Crônicas de Bolso: Flores de Água - Milotic



   Olá, galerinha!

   Preparados para mais um conto da série Crônicas de Bolso? Espero que sim! Hoje nós vamos sair um pouco das chamas intensas da subsérie anterior e adentrar no reino das águas, místicas e cheias de segredos, com a subsérie Flores de Água.

   Não tem nem como fazer suspense, né? Todo mundo já sabe quem é a estrela do conto de hoje, hehe. Vamos dar as boas-vindas à Milotic! E senta que lá vem história! ^^

Onde foi que eu deixei a história de hoje, mesmo?

  
   Hoje eu vou contar a vocês uma história e eu sinceramente não sei até que ponto ela é história, mito ou... realidade. Todos já ouviram falar em sereias, não é? Pois bem, por enquanto deixo aqui o meu silêncio para combinar com os mistérios do mar...




- - - - - - -


Flores de Água: Milotic


   A vida dos homens na terra sempre se voltou para o mar desde os tempos mais remotos. A água fornecia o alimento, saciava a sede do corpo e do espírito. Muitas histórias remontam a experiências inacreditáveis com o oceano e com os seres que o habitam...
   No litoral da Grécia, havia um pequeno vilarejo pesqueiro que fazia do mar o seu sustento. Desde sempre, os pescadores nutriam uma relação controversa com o mar, de amor e temor.
   As águas sempre forneciam peixes em quantidades suficientes para abastar todas as famílias, além da poética e inspiradora beleza ao refletir a luz da Lua.
   No entanto, a força das marés e a imprevisibilidade das águas faziam todos aqueles homens rezar por um retorno em segurança às suas casas. E estas eram suas menores preocupações...
   Havia uma lenda local que remontava ao mito da sereia: uma bela mulher com cauda de peixe que cantava docemente ao mar, para atrair homens desavisados e afogá-los. Os barcos eram naufragados e nunca havia sobreviventes...


   É neste cenário misterioso em que um jovem rapaz vive. No auge de suas dezenove primaveras, ele sempre foi o rechaçado da família. Tinha alma de artista e não gostava dos serviços de pesca. Seu pai ralhava com ele quase todos os dias e o rapaz se via obrigado a trabalhar com os outros pescadores, pois era seu dever familiar. Sua família era humilde e pequena, contava apenas com um casal que tentava criar seus três filhos homens em meio às dificuldades da vida.
   A situação do garoto ainda piorava: era o filho caçula. Seu pai sempre lhe comparou a seus irmãos, ávidos pescadores e habilidosos com as redes. A mãe, coitada, não podia contrariar o marido, pois dependia do dinheiro da pesca também.
   Apesar de amar e respeitar sua família, nada lhe agradava naquela vida. Assim que podia, o rapaz corria e passava horas a fio sentado no topo de uma falésia, desenhando o que lhe vinha à cabeça. Possuía uma profunda admiração pelo mar e não entendia como algo que trazia tantas dádivas poderia ser tão nocivo ao mesmo tempo. Seu sonho era compreender a verdade sobre o mar, nem que fosse necessário ir ao encontro de uma suposta sereia.


   Depois de um dia de pesca ruim, o pai deslanchou suas frustrações em cima de seu filho mais novo, culpando-o por não ter se dedicado naquele dia. Após uma ferrenha discussão, o rapaz fugiu de casa e caminhou até a falésia onde desenhava, o único lugar nas redondezas do vilarejo no qual se sentia à vontade.
   Em lágrimas, postou-se diante do mar bravio que irrompia contra o rochedo. Trêmulo, começou a desenhar mecanicamente uma longa cauda de escamas azuis e vermelhas, sem saber se terminaria por desenhar um peixe ou uma sereia.
   Sutilmente, um canto doce e sereno foi se tornando audível e adentrou em sua mente, fazendo-o buscar a origem da melodia. Um brilho resplandecente captou-lhe o olhar em meio ao mar, aproximando-se da areia. O rapaz desceu rapidamente pelas pedras e correu rumo ao mar para desfrutar da mais bela visão, uma legítima sereia. Encantado por sua beleza, todas as suas emoções foram acalmadas e ele estendeu a mão em direção ao ser místico, que começou a falar:

— Se quiseres descobrir os segredos do mar, eu posso mostrá-los a ti. Não te enganes, porém, pois aqueles que vão ao mar só voltam a terra por seis meses do ano. Juras que jamais contarás os segredos da água àqueles que andam com os pés?

