Review: Pokémon XY043


Olá, galera da PBN!

Que tal ler mais uma review de Pokémon XY nesta noite de quarta-feira?
Desta vez é hora de falar do episódio que marcou a chegada de nossos heróis da Cidade de Shalour!
Nos próximos dias publicarei mais textos pra compensar minha ausência na semana passada.
Os reviews dos episódios anteriores e outras matérias você confere clicando aqui. Eu também respondi aos comentários que a galera deixou semana passada e mais recentemente publiquei a segunda parte da matéria que relembra a Trajetória de Pokémon no Brasil cobrindo a Liga Laranja. Não deixem de conferir!
Um grande abraço a todos e boa leitura!

XY043/ Episódio 847 – A Torre da Maestria! A História da Mega Evolução!!


Ash, Clemont, Bonnie e Serena finalmente chegam à Cidade de Shalour! Entretanto, há pouco espaço para a cidade aqui e mais para a preparação de Ash para sua batalha. Uma coisa que Pocket Monsters XY tem me feito enxergar é o quão pouco interessantes são as cidades dos Ginásios nos jogos. Tanto Cyllage quanto Santalune tiveram pouco ou nenhum foco nas localidades das batalhas contra Viola e Grant e mais nos confrontos mesmo. De fato, não havia nada muito interessante dos games para se explorar além dos Ginásios mesmo. Entretanto, com Shalour havia uma diferença: a cidade é a localização da Torre da Maestria, uma das construções mais belas e importantes dos jogos Pokémon X & Y, então em vez de nos darem logo a batalha, os roteiristas optaram por fazer um episódio com foco na tal torre e também no treinamento de ritmo de Ash.
Quando Ash pediu para Tierno lhe ensinar a estratégia do ritmo, eu lamentei que não havíamos visto nada do treinamento em si e tudo o que tivemos foi um comentário de Serena sobre como o garoto de Pallet era bastante desengonçado. Felizmente, tal falta é reparada aqui. As cenas de Ash e seus Pokémon treinando seu ritmo são, de longe, as minhas favoritas do episódio. As formas diferentes como Pikachu, Fletchinder, Hawlucha e Froakie se movem refletem ao mesmo tempo suas personalidades e a falta de organização no treinamento do Treinador de Pallet. E se o episódio passado havia nos privado umas risadas por conta dos passinhos de Ash, aqui isso é devidamente consertado. Pokémon tradicionalmente não tem medo de expor seu protagonista ao ridículo, entretanto Pokémon XY tem feito um esforço real em enaltecer as qualidades do rapaz e mesmo aqui, quando ele não parece ter ideia do que realmente está fazendo e sua dança é motivo de chacota mesmo entre seus amigos, Ash mantém uma postura séria e madura, muito autoconfiante. Autoconfiante o suficiente para permitir que Korrina assista ao seu treinamento sem o menor medo de que, ao permitir isso, esteja abrindo mão do fator surpresa, dando ainda mais uma vantagem à sua adversária.
O treinamento também tem ganha força ao colocar Clemont e Serena com participações diretas em seu desenvolvimento. A do rapaz acaba ganhando mais destaque com mais uma invenção mirabolante até meio assustadora – aquela mistura de engrenagem, madeira e correias para amarrar as pessoas mais parecia uma máquina de tortura da Inquisição! Fica ainda mais assustador se você considerar a reação megalomaníaca de Clemont de apertar o botão compulsivamente para ir cada vez mais rápido sem se importar com o pobre menino preso à máquina. Só acho uma pena que a animação não tenha mostrado nada mais do que Ash rodando com a megalomania do jovem inventor. Teria sido mais legal ver o garoto de Pallet sendo movido de formas mais diversas na confusão – mas que seriam mais trabalhosas de se animar, imagino. Um detalhe que eu gosto é o guarda-chuva rosa no topo da máquina. Ou seria um guarda-sol pra proteger os dançarinos dos raios ultravioletas?
