração ai me acostumei), mas tenho certeza de que você vai nos surpreender mais uma vez com a próxima crônica.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Jonathan! Fico feliz em ler seu comentário. =)
      Você captou bem a mensagem da história do Lapras. Fico feliz que tenha gostado. Muito obrigado!

      Minha formação? Graduação, sim. Você acertou.xD
      Aliás, eu nem lembrava que a primeira geração traduziu Rock e Ground para Pedra e Terra. Realmente, faz muito sentido! ^^

      Excluir
  14. Que história linda! Não me arrependo nem um pouco de ler, muito pelo contrario! Lapras é um Pokémon maravilhoso, acredito que hajam poucos que não gostam dele. E a maneira de como o encaixou na história deixou ele mais encantador ainda!
    Ah! Sugiro na próxima história um tipo fada, o Slurpuff! Ou uma história com os lendários Latios e Latias. Em fim estas são minhas sugestões!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Camila, fico sempre feliz por te encontrar aqui! Estou muito feliz que você tenha gostado da história do Lapras. Muito obrigado por comentar! ^^

      Realmente, o Lapras é maravilhoso mesmo, quem não ama? xD
      O engraçado é que, quando eu li seu comentário, eu realmente estava comendo um doce. Totalmente Slurpuff, hahaha! Também gosto dos Eon Twins. Sugestões anotadas! =)

      Excluir
  15. que cronica incrivel!!!!!

    na minha opinião o tipo pedra poderia ser un pokemon pre-historico com um titulo tipo "coração de pedra"
    e o solo pederia falar de stelix ou um pokemon ñ compreendido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigado por passar aqui para comentar e deixar suas sugestões! ^^
      Mais um voto para os Pokémon pré-históricos, hehe. Gostei muito da ideia! =)

      Excluir
  16. faz à tipo inseto com o shedinja, por favor!!!
    só eu que acho ele um dos pokemon mais misteriosos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olha, eu não sei se foi você quem pediu Shedinja antes, mas alguém já pediu por ele, sim. Aliás, pediram mais de uma vez. Eu já anotei a sugestão, não tem como esquecer.

      Ele pode não estrear no Tipo Inseto agora, mas pode aparecer depois. Fica tranquilo(a). ^^

      Excluir
  17. você poderia fazer o tipo terra com o rhydon(só sugeri esse pokemon por ele ser o primeiro pokemon criado) e o tipo pedra poderia ser o shuckle, o rei das defesas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mais um voto para a família Rhyhorn! E pro Shuckle também! ^^
      O Rhydon tem todo um status especial por ter sido o primeiro Pokémon criado e ele tem altas chances de aparecer por aqui. =)

      Excluir
  18. eu concordo com o pequeno lapras, porque continuar em um local onde você é simplesmente descartado e obrigado a passar seus últimos dias em um aquário escuro e solitário?
    eu sei que ele sempre viveu em cativeiro e amava o que fazia, mas é muito triste ver a forma como os humanos tratam aquele que já foi a atração mais lucrativa do parque.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gostei muito das suas observações! Muito obrigado pelo seu comentário! ^^

      É verdade, deve ser muito triste para o jovem Lapras pensar em viver naquele tanque escuro, logo ele que gostava tanto de viver livremente.

      Já o Lapras velho acabou tendo que se acostumar com a situação, mas bem que poderiam fazer uma obra e melhorar as condições do aquário, não é? xD

      Excluir
  19. Tenho umas sugestões para você.
    Rocha : Armaldo, Larvitar, Lileep ou Nosepass.
    Terra : Gliscor, Donphan, Maroak ou Hippoppotas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E mais um voto para os fósseis! xD
      Muito obrigado por comentar, sugestões são sempre bem-vindas e muito importantes. Todas devidamente anotadas! ^^

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!