   Assustado, o rapaz pensou em negar, mas já estava entregue aos encantos da sereia e lhe jurou fidelidade. A sereia, então, mergulhou ao fundo do mar e emergiu em sua verdadeira forma, Milotic. Segurando o chifre daquele ser belo e inebriante, o rapaz afundou no mar junto da Milotic sob a Lua Cheia...


   Não tardou para que toda a família do rapaz desse por sua falta e o alarde começasse. O pai e os irmãos demonstraram preocupação com o filho caçula pela primeira vez, mas já era tarde. A mãe  foi a que mais sofreu, mas seu coração lhe dizia que o filho estava bem, por mais que lhe custasse acreditar.
   Depois daquela noite, sempre que a mãe dos garotos andava pela praia para lavar as roupas nas pedras, ela encontrava um pequeno Feebas, muito simpático e brincalhão. Por mais que lhe doesse, ela sabia exatamente qual havia sido o destino de seu filho, mas também sabia que não poderia compartilhar de seu segredo com mais ninguém.
   Seis meses se passaram e Milotic cumpriu sua promessa ao rapaz. A sereia havia lhe mostrado a verdade sobre elas e provou o que ele já sabia. Elas traziam uma vida nova aos que afogavam e purificavam seus corações cheios de culpa e dor, fazendo-os renascer como peixes que tinham o poder de trazer fartura aos pescadores de suas famílias.
   E assim aconteceu. Enquanto Feebas, o menino-peixe trouxe boas pescas para sua vila e fez o que seu pai sempre quis que ele fizesse, ajudasse com as despesas do lar, mesmo que de uma forma um tanto quanto diferente...
   O rapaz retornou à forma humana e caminhou até sua casa, onde encontrou seu pai, sua mãe e seus irmãos. Pela primeira vez, seu pai o abraçou e disse-lhe o que o jovem sempre quisera ouvir:

— Eu te amo, meu filho.






E assim termina a história de hoje...


- - - - - - -


   Bom, pessoal, gostaram? Tomara que sim! Como sempre, vou ficar de olho nos comentários, feliz em poder responder vocês! Não sei vocês, mas essa me emocionou bastante enquanto eu escrevia. ^^

   Papo sério agora! Então, eu vi que muita gente deu várias sugestões bacanas. Eu esperava que fosse ter uma diversidade grande, mas me surpreendi com o fato de grande parte de vocês quererem um conto sobre um Tipo Grama. É para completar o trio de tipos iniciais, né? Já tem fogo e água, só falta grama, hehe. =)

   Fiquei bastante dividido entre o Tipo Grama e o Tipo Voador, que também teve alguns votos. Menções honrosas para: Tipo Psíquico, Tipo Dragão e Tipo Fantasma. Então é isso aí, o próximo conto será da subsérie Verdejar de Grama! Como muita gente quis esta subsérie, também surgiram altas sugestões de Pokémon para estrelar o próximo conto.

   E justamente agora que é Tipo Grama, eu vou deixar a Worry Seed plantada em vocês! Com direito a um super Ingrain da curiosidade! Haha. A única coisa que eu vou dizer é: se você somar todos os algarismos do número desse Pokémon na National Dex até obter um único algarismo, o resultado será 2.