Entretanto, se a participação de Clemont é a que recebe maior tempo de cena, é a colaboração de Serena que possui mais substância. Depois de ver tanto Ash e Clemont falharem, a garota se oferece para ensinar o Treinador, alegando dançar bem. Chama atenção aqui o fato de a garota ser confiante sobre suas próprias habilidades de dança, o que indica que ela realmente deve saber dançar. Serena não é uma garota de se gabar, então se ela diz ter um talento, eu de verdade não duvido. Em seu primeiro PokéVisão, ela já demonstrava uma certa graciosidade nos movimentos que deve derivar justamente dessa experiência com a dança. Entretanto, apesar disso, o anime não nos mostra a garota dançando nem ensinando nenhum movimento para Ash. A cena corta da aspirante a Performer oferecendo – num gesto semelhante a um movimento de balé – ajudar seu amadinho para horas depois, com Ash exausto e nenhum sucesso. Mais do que poupar tempo para a segunda metade do episódio, focada primariamente na tal Torre da Maestria, a decisão pra mim parece ser mais uma questão de guardar segredo.
Oras, dança é uma habilidade e tanto para alguém que quer ser uma Performer Pokémon e eu estou muitíssimo intrigado pra ver que estilos serão usados (balé, balé, balé, balé, por favor!) e de que forma isso será empregado. É claro que pode-se estranhar que em mais de 40 episódios a menina nunca tenha mencionado isso, mas como eu falei: Serena não é de se gabar e agora é que ela está ganhando algum amor-próprio, logo não chega a ser absurdo. Eu também acho que dependendo de como a animação for desenvolvida, podemos ter algumas apresentações realmente lindas já que existem muitos estilos de dança realmente fascinantes. Uma das minhas apresentações favoritas de Torneios é justamente aquela envolvendo o Lopunny e o Kricketune de Nando, então poder ver uma coisa daquela qualidade com Serena e seus Pokémon seria honestamente muitíssimo bem-vindo. Eu sinceramente também gosto de pensar que a garota aprendeu a dançar fazendo aulas profissionais quando era mais nova e por isso ela confiaria que pode ensinar ao seu companheiro de jornada.
Passada a parte do treinamento, temos finalmente a introdução da Torre da Maestria! O anime reconstruiu a edificação com bastante fidelidade à sua contraparte dos jogos, o que eu pessoalmente acho muito positivo já que a Tower of Mastery é uma das construções mais impressionantes da franquia, com sua arquitetura imponente, a gigantesca estátua de Mega Lucario e uma torre espiral que é um dos melhores exemplos da boa implementação dos cenários tridimensionais de Pokémon X & Y. Entretanto, se nos games a Torre da Maestria é um lugar importantíssimo por ser onde o Treinador luta para obter um Mega Bracelete e conseguir realizar sua primeira Mega Evolução, no anime ela perde parte de sua importância. Com os roteiristas tendo feito a escolha (muito acertada) de trabalhar um arco focado em Korrina dominando a Mega Evolução de seu Lucario e com nenhuma pista sobre se Ash algum dia chegará sequer a possuir uma Pedra-Chave, tal função da Torre da Maestria já não funcionaria mais no anime. Ainda assim, o local mantém seu tom místico e imponente.
O fato de que ela só é acessível com a maré baixa lhe dá um ar de difícil acessibilidade que ajuda a lhe conferir um ar de mistério e o anime ainda faz uso da história contada nos jogos de que a primeira Mega Evolução conhecida foi realizada naquele mesmo local. Entretanto, apesar de ser até parte do título do episódio, a história é contada aqui de forma bem rápida. Gurkinn basicamente repete o diálogo presente em X & Y de que há muitos anos, um homem e seu parceiro Lucario encontraram por mero acaso duas pedras misteriosas naquele local e a primeira Mega Evolução que se tem conhecimento ocorreu. Fim da história. É claro que também trata-se da história do começo do clã que segue até hoje com Korrina e Gurkinn, mas é uma história bastante curta – apesar de a Líder de Shalour ter avisado a Ash para se preparar porque seu avô costuma contar histórias longas. Como isso não supre nem cinco minutos de episódio, é claro que Akemi Omode (“Lucario VS Blaziken! A Caverna das Provações!!”) teve que apelar para aquele artifício de roteiro usado já tão exaustivamente em Pokémon XY: a Equipe Rocket!