   E o mistério se estende para além do próximo conto, a subsérie da quarta história vai continuar oculta, em segredo. Só no futuro vocês vão saber, a menos que alguém já possa prever o futuro... Até a próxima! =)


Créditos de imagem:
Biblioteca Pokémon
Sereia sobre a Lua
Praia à noite
Sereia e Milotic
Milotic e Feebas




Eu vou ficar muito, muuuito feliz se você clicar aqui! Olha:

 Crônicas de Bolso    Cápsula do Tempo


29 comentários:

  1. Como leitor ávido, gostei muito dos contos que você escreveu. Misturar regiões do mundo, culturas e lendas reais com Pokémon foi uma ótima ideia! Flores de Água é um bom conto mas eu não entendi o título. Que flores?
    Agora como sugestões, eu diria pra você variar as vezes os finais dos contos, não ficar atrelado aos "finais felizes"; é sempre bom quando uma estória acaba com um mistério em aberto; a Pokédex é um ótimo lugar pra inspirações de crônicas, e mantenha o modo como você narra a estória, seu texto em forma de fábula ficou muito bom.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão das flores eu vou responder em um comentário de baixo, ok? ^^

      Fico muito feliz que você esteja gostando tanto assim. PokéDex sempre dá panos pra manga mesmo! =)

      Bom, eu realmente só faço histórias com finais felizes, hahahaha. É uma coisa minha, sabe? Eu posso até tentar deixar um final em aberto ou fazer uma história que termina bem, mas não sem dar aquela sensação de que está tudo bem. De triste já basta a vida às vezes, rsrs. Obrigado! =)

      Excluir
  2. Historia incrivel,parabens, continue assim, vc podia fazer uma com o tipo Fairy

    ResponderExcluir
  3. Assim como o anônimo acima, eu adorei essa história. Me emocionei bastante com o final e adorei essa fusão do mundo real com o Pokémon e com o místico! Se você queria o próximo conto voador ou grama, por que não faz Shaymin? Sugestão :-D
    Eu não quero fazer conta, estou de férias U.U mas vou colocar a cuca pra pensar no pokemon do conto... Bellossom talvez? Continue essas histórias, elas são ótimas e sua escrita é gostosa de se ler ;-)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahh, fico feliz que tenha conseguido se emocionar, era o objetivo aquático do conto. Muito obrigado por suas palavras carinhosas. =)

      Vamos lá, já que você falou em Bellossom: o número é 182 = 1 + 8 + 2 = 11 = 1 + 1 = 2. É, deu certo. Será que é ela? O Ivysaur também termina com somatório 2. Mistérios, mistérios... =P

      Excluir
  4. Bom dia, senhor Gabriel.
    Desde o primeiro conto eu me encantei e fiquei muito surpreso com as história, as associações, etc.
    Com base na sua dica, digo que os unicos Pokemons possiveis seriam 02 Ivysaur, 11 Metapod, 20 Raticate, 101, Electrode e 202 Misdreavus, portanto, pelo tipo do pokemon e pelo nome, acredito que este pokemon seja um Ivysaur.
    Do seu caro leitor, Rafael.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que isso! Pode me chamar de Gabriel, mesmo. ^^
      Fico feliz que esteja acompanhando e gostando, é bom saber quando alguém gosta dos textos. =)

      Dica: se eu fosse você, eu estenderia os cálculos até Kalos, só por "garantia", hehe.

      Do seu caro leitor, Gabriel. (porque eu leio também ué, leio os comentários, rsrs)

      Excluir
  5. Demais! :D
    Dessa vez, me surpreendi com o final! Quando li o título lembrei da Misty, mas cadê as flores da água?
    Grama <3 meu tipo preferido! Quando fazer o voador, faz da Shaymin??

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pensei em você quando li o final, hahaha.
      "Acho que ele vai gostar, está um pouco imprevisível." Haha.

      Parabéns, descobriu a origem das Flores. É justamente isso! =D
      Flor é beleza, preciosidade e delicadeza, assim como a água. A sereia é a flor de beleza, o amor entre o pai e o filho é a flor da vida. Flor é isso: tesouro, pérolas (que vêm do fundo dos Clamperl no mar).