Só que desta vez o trio de vilões não está atrás de Mega Pedras e sim de um “documento secreto”, um pergaminho contendo instruções para aqueles que assumem o Ginásio da Cidade de Shalour, o qual o vovô linha dura de Korrina acredita que ela ainda não mereça receber. O episódio então passa a girar em torno do roubo do pergaminho e temos a Equipe Rocket vasculhando a torre inteira atrás do bendito documento secreto, sem sucesso algum até Wobbuffet apontar sua localidade certeira. Eu realmente não consigo engolir muito bem essa história toda. Eu até entendo que depois dos fracassos anteriores os vilões optem por não tentar pegar Mega Pedras ou Pedras-Chaves, ainda mais considerando que os de Gurkinn, Korrina e Lucario ficam bem protegidos em suas luvas - ainda que eles estejam tão sonolentos que mesmo o Pokémon da Aura não desperta perante a presença dos bandidos -, mas a ideia toda do pergaminho é tão absurdamente idiota. Talvez especialmente pelo fato de ao final de toda a confusão as tais regras do documento secreto não passarem de ideais de recomendações para vida uma vida melhor ditadas pelo senso comum que o próprio Gurkinn escreveu.
Eu não gosto da ideia toda porque faz o velho parecer um grande babaca. Tipo, Korrina venceu diversas batalhas, amadureceu seu estilo de batalha, dominou a transformação de seu Mega Lucario e ainda assim Gurkinn se recusa a reconhecer o valor de sua neta? Sem contar que essa atitude contradiz a ideia que havia sido construída dele nos episódios anteriores. Antes, ele era um Treinador experiente, respeitável e rígido, mas acima de tudo preocupado com o crescimento de sua neta como Líder de Ginásio. Agora, ele é um velho bobão que inventa pergaminhos com regrinhas patéticas e esconde-os, quando eles continham o tipo de informação uma pessoa com bom senso iria querer que os outros soubessem! Ele devia é ter escrito o negócio e colado na parede do quarto de Korrina para que ela lesse todas aquelas regras todas as manhãs e não enrolado num pergaminho e escondido na estátua do Mega Lucario - E AINDA BOTOU UM ALARME PELAMORDEDEUS. É muita babaquice e tira toda a seriedade do personagem. Tudo isso porque Omode foi incapaz de gerar algo mais criativo para cobrir a outra metade do episódio e apostou num roubo qualquer da Equipe Rocket porque, afinal, era o caminho mais fácil.
Entretanto, eu vou confessar que gosto de alguns elementos desse ataque: o fato de que é Wobbuffet quem aponta a localização correta do documento, a perseguição torre acima, com nossos personagens no encalço dos Rockets em seus pijamas, Clemont não sendo capaz de subir as escadas, Bonnie ralhando com ele e Serena ficando para trás para dar auxílio a Gurkinn são alguns detalhes bem legais do momento. E eu curto muito ver o cenário dos jogos ganhar vida com tanta intensidade e beleza no anime. O trabalho da equipe de animação na ambientação do episódio foi excepcional. A luta final ocorrendo na área externa da Torre da Maestria, o mesmo local em que nos jogos você tem sua primeira batalha utilizando uma Mega Evolução, é outro detalhe que eu curto. E é ótimo ver Pikachu destruindo o balão antes que os Rockets tivessem a oportunidade de sequer entrarem nele.
A sequência do cartão do título também estrela Korrina, como nos episódios do arco da personagem, mas sua importância aqui é visivelmente inferior à de Ash. Entretanto, imagino que os roteiristas tenham querido dar à garota uma última glória no que deve ser o provável encerramento de sua participação no anime – ao menos por um longo tempo. Ainda assim, é ótimo vê-la outra vez. Se seu avô está meio fora da personagem, a garota agitada é a nossa velha conhecida de sempre, com seu jeitão cheio de carisma e atitude. Os roteiristas do anime também decidiram transferir o Ginásio de Shalour para dentro da Torre da Maestria. Nos jogos, o Ginásio fica fora da torre, dentro da cidade. Eu totalmente entendo a razão para os roteiristas do anime terem optado por mudar a localidade do Ginásio e, se você parar para pensar em toda a questão da hereditariedade do anime – que nunca é tão fortemente implicada em nenhum jogo da franquia (os Ginásios parecem ser mais conquistas pessoais de seus Líderes do que negócios de famílias) – até faz mais sentido.