      Sem falar que a Misty (Água) é uma das quatro flores aquáticas da cidade de Cerulean. =P

      Excluir
  6. nossa quase chorei aqui e sou macho, kk voce escreve bem pra caramba, aposto que o proximo é o Ivysaur afinal ele é o mais lindo de sua familia, nao darei sugestoes porque ja consegui minha historia do tipo fogo então vlw ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahahaha. É o calor, sabe como é. Aí até os olhos ficam suando, rsrs.

      Ah, que legal! Eu nem tinha como saber que você era fã do Ninetales, foi o primeiro conto, já começou pré-definido e tal. Que sorte que eu consegui acertar o seu Pokémon logo de primeira! ^^

      Fica à vontade para dar mais sugestões. =)

      Excluir
    2. O que tem a ver as suas glândulas lacrimais com o seu gênero?

      Excluir
  7. acho que é o Chespin 650

    6+5+0=11 1+1=2

    vlw ^^

    ResponderExcluir
  8. Em resposta ao Bruno que comentou a postagem pelo Facebook, vou ter que responder por aqui, tudo bem?

    Então, estou surpreso como tem uma quantidade absurda de Pokémon Tipo Grama legais com somatório igual a 2. Talvez eu dê uma dica mais exata com o passar do tempo. xD

    O próximo conto deve sair até o meio da semana que vem. Fico bastante feliz que todos vocês tenham gostado! Qualquer coisa, é só comentar. =)

    ResponderExcluir
  9. Ótima crônica. Parabéns!
    Milotic é meu Water favorito.
    Acho que o próximo será Leafeon, Roserade ou Sceptile.

    ResponderExcluir
  10. se for fazer do tipo fairy, coloque romance que combina, hehehehe ;)

    ResponderExcluir
  11. Cara, q show! Continue assim!
    Uma sugestão : ponha "single types", tipo Ninetales e milotic. Mas a posta q a lista de pokes do tipo grama único cuja somatória do n° da pokédex dê 2 é bem estreita.. Rsrsrs
    Aguardo ansiosamente pela próxima!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por comentar. ^^

      Eu sei que existe um charme especial nos Pokémon "Single Type", mas tem muitos Pokémon "Dual Type" interessantes e que são os preferidos de muita gente (vide Charizard, não é?). Eu simplesmente não posso negligenciar uma quantidade tão grande de Pokémon assim. =(

      É como no TCG, existem cartas de Roserade, por exemplo, na Energia Verde e também na Energia Roxa/Lilás, justamente por ela ser "Dual Type". ^^

      Excluir
    2. Rsrsrs... Vdd
      Sem falar q o tipo flying seria um problema, afinal só tem tornadus...
      Mas tudo bem, acho q suas histórias vão continuar ótimas independente dos tipos :-D


      Excluir
    3. Ah, Rafael, obrigado! Bondade sua. ^^
      Realmente, os voadores dariam trabalho quanto a isso, hehe.

      Fico feliz que tenha expectativas otimistas assim, isso me deixa muito contente! =)

      Excluir
  12. Hey! Serperior!
    4+9+7=13+7=20!
    2+0=2!

    ResponderExcluir
  13. É o Ivysaur!

    ResponderExcluir
  14. seria legal se fosse do tropius ou roserade
    obs: otimo conto continue cm essa criatividade imensa kk q sempre estaremos aki LENDO ;-)

    ResponderExcluir
  15. Ivysaur, Bayleaf, Grovyle, Grotle, Servine, Quilladin.

    ResponderExcluir
  16. Gostei Bastante desse conto Gabriel. Quando descobri o segredo, fiquei tipo O.O, mas gostei bastante. E lhe falo mais, acho bem bacana esse contraste de realismo que você traz em seus textos. Continue assim...

    Ainda quero o conto do Eevee que me prometeu em, rsrsrsr XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fiquei duplamente feliz: uma vez por você ter gostado e outra vez pelo segredo ter te surpreendido! Muito obrigado. ^^

      Eu não prometi nada, viu! Eu disse que iria pensar com carinho e que tinha altas possibilidades, mas não confirmei nada! Hahaha. xD

      Fica tranquilo que eu vou analisar o caso do Eevee com bastante atenção. ^^

      Excluir

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!