Porém, um dos meus medos era de que isso fosse tornar o Ginásio muito impessoal. Desde sempre, os Ginásios nos jogos sempre procuraram refletir a personalidade e o estilo pessoal de cada Líder, então eu gosto quando isso é respeitado no anime. Entretanto, enquanto Korrina perdeu sua gigantesca pista de patinação, Akemi Omode conseguiu incorporar corrimões e rampas ao redor do campo de batalha para que Korrina pudesse expressar seu grande talento com os patins! O trabalho da animação é tão excelente aqui que chega a ser de arrepiar a grande entrada da Líder! A câmera até assume uma perspectiva em primeira pessoa em dados momentos que causam um impacto ainda maior. E após a chegada mais que triunfal de Korrina, é hora da batalha de Ginásio. Eu até me aprumo no sofá porque meu corpo está pronto, porém, pera, não é possível! Continua no próximo episódio…

Considerações finais:
  • Esta é a minha primeira postagem no mês de outubro. E ele está quase acabando, então vocês devem estar se perguntando: o que aconteceu? Pois é… bom, na primeira semana eu decidi tirar uma semaninha de descanso porque tivemos uma semana sem episódio. O problema que eu não previa era que eu fosse ter duas semanas tensas seguindo àquela. Eu tive um tipo de amidalite numa semana, que me causou febre e uma dor de garganta tensa entre outras coisas, e na seguinte eu tive uma dor horrível no canal digestivo por efeito de uns dos remédios que eu tomei pela amidalite. Logo, a última coisa que eu conseguia pensar era em mexer no meu blog de Pokémon. Sarado (da doença, gente, calma, sem assédio), estou pronto para retomar as coisas e pretendo investir muito no blog nas próximas semanas pra compensar essas semanas ausentes, mas não prometo nada;
  • Logo que eu assisti a este episódio - há MUITAS semanas atrás - eu não tinha muita ideia do que escrever, então eu pretendia lançá-lo junto com o do Ginásio (que eu sei que é o que vocês todos querem ler), mas aí quando eu finalmente consegui escrever este texto as coisas foram surgindo e o texto ficou grande demais pra dividir com outro, mas o do Ginásio não deve demorar, então fiquem ligados!
  • Ok, então a Torre da Maestria só é acessível à noite, quando a maré abaixa. Isso quer dizer que no geral ou as batalhas ocorrem exclusivamente à noite a menos que os desafiantes decidam dormir no Ginásio. Talvez por isso eles tenham tantos quartos né, já que a família de Korrina não parece ter muitos membros vivos no momento
  • Eu gosto de como os amigos de Ash estão tão receosos com a batalha devido à falha visível na estratégia do ritmo que ficam felizes toda vez que o desafio é adiado mais um pouco;
  • Korrina chega fazendo citações bizarras de seu avô e Ash pergunta o que deu nela. Eu gosto muito desse detalhe do garoto notando que ela parece fora da personagem;
  • Korrina observa Fletchinder e Hawlucha e imagina que o garoto fez algumas aquisições específicas para desafiá-la. A ironia aqui é que foi tudo mera coincidência;
  • Que lindinho Serena sendo fofa com Korrina e dizendo que ela já é uma ótima Líder de Ginásio por conseguir fazer Lucario mega evoluir :3
  • Meowth achou um boneco de Tepig no quarto de Gurkinn. Eu QUERO um também *---*
  • Oirártnoc oa "Eyb-eyb" odnasu edepsed es Semaj. Otrec át;
  • A BGM que toca durante o embate de Lucario contra a Equipe Rocket é foda demais;
  • Amei Korrina de cabelo solto. Tão linda *-*;
  • Sério que Ash pergunta "Quem são vocês?" pra Equipe Rocket MESMO ELES NEM ESTANDO DISFARÇADOS??? O_O 

  • Ash talvez tivesse conseguido desenvolver melhor sua dança se tivesse a ajuda do Cetro da Dança do Meowth do curta "Gotta Dance!!"
  • …ou uma ajuda especial do Mime Jr.;
  • Sério, gente, mais dança por favor!

0 Comentários:

Postar um comentário

Seu comentário será publicado após a aprovação.
Comentários pejorativos e desviados do assunto abordado no post serão automaticamente excluídos.

A PBN agradece a sua participação!